Máscara

Camara

oi

oi

31 de outubro de 2017

CUMA PARECE NÃO SABER QUE TIME RUIM NÃO GANHA JOGO


Nem parentes burros Cuma deixou de fora do governo!
Se houvesse que se definir uma só palavra, para revelar o que está faltou para uma melhor composição do secretariado do governo municipal, na maior cidade do sul da Bahia, está com absoluta convicção seria... Equilíbrio. O atual prefeito de Itabuna, Fernando Gomes (Cuma), já deveria ter aprendido está lição, pois há mais de 30 anos ele está à frente de Administração Pública. Uma equipe apenas com políticos sem qualquer domínio técnico, é uma catástrofe e quando faltam políticos e técnicos no comando de um governo, o caos é muito maior. Seria essencial para Cuma, ter nomeado secretários e dirigentes de autarquias e empresas estatais que tivessem domínio da área que iriam administrar. É claro que em determinados órgãos e entidades estatais, bastaria ao dirigente máximo, saber montar uma boa equipe técnica e saber gerir sua equipe. Por isso em alguns casos um dirigente que não domina a área, sabe gerir pessoas que fazem uma boa gestão. Ter membros do governo apenas do corpo de servidores estatutários, também seria muito ruim. Muitos seriam corporativistas e fariam uma gestão com os olhos voltados primeiro para os interesses dos próprios agentes públicos. Seria ruim também, contar apenas com agentes políticos teóricos, sem qualquer experiência de Administração Pública. Isto poderia ser um desastre, pois experiência prática também é decisiva para um bom exercício de administração pública. Alguns políticos são ótimos teóricos, mas péssimos administradores. Secretários e dirigentes apenas com experiência na gestão privada, poderia ser um erro ainda maior do Cuma. Não é possível comparar a administração privada da administração pública. Nas empresas e entidades privadas o gestor pode fazer tudo o que não for proibido (princípio da legalidade aplicável no direito privado). Na Administração Pública o gestor pode fazer apenas aquilo que estiver previsto em lei ou no ordenamento jurídico. Ou seja, as licitações, concursos públicos, respeito ao orçamento e legislação fiscal, princípio da publicidade, entre outros, devem ser geridos por alguém que entenda que o interesse público se sobrepõe ao interesse privado. Administrar uma empresa privada cujo lema é o “cada um por si” não é a mesma coisa do que administrar interesses públicos. O prefeito de Itabuna deveria ter buscado para compor seu secretariado e alta cúpula das entidades da Administração indireta, pessoas que tivessem experiência política, com conhecimento teórico e prático, com conhecimento de gestão pública. Isto explica o motivo do seu governo está em estágio deplorável no conceito da maioria dos itabunenses. Cuma misturou alhos com bugalhos, quando decidiu compor sua equipe de assessores, apenas com parentes e aderentes, com baixo nível técnico e político!

ITABUNA GASTA MAIS COM LIXO, QUE COM DESPORTOS

Como gestor Cuma não tem  marcado nenhum gol
Muitas vezes me perguntam por que o esporte é tão importante? E porque investir no esporte? Respondo, que para começar, é necessário ter consciência de que o esporte é base de tudo. É base da educação, da saúde, da qualidade de vida, da cultura, da segurança, desenvolvimento social e etc. Todo Governo disponibiliza sempre uma verba menor ao esporte, o que é errado, pois se é a base de tudo, é preciso estruturar. Existe um estudo, que todos os gestores do esporte conhecem, que para cada 1 real investido no esporte, é um a menos que precisa ser investido na saúde. Fato, se você prática esporte terá uma vida saudável. Isso acontece em outros setores também. Por isso é tão importante o incentivo ao esporte. O esporte exige disciplina e dedicação. Quanto mais cedo começa a se praticar esporte, mais cedo vai aprender a ganhar, perder, e respeitar o adversário. O mercado de trabalho não é uma competição? Então, desde cedo é preciso aprender a competir de uma forma sadia. Esporte é inclusão social, permite que todas as raças, cores, classes sociais se unam ajudando uns aos outros, sem preconceito. Esporte é educação. Por isso o incentivo ao esporte é tão importante. O mesmo governo que gasta quase dois milhões de reais mensais em contrato com empresa de limpeza pública, é o mesmo que não investe metade da metade desse valor, por ano, nos esportes dentro das escolas e em muitas delas falta uma estrutura física que possibilite essas atividades. Muitas escolas sequer possuem quadras esportivas e projetos de desportos. E mesmo aquelas que tem espaço físico, não há na carga horária dos estudantes a inserção de um programa de incentivos à prática esportiva, não se cria condições para que a juventude se interesse pelos esportes e possa fazer disso sua profissão, na sua vida adulta. Ser atleta acaba sendo realidade somente para as pessoas que tem poder aquisitivo ou recorrem à projetos sociais ou a carreira militar. Como foi o caso de muitos atletas brasileiros nas Olimpíadas. Cerca de 1/3 da equipe olímpica brasileira pertenciam as Forças Armadas. A falta de investimento em uma educação que proporcione diferentes oportunidades faz com os poucos jovens que se interessem tenham que recorrer a carteira militar. Que as escolas tenham uma educação que aos jovens pode ser dada a liberdade de poder ser o que quiserem! Que a juventude tenha acesso ao esporte, cultura e lazer!

