Máscara

Camara

oi

oi

31 de outubro de 2018

A BAHIA É ONDE A MISÉRIA MAIS RÁPIDO CRESCEU NOS ÚLTIMOS QUATRO ANOS

A Bahia é o estado em que a miséria teve o
crescimento mais rápido nos últimos quatro anos
.
A Bahia é o estado em que a miséria teve o crescimento mais rápido nos últimos quatro anos. De acordo com um levantamento feito pela consultoria Tendências, divulgado pelo Valor Econômico, a proporção de famílias dobrou em quatro anos, de 4,8% em 2014 para 9,8% em 2017. Com isso, o estado, que tem a maior população do Nordeste e a quarta maior do país, pulou da 12ª para a terceira posição no ranking. De acordo com o Relatório de Informações sociais do governo federal, na Bahia, 2.983.015 famílias estavam inscritas no Cadastro Único do Bolsa Família em agosto de 2018. Desse total, 1.801.185 delas tem renda per capita familiar de até R$ 85. Em todo o Brasil, a extrema pobreza cresceu durante a crise. Porém, foi na região Nordeste que essa piora foi mais intensa. Além da Bahia, estados como Piauí e Sergipe viram dobrar ou quase dobrar o número de famílias vivendo na miséria. Na região Norte, o Acre foi o estado que teve a piora mais rápida nesses quatro anos. Os dados, divulgado pelo Valor Econômico, apontam que das 27 unidades da federação, 25 tiveram piora da miséria entre 2014 e 2017. Desse número, nove estados atingiram um nível recorde no ano passado. A média nacional de pobreza extrema avançou de 3,2% em 2014 para 4,8% em 2017, maior patamar em pelo menos sete anos, conforme a pesquisa. Dos dez estados com o maior índice de famílias vivendo em situação de miséria no Brasil, oito ficam no Nordeste. O critério de extrema pobreza utilizado pela consultoria considerou famílias com renda domiciliar per capita abaixo de R$ 85 no ano passado. Ele foi baseado no Plano Brasil Sem Miséria, definido por decreto em 2016 – referência do Bolsa Família. Para o diretor da Tendência, Adriano Pitoli, em entrevista ao Valor Econômico, o crescimento da pobreza no Nordeste tem a ver com as particularidades da região e com a crise econômica do país, que afetou o emprego especialmente de setores com mão de obra de menor qualificação.

COM CUMA COMO ALCAIDE, A GRANA SOBE E O BARNABÉ CAI

34 mil eleitores que votaram em Cuma e 45 mil itabunenses
que não votaram em nenhum dos outros oito prefeituráveis em 2016,
são responsáveis direto pelo fracasso de Cuma como prefeito!
Somente nesta terça-feira (30), a Prefeitura de Itabuna, recebeu do governo federal (Michel Temer) repasses de R$ 5.280.141,43, segundo informações do Sistema de Informações Banco do Brasil (Sisbb). E não há um só dia em que não entre dinheiro nos cofres públicos sob controle do prefeito Fernando Gomes (Cuma). Mais de 400 milhões de reais foram arrecadados pela prefeitura de Itabuna, nestes 11 meses de 2018. Mas esta fortuna parece não ter sido suficiente para evitar que a cidade perdesse escolas, programas sociais, hospitais, postos policiais e mais de 600 servidores de diversos setores da prefeitura fossem demitidos e sem pagamento, sequer, dos últimos dois meses trabalhados e nem aviso prévio foi cumprido. Os desligamentos começaram na semana passada, mas a maioria foi feita nesta terça-feira. Cerca de 600 pais e mães de famílias foram dispensados. De acordo com Cuma, as exonerações atingiram cargos comissionados e concursados e mais trabalhadores podem ser demitidos até o equacionamento das contas. O prefeito reconhece que em todos os setores há problemas com falta de pagamento dos salários por, pelo menos, dois meses e não há previsão de pagamento dos vencimentos atrasados. O fato é que Cuma perdeu o controle das finanças e seu governo está à deriva, como um barco furado e condenado ao naufrágio. Culpa de quase 35 mil itabunenses, que "foram chamar ele de Conquista" e de quase 50 mil eleitores, que não votaram em ninguém nas eleições, que poderiam evitar que a cidade voltasse a está sob as garras da ave de rapina do Cuma.

ELIANA CALMON E SERGIO MORO PODEM OCUPAR MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

A Bahia poderá ter Eliana Calmon como Ministra e Bolsonaro

A baiana Eliana Calmon, ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e o juiz federal Sergio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância, podem ser indicados pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para o Ministério da Justiça, informou o presidente em exercício da sigla, Gustavo Bebianno. “A previsão é que o ministério seja preenchido por uma pessoa de nome, como a ministra Eliana Calmon. O nome do juiz Sergio Moro também se cogita “, disse o comandante da sigla no domingo (28). Ele afirmou, porém, que o partido ainda não conversou com os dois sobre o assunto. Bebianno, que também tem o nome especulado para a pasta, desconversou sobre tal possibilidade. Segundo ele, Moro pode ser indicado para compor o Supremo Tribunal Federal (STF) “mais para frente”. “[Moro] é um grande nome, seja onde for, na Justiça ou no STF”, declarou.

MAGNO MALTA GARANTE POSSE DE ARMA SERÁ LIBERADA EM 2019

Agora ficará mais seguro viver em cidades brasileiras

O senador Magno Malta (PR), que não conseguiu ser reeleito no Espírito Santo e apoia o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), afirmou que o Congresso vai aprovar a posse de arma de fogo para o cidadão comum a partir de janeiro de 2019. Em um discurso no alto de um trio elétrico instalado em frente ao condomínio onde Bolsonaro mora, no Rio de Janeiro, Malta também afirmou que propostas relacionadas à descriminalização das drogas ou do aborto não serão votadas. Segundo ele, o país é cristão, formado por “católicos, evangélicos, judeus, homens e mulheres”. Ele ainda disse que não é falsa a informação de que o kit anti-homofobia tinha o objetivo de “ensinar homossexualismo [sic] para crianças de 6 anos”, além de condenar os posicionamentos de opositores de Bolsonaro que, na opinião dele, atacam os valores da família brasileira. “Nós não vamos aceitar que esses canalhas, em nome de cultura, ataquem a virgem e chamem Jesus de viado [sic]”, disse.

PHS E PRP DEVEM SE FUNDIR PARA FORMAR LEGENDA COM NOVO NOME

Júnior Muniz recebeu parabéns do PHS de Itabuna,
por ter liderado o sucesso do partido na Bahia!

A cláusula de barreira e a vitória de Jair Bolsonaro (PSL) neste domingo (28) vão acelerar uma reorganização de forças do sistema político brasileiro. De acordo com o site Antagonista, o PHS e o PRP devem anunciar a fusão das siglas em breve. A fusão resultará em um partido com nome e estatuto novos. PHS e PRP, que ao todo reúnem 10 deputados federais e 4 senadores, podem ainda incluir o PMN (com três deputados federais) na negociação. Na Bahia, o PHS é presidido pelo deputado estadual eleito Júnior Muniz. A legenda recentemente migrou para a base do governador Rui Costa (PT) (lembre aqui). Já o PRP elegeu deputado federal Raimundo Costa da Pesca, morador de Valença e presidente da Federação dos Pescadores e Aquicultores do Estado da Bahia.

30 de outubro de 2018

CUMA ACABA COM O RESTAURANTE POPULAR

Cuma é como um Tsunami submetendo Itabuna aos escombros

No início deste seu quinto mandato como prefeito de Itabuna, Fenando Gomes (Cuma), fechou o Restaurante Popular do bairro de Fátima, logo após ter investido mais de 3 milhões de reais na realização do carnaval antecipado. Também fechou escolas, SineBahia, Programas sociais, Ei Mamãe e combate ao Crack. E fez isso sob alegação de falta de recursos. E antecedendo o dia de finado na cidade, o anúncio do prefeito, é de morte para as atividades do Restaurante Popular (do centro).  O prefeito publicou decreto rescindindo o contrato administrativo com a empresa Pupo Restaurante e Cozinha Industrial Ltda, que gerenciava a unidade. O prefeito considera que as atuais dificuldades financeiras e orçamentarias têm comprometido o pagamento e manutenção dos contratos já celebrados pelo município. Dessa forma, para que não haja comprometimento dos pagamentos dos salários dos servidores, e/ou a interrupção dos serviços públicos considerados essenciais, tais como saúde, educação, limpeza urbana e assistência social, o município tomou a medida de contenção de despesas, encerrando as atividades do restaurante. Com isso a marreta permanece acelerando o desmanche do patrimônio e dos serviços da prefeitura, que está cada vez mais pobre, enquanto o prefeito enriquece e faz o povo “comer o pão que Cuma amassou”!

