Máscara

Camara

oi

oi

31 de janeiro de 2018

QUAL SUA OPINIÃO SOBRE QUEM GRITOU BARRABÁS?

Lula se tornou o campeão mundial de "encantador de jumentos"
Se essa pergunta fosse dirigida apenas para quem apóia, vota e defende o ex-presidente Luiz Inácio Luiz da Silva (PT), condenado por corrupção e formação de organização criminosa, a resposta unânime seria de indignação e exacerbada ojeriza. Todos diriam, que apoiar, votar e defender Barrabás, o candidato do governador Pôncio Pilatos; Herodes e Caifás, seria tão abominável, quanto inimaginável, para quem é gente do bem. Quando nossos ancestrais gritaram Barrabás, fizeram com que o Estado tivesse o amparo popular, para condenar, torturar e matar Jesus Cristo. Neste lamentável episódio, sempre foi muito fácil saber quem simbolizava o bem e o mal entre Jesus e Barrabás. E nossos ancestrais erraram ao preterir o primogênito de Deus, por quem representava satanás. Mas o que nos causa perplexidade, é a suspeita que não evoluímos nestes passados dois mil anos. Permanecemos gritando Barrabás. A comprovação deste fato, está nos esbravejamentos de petistas e comunistas, apoiando, votando e defendendo Lula, no mesmo tempo em que satanizam e pedem a crucificação do digno, honrado e ético juiz Sérgio Moro. É óbvio, que jamais pretenderíamos assimilar Moro a Cristo. Há neste contexto uma distinção enorme. Mas não há dúvida, que Lula, fidedignamente, personaliza Barrabás, nos tempos atuais. Esta realidade requer nossa reflexão e não cabe nela, omissão, ou lavada de mãos!

QUE DEUS NOS LIVRES DAS GARRAS DAS AVES DE RAPINA DO PLANALTO


Se o povo continuar votando errado a crise se agravará!
Somente para ficar aqui no bairro onde moro: assaltaram uma farmácia por duas vezes em três dias seguidos; diversas residências tiveram o mesmo destino, nos últimos dias e reforçaram a segurança dos prédios por conta de várias tentativas de invadi-los. Outro dia os jornais anunciaram que um restaurante foi assaltado e seus clientes ficaram sem suas carteiras e documentos pessoais. Um vexame! Os roubos de carros crescem exponencialmente. O dilema é o seguinte: se ficarmos em casa corremos o mesmo risco que se estivéssemos nas ruas. A sociedade está presa num círculo vicioso. Os malfeitores são presos e soltos em seguida, por causa de fatores como a superlotação de presídios. O que fazer, meu caro leitor? O primeiro impulso é ir para o exterior, ser feliz em outro País. É certo que muitos fizeram ou vão fazer este caminho. Entretanto, a grande maioria do povo brasileiro que vive aqui não sabe, não quer e nem tem para onde ir. Mas o que eu vou fazer do outro lado do mundo. Eu não guardei nada lá! É aqui a minha terra, a minha pátria, o meu berço e eu não quero morrer de tédio, solidão fora daqui. Enfim, acostuma-se com tudo, até com o sofrimento! Sintoma de um masoquismo involuntário! A impressão é que estamos em marcha batida para o caos. Se esta afirmação for verdadeira, é preciso esperá-lo, pois assim começará a tão sonhada ordem, como afirma um provérbio chinês. A violência é apenas um dos mais graves problemas que temos. Não cabe a mim e nem a você que me lê encontrar soluções para a violência e para outros tantos e tão graves problemas que assolam o País! Olho para cima, para baixo e de lado e não vejo quaisquer das lideranças que almejam o mando, nas próximas eleições de outubro, uma promessa segura de nos tirar deste beco sem saída. Tomara que por aqui na Bahia tudo não continue como dantes no quartel de Abrantes. A Câmara normalmente renova em torno de 40% dos seus membros. Não encontrei dados percentuais de renovação do Senado que nesta legislatura é de 2/3. Entretanto, creio que o percentual deve se igual ou parecido com o da Câmara. Então qualquer candidato que se eleger presidente da República irá encontrar dificuldades para governar com o fisiologismo endêmico das casas de leis. O famoso toma lá dá cá. Este é o Brasil brasileiro! Precisamos desesperadamente de administradores e gerentes eficientes da coisa pública. E vou mais além, precisamos de reformadores! A sorte está lançada. Espero que o Criador nos livre de cair nas mãos de um capeta como o que já fez lambanças pelas bandas do Palácio do Planalto trílex de Guarujá e Sítio de Atibaia.