30 de outubro de 2017

VEREADOR CURURU PREJUDICA EDUCAÇÃO EM ITABUNA

Só vereador louco para ser contra escola!
O vereador comunista Jairo Araújo, ratificou no Programa Meia Quatro Zero (Rádio Difusora), da última última sexta-feira/27, sua posição intransigente de fazer o prédio onde funcionava a octogenária Escola Lúcia Oliveira, servir apenas como sedes de sindicatos, cujos dirigentes são filiados do PCdoB. Para o vereador, as atividades de um sindicato, são muito mais relevantes para a sociedade itabunense, que a volta de funcionamento da mais antiga escola pública de Itabuna, que deixou de manter suas atividades, em decorrência da decisão criminosa e estapafúrdio do ex-prefeito, Claudevane Leite ("PCdoB"), que atendeu exigência dos comunistas, para fechar a escola e doar seu prédio, para uso de sindicatos. Como consequência da inflexibilidade do vereador, o Programa Meia Quatro Zero, realizou no dia seguinte, sábado/28, uma enquete sobre a posição dos seus ouvintes em relação a esta questão. A pergunta foi apenas uma: "Na sua opinião, o prédio onde funcionava a Escola Lúcia Oliveira, deveria voltar a ser escola, ou sede de sindicatos"? 30 ouvintes foram ouvidos em 30 minutos. 29 se posicionaram favoráveis a Escola e apenas um se disse a favor do prédio permanecer como sede de Sindicatos. Este deve ser o resultado que revelará qualquer pesquisa de opinião sobre este assunto, em qualquer parte da cidade de Itabuna. E demonstra o quanto comunistas são prejudiciais a maior cidade sulbaiana. No governo anterior, fizeram de Claudevane Leite, um prefeito "zero à esquerda", marionete, fantoche, boneco de ventríloquo e aloprado, ao impor submissão na secretaria de Educação, com consequência de retrocesso no setor e extinção de 10 escolas em apenas um dia. Entre elas estava a Lúcia Oliveira. Hoje sabemos que a pretensão era acabar com escolas, para terem estruturas físicas gratuitas, para funcionamento de sedes para seus sindicatos. E isto é muito ruim para a Educação dos itabunenses e revelador do quanto um vereador pode se transformar em traidor e constrangedor para o povo de Itabuna. 

OS POLITICOS NÃO SÃO BONS DEPOIS DE ELEITOS, COMO ERAM QUANDO QUERIAM SE ELEGER


Para se eleger, todos políticos se fingem de super heróis!
Não são raros os políticos caras de pau. Ao contrário, existem aos borbotões pelo território nacional, estadual e principalmente, aqui em nossa região cacaueira. Claro, existem exceções. Mas, na nossa vida pública, elas só servem para confirmar a regra. E esta, é de político cara de pau ou, se preferirem, político óleo de peroba. Identificá-los não é difícil, dadas suas características peculiares. São sempre sorridentes. Tanto faz estar na chuva como no sol, o político cara de pau estará sempre com aquele sorrisão no rosto, como a dizer-nos de sua imensa satisfação de ali estar. O sorriso é como seu cartão de visita e seu passaporte. Mas não é só o sorrisão! O político cara de pau também tem entre suas características, a do tapinha nas cotas. O conheça ou não, ele terá sempre um tapinha nas costas para você, como se íntimo fosse! Outra característica do político cara de pau é eleger-se e tomar doril no meio do mundo. Geralmente ficam em Vitória da Conquista, Salvador, Brasília e, com a desculpa esfarrapada de que estão trabalhando pelo povo, o que nem sempre se configura verdadeiro, esquecem-no nos rincões da nossa periferia em que antes eram visitantes frequentes! Então, fica mais fácil identificá-los: insistentementes sorridentes, sempre com tapinhas nas costas e desaparecidos e enriquecidos depois de eleitos. Mas, indefectivelmente, todo político cara de pau tem um sinal intrínseco à sua existência: de tempos em tempos, em geral de 2 em 2 ou de 4 em 4 anos, aparecem e somem com a rapidez de um raio, não sem antes darem entrevistas palpitando sobre tudo e todos, como se conhecessem do que e de quem falam! Criticam, elogiam, analisam, apontam caminhos e dão lições. Mais parecem moradores daquelas localidades tamanha a sua identificação com a rua, o bairro e a cidade. Vão às rádios, dão entrevistas, tiram fotos, visitam correligionários, fazem em dois dias, no máximo, o que só voltarão a fazer daqui há dois ou quatro anos. E assim, caras de pau, vão conseguindo se manter em cargos eletivos pela ingenuidade de nossa gente, fruto da falta de escolaridade de nosso povo. Mas um dia o eleitor terá educação escolar e, raciocinando politicamente, verá que o político cara de pau é um enorme mau para a vida pública. Mais dias, menos dias, os cupins chegarão!