29 de outubro de 2018

ONDE ESTÁ O DINHEIRO?: CUMA JÁ GASTOU MAIS DE 300 MILHÕES DE REAIS EM 2018

CUMA É MORALMENTE INCAPAZ DE SER PREFEITO
Não há em nenhum lugar no município de Itabuna, uma só obra com dinheiro da prefeitura, de valor superior a um milhão de reais. Mas do primeiro para o segundo quadrimestre de 2018, a arrecadação própria de Itabuna (com tributos municipais) cresceu 6,10%, segundo a Fazenda municipal. Até agosto, a Prefeitura havia executado mais da metade (54,48%) do Orçamento Anual, estipulado em R$ 607,7 milhões. E ainda assim a cidade não possui nenhuma obra do governo do prefeito Fernando Gomes (Cuma). Itabuna não ganhou nada com Cuma como prefeito. Muito pelo contrário. Perdeu o Programa Ei Mamãe; perdeu o Restaurante Popular do Bairro de Fátima; perdeu oito escolas; perdeu o Banco de Alimentos; Perdeu o SineBahia; perdeu o programa Vivart; perdeu a Casa das Artes; perdeu; p erdeu o Hospital São Lucas; perdeu o Hospital Cemepi e ontem perdeu também o Restaurante Popular do centro da cidade. Só perdas. E o prefeito propaga que a prefeitura está pobre. Mas, ele está rico Enquanto a prefeitura não tem, nestes 22 meses de governo de Cuma, uma só obra de valor superior a um milhão de reais, o prefeito adquiriu uma apartamento no valor superior a um milhão e quinhentos mil reais. A situação de Cuma só não é incômoda e dramática, por conta da inércia e fictismo do Tribunal de Contas dos Municípios; Ministério Público Estadual e Federal, TRE, TJB, TSE, STF e receita Federal.

FOTO COMPROVA QUE O DIABO TEM FORÇA, MAS NÃO TEM PODER

Cabeça de Pitu podre e fétido, isolado, mas ainda não encarcerado
Seria inimaginável supor, há 10 anos, que o então maior líder do PT no sul da Bahia, Geraldo Simões (Cabeça de Pitu), estaria atualmente, reduzido a isolado e insignificante "carregador de bandeira do PT". Mas tudo tem causa e razões. Neste contexto, a causa está detectada no mau-caratismo do petista. Depois que ele foi eleito pela primeira vez a um cargo eletivo (deputado estadual), começou a revelar sua má índole de perseguidor, traidor, enganador, mentiroso, cínico e ladrão do dinheiro público. E nas eleições subsequentes, ele foi vencendo, mas não convencendo e seu eleitorado foi decrescendo sistematicamente. A cada eleição ele via diminuindo sua quantidade de votos e aliados, mas não enxergava em si as causas dessa situação. Estes fatos tiveram consequências de derrotas, que se acumulam nas últimas quatro eleições. E a razão de tudo isso, é que "o mal por si só se destrói"! A liderança hoje de Geraldo, se restringe a quem se submete fácil à enganação, parasitas e pelegos, que acreditam obter vantagens de cargos públicos e comparsas. Raras são as pessoas bem intencionadas, sérias, honestas e éticas, que ainda gravitam em torno do seu comando. Geraldo hoje não engana mais quem distingue o certo e o errado na política. Ele perdeu e permanecerá perdendo mais eleições, pois se acomodou em ser lixo, sem pretensão de se reciclar. Logo deverá perder para vereador! Mas num país sério, ele já estaria preso como ladrão, há muitos anos.

BOLSONARO FOI ELEITO E AGORA?

Terminada a eleição, o compromisso agora é fazer
todos agirem pelo Brasil, com Deus acima de todos
Terminada a eleição, com vitória do futuro presidente, Jair Bolsonaro (PSL), é chegado o momento de se pensar no que vai vir depois. Mas, queiramos ou não, desta vez o desafio maior não são as eleições. Serão as decisões a serem tomadas depois, de maneira inadiável. Acompanhar estas decisões, e participar de sua elaboração e implementação, será a incumbência que nos caberá, como cidadãos convocados a assumir suas responsabilidades políticas. Aí se coloca um claro desafio. Deu para constatar, com suficiente clareza, o grande desinteresse dos eleitores em debater as propostas em jogo no processo eleitoral. Em decorrência, pode-se logo vislumbrar um desinteresse maior ainda em acompanhar as decisões que o país está esperando há tempo. Existe pouco apetite pela política. Isto é grave. Sabemos que a falta de apetite, para o organismo, pode ser sintoma de doença que vai se agravar. O Brasil já não suporta mais o adiamento de algumas reformas, que são indispensáveis. A começar pela Reforma Política, com a difícil tarefa de extirpar da legislação os mecanismos que vão agravando a “injustiça institucionalizada”, que vai produzindo sempre maiores diferenças entre os poucos privilegiados, e a grande maioria dos que pagam as consequências de um sistema injusto que foi integrado em nossa legislação, e que é urgente extirpar. Vejam-se, por exemplo, os mecanismos de ajustes salariais de algumas categorias de servidores públicos, que vão aumentando sempre mais as diferenças. Sem o respaldo da cidadania, o Congresso Nacional não terá condições de enfrentar as resistências dos que vão se sentir ameaçados de perder seus privilégios. Outra reforma que não pode mais ser adiada, é a Reforma da Previdência. Por tocar mais de perto a vida de milhões de pessoas, ela é vista com apreensão por muita gente. Será necessário muito discernimento, e coragem política para efetivá-la. Mas a Reforma da Previdência vem estreitamente vinculada com a Reforma Tributária. É preciso garantir os recursos para as aposentadorias, mas é preciso também equilibrar as contas do governo. E assim, outros problemas deverão ser enfrentados, se queremos que o Brasil não inviabilize o seu futuro. Tanto mais será necessária a participação da cidadania. Se houver impasses, que sejam usados os instrumentos de consulta popular previstos na Constituição, como o plebiscito e o referendo. O certo é que se não houver a participação direta da cidadania, continuará se agravando o vácuo entre a cidadania e o Estado Brasileiro. Por isto, terminadas as eleições, continuam as preocupações!

28 de outubro de 2018

NOSSO DESTINO É IR EM FRENTE

A chave do sucesso está em nunca desistir de alcançá-lo!

Antigamente todo mundo trabalhava para viver bem dentro dos seus limites, procurando ter sempre a felicidade como companheira. Exerço a profissão de comunicador há mais de 20 anos e pude comprovar isso de perto. A vida era tranquila. Não havia violência como hoje. E a maioria das pessoas vivia satisfeita com a vida, independente de sua condição social. Esses tempos passaram e nunca mais voltarão. Atualmente, o povo brasileiro em sua maioria trabalha para sobreviver. A vida transformou-se numa verdadeira luta. A insatisfação que hoje existe no homem moderno é acentuadíssima. Muitas pessoas trabalham porém, insatisfeitas, nas lojas, fábricas, universidades, escolas, repartições públicas etc, porque muitas vezes não são reconhecidas e outras vezes preteridas de mil maneiras. O radialista, por exemplo, vive naquele surrado estúdio de rádio sacrificado, sem a mínima condição de exercer o radialismo condignamente e então sofre. No nosso Nordeste, a beleza da natureza é imensa, deslumbrante, porém os contrastes são gritantes na área da educação, da saúde e do bem-estar social. Assim sendo, com salários minguados, com a seca a maltratá-los, com as doenças a atingi-los e um atendimento a desejar pelo SUS, eles lutam para uma sobrevivência com ajuda de Deus. E por aí vai. Assim é o mundo moderno, o mundo atual, um verdadeiro aprendizado de paciência. Vivemos em pleno século XXI com uma tecnologia extraordinária em todas as áreas, principalmente na área da comunicação. Entretanto, as doenças e o número de doentes aumentam a cada dia de forma impressionante. Os hospitais sempre cheios, superlotados. Vivemos num mundo cercado pelas doenças de origem física, psíquica e genética. Finalmente, o que devemos fazer? Valorizar o tempo que temos à nossa disposição. A vida não se resume só em respirar. Nosso organismo só trabalha como uma máquina perfeita em função dos nossos pensamentos. Assim, meu caro leitor, dentro dos seus limites procure ser feliz. Amanhã, o destino do Brasil será entregue a um novo presidente. Vamos esperar com muita fé em Deus que esse novo condutor do nosso destino, os novos senadores, deputados federais, estaduais e governadores eleitos pelo Brasil afora, assumam com entusiasmo e dignidade os seus cargos, sabendo que dependendo deles, dos seus desempenhos, nossos filhos e netos terão um futuro feliz vivendo dentro de uma nação grandiosa. Portanto, vamos esperar. Nesse momento de brumas, de grande cerração que vive o nosso País, temos que buscar luzes mais altas. É uma necessidade da vida seguir sempre com coragem, entusiasmo e equilíbrio emocional. E esse deve ser o ânimo dos que irão assessorar o futuro presidente.