O ESTADO NÃO PODE PERMANECER REFÉM DOS CRIMINOSOS


Os criminosos estão subjugando o Estado e o povo é quem sofre!
O Brasil já está em guerra contra os criminosos e está perdendo. Em apenas três semanas são assassinadas no Brasil mais pessoas do que o total de mortos em todos os ataques terroristas no mundo nos cinco primeiros meses de 2017. Ao todo, foram mais de 59 mil homicídios. São seis mortes por hora. Como comparação, a Guerra da Síria já matou mais de 340 mil pessoas desde seu início em 2011, uma média de 56 mil por ano. Aqui no Brasil, a criminalidade já virou rotina e a naturalização desta situação aumenta a falta de cobrança de uma solução pelas as autoridades. Esta soma de fatores nos levou ao longo de anos de má administração até a calamidade atual. Estados sem dinheiro não conseguem investir em nada, inclusive na segurança. A situação de Rio Grande do Norte e Ceará são exemplos desta triste fórmula a eclodir. É neste ponto que a criminalidade deixa a periferia e toma conta do Estado. E é só neste momento que percebemos o problema. Os estados continuam quebrados ou mal administrados. Remedia-se e abafa, mas não acaba com o problema. É uma doença onde se cuida apenas dos sintomas, sem tratar realmente a causa raiz. Com isso, as dores passam, mas voltam piores quando o tratamento superficial não faz mais efeito. Enquanto não houver uma conscientização da população para cobrar soluções e os governantes tiverem mais responsabilidade pelos seus gastos, continuaremos perdendo essa Guerra e seguiremos sentados na frente da TV, preocupados com a crise de Lula ser preso ou não!

ESTÃO FAZENDO DA POLÍTICA “PIADA DE MAL GOSTO”!


Os maus políticos estão fazendo a política ficar emporcalhada!
Apesar da Justiça ter histórico de mandar prender após condenação, o corrupto e chefe de quadrilha de bandidos do colarinho branco, Luís Inácio Lula da Silva que teve a pena aumentada, chegando a 12 anos e um mês, mas ainda está em liberdade. Continuará assim até que se esgotem os recursos possíveis. Agora, não se sabe se poderá ou não concorrer à presidência da República nas eleições deste ano. Se as chances diminuem, as discussões, com certeza, vão aumentar e por todos os cantos, da Justiça às mesas de bares. Lula fica mais longe de se eleger por causa de uma lei contra a corrupção que ele mesmo criou, quando presidente da República, a chamada Lei da Ficha Limpa que, na verdade, os eleitores brasileiros ainda não sentiram de fato a sua validade. Será que agora vai? Com as investigações da Lava Jato, com milhões de propinas filmadas, com os escândalos vindo à tona, surgiram os nomes, centenas deles e, dentre eles, o de Lula. Os "amigos" se digladiaram na Justiça. Foi um salve-se quem puder. Nunca se ouviu falar tanto em delação premiada. Já pelas ruas, os eleitores de Lula ainda têm força para gritar, negam as acusações e seguem as coordenadas do partido. Infelizmente, nem sempre os militantes recebem boas orientações. A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, incentivou os apoiadores ao "radicalismo" e até matar opositores nas ruas e praças das cidades brasileiras. A condenação do primeiro ex-presidente do Brasil ocorreu 25 anos após o primeiro impeachment de um presidente no país, Fernando Collor de Melo, que cumpriu apenas a suspensão de 8 anos de inelegibilidade política. Collor voltou ao mundo político, e logo foi acusado de participação na Lava Jato e, agora, lança seu nome, outra vez, como candidato à presidência da República. Às vezes, as notícias da política parecem piadas. Mas, infelizmente, não são.