ITABUNA PERDIDA NO MAPA DA DIGNIDADE À SAÚDE


O reinado de Cuma tem arruinado a Saúde de Itabuna
É proibido adoecer em Itabuna. Parece dramático, mas, se você espera ser bem atendido em um momento de dor e fragilidade e, principalmente, ter seu problema resolvido, vá por mim: não adoeça na maior e mais rica cidade do sul da Bahia. O conselho – que obviamente é retórico, já que essa não é uma escolha possível – parte de quem já vivenciou diferentes experiências médicas em hospitais públicos e clínicas privadas de Itabuna. O péssimo atendimento não é exclusividade da sempre criticada saúde pública. E tenho certeza de que todos têm histórias para reforçar o que digo. Na última terça-feira, meu amigo Jonas Ribeiro viveu um drama do cotidiano, desses bem experimentados pelos itabunenses. Esperou por uma consulta médica de emergência por quase três horas. Vejam bem, emergência. Aguardou uma hora apenas para contar o que sentia à equipe da triagem de um do Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães. Depois, outros 40 minutos se passaram até que a equipe da burocracia decidisse (sim, porque eles conversavam sobre “assuntos internos” enquanto pacientes esperavam) chamá-lo para assinar papéis. Por fim, após mais uma hora, o clínico geral o chamou. Meu amigo sentia uma forte dor de garganta e febre. Um problema simples diante da dor e do desespero de tantos outros pacientes que, mesmo em situações graves, não encontram socorro nas unidades de saúde. A espera pode custar a vida. O sentimento neste momento, é que os governantes não tem responsabilidade em oferecer um serviço de saúde decente à população. Mas e quando a incompetência é da rede privada, onde se paga ainda mais caro para um suposto acesso mais pronto e eficiente aos serviços? Se pacientes são transformados em clientes, cada vez mais, esses consumidores vão exigir seus direitos como tais. Nós, a população que depende de um ou de outro atendimento, não devemos nos calar. Temos de contar os absurdos que vivemos, as longas esperas que enfrentamos, a falta de zelo dos profissionais que nos recebem em momentos de fragilidade. Até quando, da emergência ou para a solução de uma doença grave, teremos de acionar a Justiça para o que deveria ser uma garantia universal?

29 de outubro de 2017

GUSMÃO REPUDIA DISCRIMINAÇÃO DE RUI COSTA CONTRA RADIALISTAS

Rui deu as costas para o bom senso no uso das palavras!
O prefeito de Vitória da Conquista, Hezem Gusmão, rebateu as declarações do governador Rui Costa ao Blog do Anderson. Em entrevista ao programa Papo Correria, Rui disse: "Você gosta de polêmica e foi para o blog, vai ser radialista que é o caminho de quem gosta da polêmica e quem gosta de cuidar do povo, aí sim, vai ser prefeito, vai ser governador para cuidar do povo e cada macaco no seu galho funciona melhor". Em resposta, o prefeito de Vitória da Conquista disse ter considerado a declaração de Rui Costa "preconceituosa". “Lamentar o comentário preconceituoso e tem radialistas da cidade que gostam. Não tiveram ainda a sensibilidade de sentir que há uma discriminação. É um tratamento preconceituoso”, disse Herzem Gusmão, que já foi locutor de rádio. “Com essa ferramenta eu eduquei meus filhos. Eu tenho três filhos formados, graças a Deus e graças ao microfone e quero voltar ao rádio”, disse o prefeito que completou afirmando que “O povo de Conquista me deu uma licença. Eu recebi quase 100 mil votos. Então lugar de quem tem quase 100 mil votos é na Prefeitura”.

LÚCIO VIEIRA LIMA EMPREGA PILOTO DE AVIÃO DA FAMÍLIA COMO ASSESSOR NA CÂMARA


Não há ebó que faça Lúcio não se juntar a Geddel no xilindró!
O piloto de um avião que pertence a família Vieira Lima foi empregado como assessor na Câmara pelo deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB). De acordo com informações da Folha, Francisco Cezar Martins Meireles é lotado como secretário parlamentar com salário de R$ 14,3 mil desde março de 2017, período em que fez pelo menos sete voos no comando da aeronave PT-LKB, modelo Cessna 40, aeronave que está em nome de Afrísio Vieira Lima (morto em 2016), pai de Lúcio e do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB). Os irmãos Lúcio e Geddel são alvo de inquéritos que investigam a ocultação de R$ 51 milhões encontrados em um apartamento em Salvador que, segundo a Procuradoria, seriam provenientes de propinas. Geddel está preso preventivamente em Brasília.