CUMA É "TIRO QUE SAI PELA CULATRA" PARA O PT EM ITABUNA

Alice e Cuma devem prejudicar bastante o candidato do PT
Em Itabuna, o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL), não possui nenhuma liderança expressiva, ou detentora de mandato eletivo, que esteja no comando da sua campanha. Mas não precisa, pois o prefeito da cidade, Fernando Gomes (Cuma), é quem mais expressa o petismo e coordenação da candidatura do seu xará presidenciável e neste caso, a perspectiva é que Haddad (PT) deverá ser bastante prejudicado, eleitoralmente, considerando a extraordinária rejeição a que está submetida a gestão de Cuma. Isto significa que há uma tendência da maioria dos itabunenses votar contra o candidato do prefeito. Este fato resultará na vitória de Bolsonaro em Itabuna. Para que não haja dúvida sobre essa nossa previsão, basta lembrar do que foi a votação dos principais candidatos de Cuma, no primeiro turno: seus dois candidatos a deputado federal, Jonga (PR) e Paulo Magalhães (PSD), sairam das urnas na cidade, com inexpressivos menos de um mil votos, juntos e o próprio filho do prefeito, Sérgio Gomes (PR), que concorreu ao cargo em que seu irmão, Marcos Gomes em 2018, concorreu a deputado estadual e acabou tendo menos de um quarto dos votos do primogênito de Cuma. Portanto, as apostas apontam para Cuma prejudicar bastante o PT em Itabuna. 

TORTURADO POR USTRA, VEREADOR REJEITA HADDAD E VOTARÁ NULO

Nem todos políticos do PV, estão com o candidato do Lula
Em 1972, aos 19 anos, o estudante de medicina Gilberto Natalini foi preso e torturado durante 60 dias. Segundo ele, um de seus algozes foi o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do DOI-Codi (Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna), órgão de repressão da ditadura militar. Então militante pela abertura democrática e atualmente vereador paulistano pelo PV, ele recebeu choques elétricos que causaram danos permanentes à sua audição. Hoje, ele tem capacidade auditiva de 60% no ouvido esquerdo e 80% no direito. Ustra tem sido lembrado com frequência nesta eleição. O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) já manifestou sua admiração pelo coronel diversas vezes ao longo de sua trajetória, e tem "A Verdade Sufocada", de autoria de Ustra, como livro de cabeceira. O PT veiculou propagandas em que mostrava Bolsonaro como devoto de Ustra e favorável a torturas. A veiculação do material foi suspensa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O passado traumático com o torturador, no entanto, não fez com que Natalini direcionasse seu voto a Fernando Haddad (PT). O vereador não concorda com o argumento de que no petista se encontra a "saída democrática", como parte de seus apoiadores têm defendido, e vê no PT uma "quadrilha de corruptos" que prejudicam a democracia por meio dessa categoria de malfeitos. Sendo assim, ele escolheu anular seu voto, ainda que ele mesmo seja um político e que, grosso modo, dependa dos votos em sua carreira. Por sua posição, o vereador tem sido pressionado por seguidores de ambos os candidatos. O médico vê a ascensão de Bolsonaro como fruto de erros do PT, que, segundo ele, depois de fazer "falcatruas ao chegar ao poder" esvaziou o cenário político e ideológico nacional, "jogando vitamina no canteiro para ressurgir a direita mais troglodita e burra que o Brasil possuiu e que estava adormecida". Segundo ele, um ambientalista histórico, Bolsonaro tem uma visão "do século 12" do meio ambiente, e será necessária "muita luta" para conter os planos do presidenciável, caso ele vença. Sobre o PT, Natalini diz que "não vota em quadrilha", em referência aos escândalos nos quais o partido se viu envolvido nos últimos anos. Como vereador, ele fez dura oposição aos prefeitos petistas Marta Suplicy e Haddad. Para ele, o partido que hoje disputa contra Bolsonaro construiu "uma estrutura criminosa para fazer inveja a qualquer máfia do mundo, com chefe, subchefe e comandados". "Denunciei a roubalheira da ciclovia do Haddad, o superfaturamento na compra de salsichas. Eles vieram gradativamente piorando, roubando cada vez mais. Até hoje o PT rouba onde pode. É um descaramento muito grande", completa, dizendo que não escolhe o PT por uma questão de "assepsia moral". Para ele, o risco à democracia apresentado por Haddad é igual ao que apresenta Bolsonaro, que seria apenas mais explícito em seus aspectos antidemocráticos ao louvar as décadas ditatoriais. Confrontado sobre uma possível contradição de ser um vereador e pregar o voto nulo, Natalini discorda e diz que "Anular o voto não é negar o voto. Não vou deixar de votar. Mas se você não tem candidatos em que você tenha o mínimo de confiança ou esperança, como que você vai depositar seu voto em quem você não vê a menor condição de representar a consciência cidadã? Não é omissão. É muita coragem de dizer que vou votar nulo", diz. "O voto nulo é um instrumento democrático das eleições. Significa que você não se satisfaz com o que sobrou. Não acredito em Bolsonaro por ser um arauto da tortura nem no PT por ter sido a organização que assaltou os cofres públicos e levou o Brasil a essa crise civilizatória pela qual está passando." 

EM CARTA LULA CHAMA EVENTUAL VITÓRIA DE BOLSONARO DE RETROCESSO

Lula está desesperado com  a possível vitória de Bolsonaro
Em mais uma carta destinada aos brasileiros, o ex-presidente Lula disse que uma eventual vitória de Jair Bolsonaro (PSL) à Presidência é uma “ameaça de um enorme retrocesso para o país [e] a democracia”, e defendeu o candidato do PT, Fernando Haddad. Em vários momentos do texto, o ex-chefe do Palácio do Planalto questiona o motivo de o PT ser “odiado” e ressalta o “orgulho do legado que deixamos para o país”. “Tenho consciência de que fizemos o melhor para o Brasil e para o nosso povo, mas sei que isso contrariou interesses poderosos dentro e fora do país. Por isso tentam destruir nossa imagem, reescrever a história, apagar a memória do povo”. “Se há divergências entre nós, vamos enfrentá-las por meio do debate, do argumento, do voto. Não temos o direito de abandonar o pacto social da Constituição de 1988. Não podemos deixar que o desespero leve o Brasil na direção de uma aventura fascista, como já vimos acontecer em outros países ao longo da história”, afirma. O ex-presidente está preso na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ser condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro.

27 de outubro de 2018

EM REUNIÃO COM PDT, RUI DIZ QUE CUMA NÃO FAZ A CIDADE A CRESCER

Cuma é uma aberração que afugenta até quem o coopta!
A maioria da imprensa itabunense, noticiou que o governador da Bahia, Rui Costa (PT), em reunião com o médico Antônio Mangabeira e o vereador, Enderson Guinho, ambos do PDT, afirmou que Itabuna necessita de um gestor que ajude a cidade crescer. É óbvio que nossa leitura sobre esta declaração tem um viés mais amplo e condizente com verdades mais verdadeiras. O fato é que, quando o governador declara, que a cidade necessita de um prefeito que a faça crescer, quer dizer que Itabuna não teve e nem tem prefeito de boa qualidade de gestor. Trocando em miúdos, Rui Costa disse, que o prefeito Fernando Gomes (Cuma), é um prefeito que não ajuda Itabuna crescer! E nisto não há muita gente que discorde dele. É quase uma unidade a rejeição a que Cuma está submetido em Itabuna. Mas o prefeito é cupincha do governador e nem este compadrio faz Rui se esquivar dos fatos. Rui afirmar que Cuma é um prefeito, que não faz Itabuna crescer, talvez seja uma das poucas verdades que o governador falou sobre a realidade da maior cidade do sul da Bahia. E lamentável nisso, é o prefeito não ter coragem de contrapor Rui Costa, expressando a verdade de que o governo do Estado não ajuda Itabuna crescer!

PESQUISA REVELA QUE 29% VOTAM EM BOLSONARO

Bolsonaro não é homofóbico e sim contrário ao Kit Gay em escolas
Entre os eleitores que se declaram homossexuais, bissexuais e de outras orientações sexuais que não a heterossexual, Jair Bolsonaro (PSL), tem 29% no grupo e Fernando Haddad (PT), lidera com 57% das intenções de voto. Seu adversário, segundo a última pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (26). O índice de votos nulo ou branco é de 7% (é de 9% entre heterossexuais) e 6% dizem não saber em quem votar —número que é de 5% entre heteros. 86% dos entrevistados se declararam heterossexuais, 3%, homossexuais, 2%, bissexuais, 2%, de outras orientações sexuais e 6% dos que responderam à pesquisa não quiseram responder a essa pergunta. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

26 de outubro de 2018

AGORA É HORA DE SERENIDADE DE BOLSONARO

Muitas bravatas de Bolsonaro deverão ficar no passado

Com uma campanha presidencial finalizando, e quase subindo a rampa do Planalto, Jair Bolsonaro precisa urgentemente serenar os ânimos mais do que exaltados entre os dois lados da disputa. Mesmo levando em alta conta que entre tantas ocorrências brutais dessa campanha presidencial, o atentado ao qual foi vítima, foi inquestionavelmente a mais grave, Bolsonaro precisa se superar pois sabe que vai exercer a Presidência da República de um País muito conflagrado pela feroz polarização político-partidária, assim como herdará um quadro social e econômico dramático, que precisará ser enfrentado com todo o apoio possível. Todavia, analistas respeitados já anteveem um governo sem lua de mel, e sem uma trégua mínima com a imprensa nacional e a internacional, o que é uma dificuldade a mais. O País necessita urgentemente dessa voz amadurecida que lhe fale não com autoritarismo, mas com a autoridade, com a serenidade e o firme equilíbrio que o Brasil tanto precisa para superar tamanhos desafios. Bolsonaro necessita se libertar dos radicais e dos inconsequentes que o rodeiam. O Brasil precisa escutar de forma claramente inquestionável que a sua chegada à Presidência da República é uma conquista da democracia e que ele tem todo o verdadeiro interesse em preservá-la intocada. Basta da insegurança institucional dos anos de governos petistas. E o que vai acontecer com o PT vai depender muito do desempenho de seu governo e dos resultados que venha a alcançar.

CANTORA GOSPEL CHOCA UBATÃ AO SE SUICIDAR


O cotação tem razões, que a própria razão desconhece!
Mais um suicídio chocou a comunidade evangélica no sul da Bahia, dessa vez, foi uma cantora gospel quem tirou a própria vida. Trata-se de Aruza Sallys. A cantora foi encontrada sem vida pendurada por uma corda, na tarde desta quinta-feira (25) na rua Antônio Pinheiro, no Bairro São Raimundo, na cidade de Ubatã. Segundo informações da Polícia, Aruza utilizou uma corda para se enforcar em um dos quartos da residência. O corpo da cantora foi encontrado por um irmão. No momento da ação Aruza estava sozinha em casa. Ela usou o mesmo modus operandi de Judas Iscariotes, que foi um dos doze apóstolos de Jesus Cristo e que, de acordo com os evangélicos canônicos, veio a ser o traidor que entregou Jesus aos seus captores por trinta moedas de prata e, entrando em desespero, enforcou-se. A cantora gospel Aruza Sallys era muito popular no sul da Bahia e um fato que chamou a atenção, é que, dias antes de tirar a própria vida, Aruza havia gravado um vídeo, onde destacava mensagens motivadoras e de valorização da vida. Pessoas próximas à cantora relataram que ela andava triste nos últimos dias e dizia ‘não suportar mais as adversidades’. Evangélica e muito envolvida nas atividades da Igreja, Aruza Sallys se notabilizou por uma voz potente e singular. Costumava cantar em igrejas de Ubatã e outras cidades da região. Aruza deixa esposo e duas filhas.

BOLSONARO COGITA COLOCAR GENERAL NO COMANDO DA PETROBRAS

Bolsonaro quer ordem e progresso em todos setores do governo

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) avalia nomes militares para presidir a Petrobras, caso seja eleito. De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, para setores da campanha do capitão reformado, colocar um general no comando da estatal passaria a imagem de austeridade para minimizar impactos de um governo com políticos tradicionais. Até o momento, no entanto, nenhum nome específico das Forças Armadas foi cotado para presidir a Petrobras, que é considerada simbólica por ter sido alvo da Operação Lava Jato nos governos do PT.

25 de outubro de 2018

VÍDEO COM SUPOSTA ORGIA ENTRE JOÃO DORIA E CINCO MULHERES É MONTAGEM, APONTA PERÍCIA

Vídeo com suposta orgia de João Doria é montagem!

É montagem o vídeo que mostra o candidato a governador em São Paulo João Doria (PSDB) em uma orgia com cinco mulheres. Pelo menos esse é o resultado de uma análise realizada pela perita criminal e advogada Roselle Sóglio. De acordo com laudo produzido à pedido da revista Veja São Paulo, as imagens foram manipuladas digitalmente para inserir o rosto do político sobre o de outro homem que participou das gravações. O vídeo foi divulgado pelas redes sociais na terça-feira. Nas últimas pesquisas de intenções de voto para o governo paulista, Joao Doria aparece em vantagem sobre Marcio França (PSB). No entanto, os dois estão empatados dentro da margem de erro dos levantamentos. Ainda nessa terça, o candidato do usou sua conta no Twitter para divulgar um pronunciamento, ao lado da esposa, repudiando e chamando de grotesca a gravação envolvendo seu nome. Alguns pontos importantes foram ressaltados pela perita, que classificou o vídeo como intencionalmente preparado para a mudança e divulgação. Segundo Roselle, que utilizou um software forense canadense para a análise, a imagem contínua do rosto de Doria, a iluminação do cenário, marcas digitais de cortes e manipulação de cenas deixam claro o resultado apontado.

PARANÁ PESQUISAS EM SP: BOLSONARO TEM 68,4% DOS VOTOS VÁLIDOS

Bolsonaro deverá se eleger com maioria dos votos em São Paulo

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, lidera a corrida eleitoral no Estado de São Paulo. Os dados são de levantamento do Paraná Pesquisas divulgado nesta quinta-feira (25). O militar tem 68,4% dos votos válidos, enquanto o adversário Fernando Haddad (PT) está com 31,6%. Quando se fala em votos válidos, não são considerados os votos brancos, nulos e indecisos. No cenário em que são computadas as intenções de votos totais, Bolsonaro tem 59,4% e Haddad 27,4%. Brancos, nulos e indecisos somam 13,2%. A pesquisa mediu ainda o potencial eleitoral dos candidatos. Os eleitores de Bolsonaro se mostram mais decididos sobre seu voto do que os eleitores de Haddad desde o início do mês. Na pesquisa mais recente o militar aparece com 51,4% de certeza, o petista tem apenas 23,7%. Apesar de a rejeição de Haddad ter caído em relação à pesquisa divulgada em 22 de outubro, o percentual ainda é duas vezes maior do que o de Bolsonaro. Ao serem questionados sobre sua escolha no levantamento do início da semana, 63,2% afirmaram que não votariam em Haddad de jeito nenhum. O número oscilou para 61,8%. Já a rejeição do militar foi de 33,1% para 33,3%. A pesquisa foi realizada de 22 a 24 de outubro de 2018, em 87 municípios de São Paulo. O estudo entrevistou 2.004 pessoas. A margem de erro é de 2,0 p.p e o índice de confiança é de 95%. O registro no TSE é BR-04858/2018.

CLIMA ELEITORAL LEVA A PIORA DA SAÚDE MENTAL DE BRASILEIROS, APONTAM PROFISSIONAIS

O clima acirrado das eleições causa insônia e pesadelos no país

Com a proximidade da definição das eleições presidenciais, no próximo domingo (28), um número maior de brasileiros passou a buscar apoio de psicanalistas e psicólogos. De acordo com profissionais, o mal-estar relacionado ao clima agressivo do período eleitoral chegou aos consultórios. Em entrevista à AFP, o psicanalista Admar Horn, integrante da Sociedade Brasileira de Psicanálise (SBP), afirmou que 80% dos pacientes têm expressado sofrimento relacionado às eleições. "Meus pacientes sentem uma angústia crescente porque estão diante do desconhecido", acrescentou. Entre os principais motivos desse sentimento, estão um "ambiente perigoso" e "um medo terrível de um retorno a um regime de extrema direita". Da mesma forma, o psicólogo Antonio Alberto Rito contou que os novos pacientes o procuram "com angústia e mundo medo". "Em quase 20 anos de profissão, é a primeira vez que vivencio isto", contou. Para ele, há um "clima de polarização, de negação do outro, de raiva muito forte" entre os pacientes. "Uma paciente chegou a me dizer que se eu não votasse no Bolsonaro, não viria nunca mais". Há relatos de sintomas como alterações do estado de ânimo, insônia, pesadelos e crises de bulimia. Há ainda casos específico, como um aumento de fobias entre membros da comunidade LGBT. "Pessoas que tinham encontrado o seu lugar na sociedade, mas que começam a sentir muito medo de sair na rua, de ser agredidas", relatou o psicanalista Fernando Rocha, também membro da SBP. "Quase todos os meus pacientes estão muito preocupados com o que pode acontecer com eles, estão angustiados e às vezes, deprimidos", completou. (bahianoticias).

24 de outubro de 2018

DIFERENÇA ENTRE MOTOQUEIRO E MOTOCICLISTA

Não importa a cilindrada de sua moto, o que importa é o "espírito"

Uma das maiores discussões do mundo das duas rodas é essa: qual a diferença entre motoqueiro e motociclista? É sabido que os motociclitas entendem como xingamento quem os chamam de motoqueiros e o motivo disso responde a essa grande pergunta. A explicação para essa diferença, é a seguinte: motociclitas encaram a moto como prazer, hobby, diversão e passeio, respeito às leis de transito e aos demais que também estão no trânsito como carros e pedestres. Já os motoqueiros, que geralmente utilizam suas motos (na maioria das vezes de baixa cilindrada) para trabalhar, quase não respeitam as leis de transito, são encrenqueiros e usam corredores entre os carros para se locomover. Claro, existem os motoqueiros que são profissionais e podem ser comparados com os motociclistas, mas entre eles (motoqueiros e motociclistas) se usa moto só para trabalho ou com irresponsabilidade, você é um motoqueiro. Mesmo se sua moto tiver mais de 1000 cilindradas. Em suma, quem ama sua moto, pode ser considerado um autêntico motociclista e é hoje, no dia deles, que essa diferença fica mais clara.

SAÚDE DE ITABUNA EM FRANGALHOS, TERÁ MAIS VERBAS DO GOVERNO TEMER

A UPA agoniza ante o Hospital São Lucas no caos

O prefeito e Itabuna, Fernando Gomes (Cuma), não poupa críticas e bravatas contra o presidente Michel Temer (MDB) e isto, no mesmo tempo em que “endeusa” o governador Rui Costa (PT). Mas, enquanto o governo do Estado não dá um só centavo para o custeio dos serviços de saúde pública da maior cidade sulbaiana, o secretário de saúde de Itabuna, Jozimar Salles Aguiar, conseguiu junto ao ministério de saúde do governo Temer, uma verba mensal para parte do custeio da UPA do bairro Monte Cristo. A verba será essencial para o funcionamento da unidade de saúde. Ele conseguiu a liberação de R$ 100 mil mensal para a UPA do Monte Cristo e 15 veículos para ampliar o suporte a rede da saúde. HOSPITAL SÃO LUCAS É FECHADO EM ITABUNA - A direção da Santa Casa de Misericórdia de Itabuna decidiu fechar o Hospital São Lucas. A secretaria de saúde informou que não tem recurso para pagar o valor mensal estabelecido pelo acordo feito na justiça. A prefeitura tem que repassar mensalmente R$ 750 mil para o funcionamento do Hospital São Lucas, como a secretaria informou que não tem como pagar, a unidade hospitalar não vai mais receber pacientes. Vale lembrar que no mês passado a cidade já tinha sofrido com o fechamento do Centro Médico Pediátrico de Itabuna (Cemepi).

ITABUNA E ILHÉUS JÁ TEM PREFEITURÁVEIS PARA 2020

Cacá, Cosme, Max e Mangabeira, são os
prefeituráveis já anunciados em Ilhéus e Itabuna
Ainda não acabou a eleição deste ano e os políticos já estão articulando candidaturas majoritárias para as eleições de 2020 em Itabuna e Ilhéus. Ontem, terça-feira (23), o ex-prefeito ilheense, Jabes Ribeiro (PP), declarou que não pretende ser mais candidato a prefeito, e que agora a prioridade é o nome de Cacá Colchões (PP) e já se sabia que o advogado Cosme Araújo (PDT) seria o prefeiturável para tentar suceder o atual prefeito, Mário Alexandre (Marão), do PSD. Em Itabuna, são dadas como fagas contadas, as candidaturas do médico Antonio Mangabeira (PDT) e do Professor Max (PSOL). Também é certo que os prefeitos Marão (Ilhéus) e Fernando Gomes-Cuma (Itabuna), dificilmente ousarão disputar reeleições estigmatizadas como fadadas ao fracasso. As demais candidaturas nas duas maiores cidades sulbaianas, dependerão de decisões do governador Rui Costa (PT) e do que será um possível governo de Jair Bolsonaro. 

BOLSONARO DIZ QUE VIOLÊNCIA JÁ PASSOU DO ‘ABSURDO’

Bolsonaro tem declarado que, com ele presidente, os grupos
de invasões serão tratados como perigosas facções terroristas!

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, tem afirmado em suas entrevistas, que a “violência no Brasil já passou da linha do absurdo há muito tempo” e que quanto mais se recua, “mais os criminosos avançam”. Ele defendeu mudanças no que chamou de “cultura de defesa dos direitos humanos”. Jair Bolsonaro não teve atividades de campanha na rua na manhã desta segunda. Ele continua conversando com os eleitores pela internet. “Somente transformando a cultura da defesa de direitos humanos que defende somente o direito de quem não era para ter tal representatividade excessiva é que iniciaremos o verdadeiro desenvolvimento social e econômico em nosso país”, disse em publicação no Twitter.

23 de outubro de 2018

BOLSONARO DIZ QUE PEGARÁ BRASIL ‘DESTROÇADO’ PELO PT

Só Bolsonaro poderá reduzir o petismo ao
tamanho que lhe cabe na história do Brasil

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, afirmou na manhã desta terça-feira, 23, em entrevista à Rádio Guaiba de Porto Alegre, que se as urnas confirmarem seu favoritismo neste domingo, 28, e ele vencer as eleições, vai pegar um “País destroçado, principalmente do ponto de vista econômico”. E culpou as gestões do PT por este cenário. Na sua avaliação, não é apenas o País quem sofre os reflexos da má gestão petista, mas também os Estados, que no seu entender receberão igualmente “a herança maldita do PT”. Bolsonaro alegou que a estratégia de sua campanha é não empenhar apoio neste segundo turno a candidaturas aos governos estaduais. “Manterei a neutralidade”, disse, sob alegação de que se for eleito no dia 28, vai governar para todos. Na entrevista, o candidato do PSL rebateu as críticas que estão sendo feitas à sua campanha, destacando que o PT não pode lhe chamar de corrupto. “Tudo que tinha de ruim e de terrorismo, na década de 80, quando eu já atuava no Exército, se juntou ao PT quando esse partido foi criado.” E disse que o adversário “prega a distribuição da miséria, quer controlar a mídia” e, por essas e outras razões, é oposição a esse tipo de pensamento. “Não às pessoas, porque elas mudam.” Além do PT, o capitão da reserva criticou também o PSDB, lembrando que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que não votaria em sua candidatura. “O PSDB e o PT são semelhantes. Eu sou a oposição a tudo isso”, emendou, dizendo que é esse o motivo de estar na liderança da preferência do eleitorado do País. Ele afirmou esperar que as urnas referendem isso no domingo. Bolsonaro falou também do episódio envolvendo seu filho, o deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro, que disse que para fechar o Supremo Tribunal Federal (STF) bastava um soldado e um cabo, dizendo que já o repreendeu e voltou às críticas ao PT. “Foi o PT quem falou em fechar os tribunais, com o controle da Justiça que está previsto em seu plano de governo. Não somos ameaça à democracia, ao contrário, somos a garantia da democracia”, destacou. Na entrevista, o candidato do PSL desmentiu que sua campanha esteja fazendo uso de pacotes de mensagens do WhatsApp contra o adversário, disse que é fake news a informação de que pretende cobrar mensalidade de universidades públicas e voltou a justificar a não ida aos debates em razão de seu estado de saúde. “Existe risco à minha saúde se eu ficar estressado. Além disso, não vou debater com o pau mandado do Lula”, disse. Bolsonaro reiterou que irá extraditar, dentro da lei, Cesare Battisti. “Vou mandar esse terrorista de volta pra Itália.”

GOVERNO GASTA R$ 200 MIL COM PALESTRA EM EVENTO DE CACAU EM SP

Cacau como lixo, rendendo luxo para políticos e governantes!

O governo da Bahia vai gastar R$ 200 mil para dividir com os ministros Blairo Maggi (Agricultura) e Edson Duarte (Meio Ambiente) palestras, durante evento Partnership Meeting, da Fundação Mundial do Cacau (WCF), nos dias 24 e 25 de outubro, no Hotel Hilton São Paulo Morumbi, em São Paulo. Conforme nota da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), da empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural, “não haverá estande”, mas a palestra vai mostrar “as potencialidades da Bahia na produção de cacau e chocolate, e do Turismo”. A estimativa do evento é reunir mais de 300 participantes, representando de 33 países: líderes, altos executivos e tomadores de decisão da indústria do cacau e chocolate, varejistas, governos de regiões produtoras, ONGs, institutos de pesquisa, dentre outros.

DEPUTADO DO PSL DIZ QUE BÍBLIA DADA A HADDAD FOI AO LIXO; PETISTA RELATA FURTO

Tão calhorda quanto jogar Bíblia no lixo, é a alegação de
que ela foi furtada por um deputado ligado a Bolsonaro!

O deputado estadual eleito André Fernandes (PSL-CE) publicou um vídeo no domingo (21), em que aparece com uma Bíblia na mão, enquanto critica o candidato à Presidência, Fernando Haddad (PT). Na gravação, ele diz que essa seria uma Bíblia que Haddad ganhou durante um comício em Fortaleza e que o livro sagrado teria sido encontrado no lixo.  O vídeo de Fernandes viralizou nas redes sociais na segunda-feira (22), gerando uma série de comentários negativos em relação ao petista. Em resposta, Haddad gravou outro vídeo, em que explica que o livro teria sido furtado, e que a declaração de Fernandes seria "mais uma fake news" contra a sua candidatura. A Bíblia que Haddad ganhou, segundo o candidato, foi retirada de uma sacola ainda durante o evento em Fortaleza no sábado (20). O petista esteve na Praça do Ferreira, no Centro de Fortaleza, para o comício no sábado. Na ocasião, ele recebeu uma bíblia como presente de um militante petista, identificado como Erineudo Lima. No vídeo gravado pelo deputado do PSL – mesmo partido do candidato oponente de Haddad, o capitão reformado Jair Bolsonaro –, Haddad é acusado de ter descartado o presente ainda durante o evento. "Olha só o que foi achado aqui no chão da Praça do Ferreira, a mesma Bíblia que ele recebeu de presente e antes que você diga que é mentira tá aqui a dedicatória", afirmou o parlamentar, que mostra uma dedicatória nas primeiras páginas do livro. Antes de gravar outro vídeo em resposta às acusações, Fernando Haddad comentou sobre o caso em uma entrevista coletiva, hoje cedo. O candidato afirmou ainda que o celular de um assessor também teria sido furtado, junto à bíblia.

MORO DEVE ACEITAR SER MINISTRO DO STF CASO BOLSONARO SEJA ELEITO

Moro é garantia de lisura no Poder Judiciário!
Cotado para ocupar uma das cadeiras do Supremo Tribunal Federal (STF) caso Jair Bolsonaro (PSL) vença o segundo turno da eleição à Presidência, o juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato no Paraná, estaria inclinado a aceitar eventual nomeação presidencial ao Supremo, por entender que a função de ministro de tribunal superior faz parte da trajetória de carreira jurídica, de acordo com a revista Valor Econômico. O magistrado não foi contatado por integrantes do núcleo mais próximo do candidato líder das pesquisas de intenção de votos para o Palácio do Planalto. Ainda segundo a revista, apesar de pessoas próximas de Bolsonaro já garantirem que Moro é o principal nome cotado para ocupar vaga no STF em um eventual governo do presidenciável do PSL, por ora não houve sequer sondagem ao magistrado que conduz os processos e inquéritos da Lava-Jato desde março de 2014. A aposentadoria compulsória no STF ocorre aos 75 anos de idade. Em novembro de 2020, o ministro Celso de Mello, atual decano da Corte, completará o tempo de aposentadoria. Marco Aurélio Mello entrará na compulsória em julho de 2021. Portanto, se eleito, Bolsonaro poderá nomear ao menos dois nomes para completar o quadro de 11 ministros que integram o Supremo. A ministra Cármen Lúcia já afirmou publicamente que pensa em se aposentar em 2019. Nessa hipótese, Bolsonaro poderia indicar até três pessoas para o STF, caso seja eleito presidente da República em 28 de outubro. Moro não tem interesse em entrar para a política, seja pelo Executivo ou Legislativo.

22 de outubro de 2018

BOLSONARO TEM 60%, HADDAD, 40%

Quanto mais o PT difama Bolsonaro mais o povo o quer presidente
O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, apresenta larga vantagem em relação ao adversário Fernando Haddad (PT), segundo pesquisa feita pelo instituto FSB, contratada pelo banco BTG Pactual. De acordo com o levantamento, divulgado nesta segunda-feira (22), o capitão da reserva tem 60% dos votos válidos, enquanto Haddad possui 40%. Os votos válidos excluem do cálculo os brancos e nulos. Já nos votos totais, que incluem brancos e nulos, Bolsonaro também lidera com folga. Veja abaixo os números, clicando em completa:
Jair Bolsonaro (PSL) – 52%
Fernando Haddad (PT) – 35%
Branco/Nulo – 6%
Ninguém/Nenhum – 5%
Não Soube/Não Respondeu – 11%
A pesquisa ainda mediu a decisão de voto dos entrevistados, ou seja, se o percentual de definição de voto do eleitorado. Veja os resultados:
Jair Bolsonaro (PSL) – 94%
Fernando Haddad (PT) – 90%
Ninguém/Nenhum – 74%
Branco/Nulo – 70%
O levantamento também auferiu a rejeição dos dois candidatos, ou seja, em qual deles o eleitor não votaria “de jeito nenhum”. Neste quesito, Haddad lidera. Veja os números:
Fernando Haddad (PT) – 52%
Jair Bolsonaro (PSL) – 38%
A pesquisa entrevistou 2.000 eleitores em 26 estados e no Distrito Federal, entre os dias 20 e 21 de outubro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, com intervalo de confiança de 95%. O registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-03689/2018.

PERDEMOS MARINO ALVES DE MOURA

Marino sempre foi um coroa que envelheceu com espírito jovem!
É com todo pesar que vimos trazer a triste notícia do falecimento de nosso querido amigo, Mrino Alves de Moura. Ele parte deixando-nos muitas lições de amizade, profissionalismo, sinceridade e humanidade. Com ele participamos da reorganização da Pastoral Carcerária e da comissão de criação do Conselho da Comunidade. E muitas foram as vezes, que Marino ajudou em ativvidades do GAPA, Grupo Humanus e tantas outras entidade filantrópicas de ações sociais e humanitárias. Marino fez Itabuna melhor. As pessoas são insubstituíveis em sua existência, e quando são especiais, além da falta que fazem àqueles que as amam, deixam o mundo mais pobre. Sem Marino, Itabuna perde um pouco do seu brilho, alegria, cor e liberdade de expressão. Não temos palavras para expressar os nossos sentimentos. Pedimos a Deus que conforte o coração dos familiares e amigos neste momento de dor. Que a luz e o amor divino pairem sobre a alma de quem sofre esta imensurável perda, e os console e lhes dê serenidade para atravessar esta tempestade. A Deus pedimos também que dê ao nosso amigo Marino, o merecido repouso eterno em seu reino. Muito respeitosamente, prestamos as nossas condolências e deixamos os nossos mais sinceros pêsames.

A ESTADUAL QUE SAIRÁ SEM NUNCA TER ESTADO

Nem sempre ser subserviente ao PT garante reeleição!
Nunca vi umbigo de Freira, mas sempre soube da sua existência. O umbigo em si, não serve para patavinas! É apenas a cicatriz deixada pelo cordão umbilical; não existe nenhuma ligação do umbigo com nossos órgãos e assim como um umbigo, o sul da Bahia possuía uma deputada estadual e como tal, sem nenhuma serventia, além da ocupação mequetrefe de espaço de corpo que não a pertence. Refiro-me a "evangélica" Ângela Souza (PSD). A dita cuja nasceu da crença inocente de milhares de religiosos, que acreditaram que teriam que eleger alguém, que jamais estaria sob acusação de pertencer a uma organização criminosa e que não se tornaria apenas em mais uma parasita e inútil na política para os interesses e demandas da região sulbaiana. Deram com os burras nágua, pois a "Irmã" Ângela, entrou e estará saindo do mandato de deputada estadual, por ter sido derrotada nas urnas eleitorais, sem ter correspondido às perspectivas de quem acreditou nela. Ângela sairá da Assembleia e entrará para história, como alguém que perdeu uma excepcional oportunidade de ter sido alguém. Ela foi e sairá como ter sido ninguém. 

21 de outubro de 2018

NO WHATSAPP UMA MENTIRA DITA MIL VEZES TORNA-SE VERDADE

“Fake news”: o poder de destruição de histórias inventadas!

Assim como ocorreu em 2014, as eleições de 2018 vão ficar marcadas pela confirmação das redes sociais como a principal “arena” de confronto entre as forças políticas. Enquanto a campanha de rua vem ocorrendo, relativamente, de forma morna, no universo virtual o clima é de guerra, e as armas são fotos, vídeos, memes, troca de insultos e divulgação de notícias falsas contra os adversários. Não que o fenômeno das redes sociais seja um mal em si. Graças à internet, é possível propagar mensagens de forma rápida e barata, atingindo um público numeroso quase instantaneamente. Em 2008, o Twitter foi o principal aliado do então candidato Barack Obama à Presidência dos Estados Unidos. No Brasil, as principais ferramentas são o Facebook e agora, mais do que nunca, o WhatsApp. O problema é que o fato de a internet proporcionar uma democratização da informação traz, como efeito colateral, a disseminação de notícias falsas. E não se trata da ação apenas de cidadãos agindo isoladamente, mas também é um trabalho executado por verdadeiras milícias cibernéticas, especializadas em plantar e espalhar notícias falsas. Baseiam-se no princípio de que uma mentira dita mil vezes torna-se verdade. Trata-se de uma guerra suja praticamente impossível de controlar. A situação é tão séria que integrantes do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) disseram na sexta-feira que as instituições brasileiras foram omissas diante dos atos de violência e da disseminação de fake news associados às eleições no País. A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, anunciou medidas de combate à disseminação de fake news nas redes sociais, para impedir candidatos e partidos de compartilhar conteúdo falso durante a campanha eleitoral. Há dúvidas de que tais medidas surtam efeito. A dificuldade no combate às notícias falsas é a velocidade no número de curtidas, que fazem com que as fake news sejam viralizadas para um grande número de pessoas em pouco período de tempo. De qualquer forma, não se pode assistir inerte a essa guerra suja, que é nociva à democracia.

QUEM VOTA NULO, OU EM BRANCO, FACILITA VITÓRIA DE CANDIDATO RUIM


Quem gosta de voto nulo, ou em branco, é político corrupto!
Visto como uma ferramenta de protesto, o voto nulo é objeto de mitos e mal-entendidos. Há quem diga que se mais da metade dos eleitores anularem seu voto, as eleições são anuladas e devem ser convocadas num prazo de 20 a 40 dias. Mas afinal, o voto nulo de fato expressa um protesto? Quanto eficaz é para demonstrar a insatisfação da sociedade com os rumos da política brasileira? É um equívoco traduzir, nos dias de hoje, “nulidade” por votos nulos. Uma coisa é a nulidade do voto e, outra, completamente diferente para o direito eleitoral, é o voto nulo. Para ter a nulidade do voto, é indispensável que o voto tenha sido, em algum momento, válido. Como acontece com os votos que tenham sido declarados nulos pela Justiça Eleitoral na hipótese de fraude, coação ou outra irregularidade que tenha acarretado a cassação do candidato eleito, por exemplo. É muito comum nos casos em que o candidato concorre sub judice e vence as eleições, mas, depois de eleito, a Justiça Eleitoral decide que ele não poderia ter concorrido, seja por que faltou um requisito para o registro de candidatura, seja por que cometeu alguma fraude durante as eleições. Quando as cédulas ainda eram em papel, tivemos alguns casos curiosos sobre o voto nulo, como é o caso do rinoceronte Cacareco. Nas eleições de 1959 em São Paulo, muitos eleitores escreveram o nome do rinoceronte na cédula e, se fosse válido, teria tido mais votos do que os “outros” candidatos a vereador. O protesto ficou registrado e ganhou repercussão na mídia, ainda que de forma humorada. Hoje, com a urna eletrônica, criar um candidato não é possível, mas ainda é possível anular o voto, como ocorre nos casos em que o eleitor digita um número que não corresponde a nenhum candidato ou partido e, ao invés de pressionar o botão corrigir, ele pressiona o botão confirma mesmo com o número errado. A Constituição determina que devem ser desconsiderados os votos nulos e brancos, não sendo computados para nenhum fim. Na prática, quanto mais votos nulos e em branco existirem em uma eleição, mais fácil será para um candidato vencer, pois diminui a quantidade de votos válidos e, consequentemente, também o total de votos suficientes para um candidato se eleger. Há os que questionam se o sistema eleitoral brasileiro de fato observa o princípio da soberania popular na democracia brasileira ao desconsiderar votos nulos e brancos, mas o fato é que, pelas normas atuais, a eficácia do voto nulo como método de protesto não é nada efetiva. Portanto, vale pensar cuidadosamente os métodos mais efetivos de protestar; e “não participar” não deve ser um deles.

O CONTRIBUINTE DEVERIA SER TRATADO COMO CLIENTE E NÃO COMO UM INCÔMODO INDESEJÁVEL

Onde há um cartaz como esse, o cidadão já sabe: será mal atendido!

Uma das características de uma sociedade ainda bem distante da cidadania é o exercício do autoritarismo, transvestido de uma autoridade constituída pela lei. A sociedade brasileira mantém um grande ranço autoritário, prepotente, dominador e escravocrata. Além disso, temos um sistema jurídico que deseja legislar sobre absolutamente tudo, deixando a impressão que somos uma sociedade imbecilizada e incapaz. O artigo 331 do Código Penal, Decreto Lei n. 2848/40 escancara essa situação: Art. 331 – “Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela: Pena – detenção, de seis meses a dois anos, ou multa”. Quem já frequentou alguma repartição pública certamente notou esse aviso. Em geral, ele está afixado em destaque e em tamanho indisfarçavelmente grande. O autoritarismo por trás desta lei me parece incontestável. Em primeiro lugar, o “funcionário” público deveria ser chamado de servidor público, pois ele está lá, “apenas”, para atender os contribuintes que, através dos impostos arrecadados, pagam seus salários. Em grande parte das vezes, o contribuinte precisa recorrer ao “serviço público” para resolver problemas que a própria burocracia pública criou. É evidente que não se deve desacatar ninguém, em nenhuma circunstância. Mas quem determina o que é um desacato? Também é evidente que não devemos generalizar e, certamente, há milhares de bons e eficazes servidores públicos. Mas é notória a grave improbidade administrativa governamental. O eventual descaso no atendimento é uma falta de consideração com o contribuinte e ele tem que aceitar isso por força de lei? Não me parece ser razoável. Os serviços públicos deveriam ser avaliados pelos contribuintes de acordo com seus préstimos à comunidade. E os melhores servidores deveriam ser promovidos e os constantemente mal avaliados deveriam ser afastados. A meritocracia deveria imperar como em qualquer outra entidade que presta um serviço a quem quer que seja. Jamais o serviço público deveria ter tanta ingerência política, pior ainda partidária, que apenas prejudica a população e é uma fonte de corrupção. Mesmo com os nossos seculares problemas, a sociedade brasileira precisa se aproximar do século XXI, no qual os serviços estão cada vez mais informatizados e a população é tratada de forma mais igualitária, mais solidária, mais humana. Quando os governantes usarem transporte, saúde e escolas públicas, certamente os serviços irão melhorar. Talvez um dia todos saberão com que estão falando: com um cidadão ou cidadã que tem os mesmos deveres e direitos perante a sociedade e a comunidade. Todos efetivamente serão iguais perante a LEI, justa e igualitária.

A ESCRAVIDÃO PERSISTE

Até crianças há em ação análoga ao de escravo no sul da Bahia

Estamos em pleno século 21 e ainda existem trabalhadores em situação semelhante à escravidão. O trabalho análogo ao de escravo representa grave violação aos direitos fundamentais, aos direitos trabalhistas, às normas de segurança e saúde no trabalho. Principalmente, é uma afronta à dignidade e à cidadania de todos os trabalhadores. Não se trata de uma exclusividade de países em desenvolvimento ou pobres, mas existe em todas as economias do mundo e aparece sob as mais diversas formas. O Brasil foi um dos primeiros países a reconhecer o problema perante a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e criou o grupo móvel de fiscalização, formado por fiscais, procuradores do trabalho e policiais federais e atende denúncias em todo o País. Mesmo assim, a prática persiste. Sem fiscalização, instaura-se um círculo vicioso de precariedade, de pobreza, exploração e falta de condições de consumo. Além disso, existe o compromisso internacional de combater o trabalho escravo que não vem sendo cumprido integralmente. O poder público precisa combater essa chaga social e impedir que ainda vigorem no País relações de trabalho que remontam ao período colonial. Para que esse ciclo vicioso seja rompido, são necessárias ações que vão além da repressão ao crime. São igualmente necessárias políticas públicas de assistência à vítima e prevenção para reverter a situação de pobreza e de vulnerabilidade.

O SENTIMENTO DE FÉ NOS FORTALECE E PROPORCIONA A HARMONIA DOS AFETOS QUE ORIENTAM NOSSA VIDA

Para que tenhamos harmonia, acima de tudo, é preciso ter Fé!

O conhecimento representa o ponto inicial dos contatos humanos. Um caminho que nos conduz em direção ao âmago das coisas e dos valores que nos cercam. Será sempre necessário conhecer para depois descobrir afinidades e motivos para querer. Essa descoberta possui o sabor de novidade e de promessas. A vida se compõe da incessante busca de motivações que engrandecem o nosso viver. Vivemos para descobrir aliados e afeições. O trajeto da existência humana sugere cumplicidades que favorecem a superação dos obstáculos dos caminhos. O coroamento das jornadas conta sempre com essa participação, com essa união de forças, indispensável à realização de nossos ideais. Definida parceria, os caminhos se tornam fáceis e as imagens mais próximas de nossa imaginação. Pequenos mistérios se revelam aos nossos olhos e certos argumentos tomam conta de nossos corações. O êxito da jornada depende da percepção e da capacidade de assimilar um contexto de emoções. As verdadeiras descobertas realizam nosso destino e servem para consagrar as alegres jornadas. Vivemos embalados pelas amáveis esperanças. Sorrir e aguardar os bons acontecimentos ajudam a vencer os obstáculos existentes nas decisivas jornadas. Cultivamos pequenos sentimentos que se tornam argumentos dos espaços onde brilham nossas vidas. Tudo colabora para justificar nossa missão, que se engrandece pelo humanismo e pelos princípios que nos transformam em pessoas mais fraternas e solidárias. Este culto gera crescimentos fraternos que nos tornam mais próximos e capazes de fazer uma revolução de sentimentos capaz de unir corações e ideais. Devemos viver para transformar o mundo em uma realidade mais fraterna e humana. Cada um de nós possui uma grandiosa missão a cumprir na terra apesar dos imensos obstáculos que ameaçam nossa caminhada. As adversidades valorizam nossos passos. Cobram decisões que exigem esforços e discernimentos. Sugerem criatividades que humanizam o trajeto e nos aproximam das metas colimadas. Nos trajetos alcançados ficam registradas as marcas de grandes esforços e do destemido ideal que faz palpitar nossos corações. Será sempre necessário acreditar nos projetos que nos aproximam do futuro e de nossos ideais. Esta confiança gera união, força e vitória. E nos proporciona celebrar a consagração dos esforços de uma longa caminhada de idealismo e esperança.

VANE NÃO SUCUMBIRIA SE LESSE E PRATICASSE MAQUIAVEL

Se lessem e praticassem Maquiavel, Vane e Cuma, talvez
não estivessem atualmente como "chute no saco do povo"

É preciso colocar os óculos do tempo para ler O Príncipe, de Nicolau Maquiavel, o filósofo italiano que há mais de 500 anos escreveu a obra na qual detalha como um governante pode chegar e se manter no poder. Seu famoso tratado completou cinco séculos e, em muitos aspectos, continua atual. Não respeitar os conceitos maquiavélicos, sempre resulta em disssabores políticos. Recorro a este fato, para recordar a malfadada oportunidade que tivera o então prefeito Vane do Renascer, em Itabuna. Suas decisões, indecisões e frouxidões, mostraram que um principais conselhos aos governantes foi esquecido por ele: estar atento ao povo. "A um príncipe é necessário ter o povo ao seu lado", insistia ele. "De outro modo, ele sucumbirá às adversidades." Descumprir promessas se preciso, agradar ao povo e saber fazer alianças são exemplos dos ditos do autor - os mesmos, por sinal, que o tornaram tão famoso e incompreendido. Cinco séculos atrás, o filósofo alertava para as sutilezas com que essas ações deveriam ser colocadas em prática. Vane não deve ter lido a parte em que Maquiavel coloca que política é um território traiçoeiro e que nem sempre uma conduta marcada por princípios rígidos leva aos melhores resultados. Vane, então, compreenderia bem quando políticos fazem alianças com partidos com linha ideológica diferente ou quando oferecem cargos em troca de apoio nas eleições. E saberia que o que Maquiavel fez foi chamar atenção para a imperfeição do homem, para o jogo de interesses, apontando essas nuances como refletexo na ação política e administrativa. Vane não conseguiu entender que a continuidade de um governante no poder exigiria mais que alianças e boa retórica e por isso Maquiavel recomendava sensibilidade para reconhecer os anseios do povo. Na prática. O Príncipe foi escrito num período monárquico, de reinados hereditários ou obtidos pelas armas. Ao longo dos seus 26 capítulos, Maquiavel fez comentários como: "Os príncipes devem encarregar outros das ações sujeitas à insatisfação, mas assumir eles próprios aquelas concedentes de deleite ". As práticas descritas no livro tratam de como conquistar e manter o poder. No caso de Itabuna, se pegarmos os últimos governantes, talvez o que não tenha seguido o caminho descrito por Maquiavel tenha sido o evangélico Vane do Renascer. Ele usou suas armas para conquistar o poder, mas não soube se manter no cargo. Vane pecou quando se submeteu à condição de décima quinta pessoa depois de ninguém, ao terceirizar seu governo e fazê-lo chamuscado pelos comunistas. De Maquiavel continua vivo no atual prefeito Fernando Gomes, justamente o que não é dele: "Políticos ainda estão no universo pré-maquiavélico, do apego às técnicas de dominação sem a percepção do que pode ser feito de democracia, de soberania popular. Talvez seja o caso de os políticos, estejam na base ou na oposição, relerem Maquiavel, mas com as lentes do século 21.