ITABUNA PRECISA DO DESPERTAR DA SUA GENTE


Enquanto os "Cumas" ganham, os itabunenses só perdem!
Crítica é melhor do que autocrítica, pois é muito menos dolorido julgar os outros do que a si mesmo. No entanto, tem hora em que somente a autocrítica é capaz de evitar que os desastres continuem a acontecer. É neste sentido que se mostra oportuno pensar sobre três coisas que atrapalham diretamente o desenvolvimento de Itabuna, as quais estão ligadas diretamente a maioria absoluta do povo itabunense e não propriamente aos políticos como os crápulas do Fernando Geraldo e os mequetrefes Vane e Azevedo. A primeira delas é ser um povo sonolento, incapaz de ver a realidade como ela efetivamente se apresenta. Dormir, mesmo que em berço esplêndido, eternamente, não é vantagem alguma. A segunda, igualmente danosa, é ser um povo que não se cansa de continuamente falar mal do lugar onde vive, como se o maldizer fosse útil para mudar as coisas que devem ser mudadas. A terceira, ser um povo que espera que os outros façam por ele o país que ele mesmo deve fazer para si. Sim, a terceirização neste caso não funciona, pois quem quer, como diz a música, faz a hora e, também, o país. E quase 50 mil eleitores não votaram em nenhum dos nove prefeituráveis em 2016 e este contingente é superior aos 34 mil votos obtidos por Fernando Gomes (Cuma) que assim foi eleito para seu quinto mandato. Esse tripé da maldade - dormir, maldizer e terceirizar- está impregnado na alma do povo  itabunense e não nos políticos que, contrariamente a tudo isto, está acordado, vê a prefeitura de Itabuna com potencial de ser explorada e trabalha pessoalmente na construção do que lhe interessa. A autodefesa burra que o povo exerce ao dizer que o problema está no político e não nele faz com que as coisas continuem do jeito como sempre foram, numa retroalimentação do caos ao patrocinar o mal que o aflige e faz sofrer. Para que tudo seja diferente do que quase sempre foi, é preciso que o tripé da maldade seja imediatamente erradicado da forma de pensar do povo de Itabuna, sem o que o futuro não será diferente do passado e presente. Deste modo, em primeiro lugar o itabunese precisa parar de falar mal de Itabuna, pois ninguém é capaz de gostar daquilo que acha ruim. Aliás, seria patológico alguém gostar do que desgosta. Se Itabuna for malvista pelos próprios itabunenses, eles permanecerão a entregando nas garras de aves de rapina daqueles que a veem bem. E, convenhamos, Itabuna é rica em coisas boas, mesmo que os maldizentes, com tapa nos olhos, continuem a proclamar de tudo. Em segundo lugar, o itabunense precisa acordar para tomar pé da situação do seu município, saindo em busca de informações úteis para inteirar-se da realidade que o cerca, ao invés de se deleitar com as chamadas fake news (mensagens mentirosas ou montadas) que viralizam na internet. Em terceiro lugar, o itabunese deve pôr mãos à obra para mudar o município no qual vive, evitando terceirizar esta tarefa para a classe política que vem provando, há muito tempo, que não se importa em construir uma Itabuna para os outros. É tempo de despertar, é tempo de trabalhar, é tempo de levar a sério a cidadania que se compõe do binômio direitos e deveres, embora muitos gostem de falar somente dos seus direitos. Vale lembrar aqui apenas duas, dentre tantas, das famosas leis de Murphy, a primeira que garante que "se alguma coisa pode dar errado, dará" e, a segunda, que sustenta "que se há possibilidade de várias coisas darem errado, dará errado a que causar mais prejuízo". Itabuna tem que dar certo e o povo não terá direito de reclamar do que lhe sobrevier, se continuar a ser comandado pelo tripé da maldade.

SÓ OS FRACOS SE ENTREGAM SEM LUTAR


A persistência é virtude de quem nunca desiste de ser vencedor
A nossa vida é composta de vitórias e derrotas, fracassos e sucessos, e em cada situação, surgem novos desafios, pois viver é uma forma de desafio. Quando esses mesmos desafios são aproveitados de maneira criativa, podem ser transformados em novas oportunidades. Reclamar, choramingar e baixar a cabeça não são uma ação recomendável para os fortes, porque o correto é saber aproveitar ao máximo as lições que a adversidade nos ensina, pois a vida não se encerra ao fim das 24 horas, mas deve, sim, gerar novas expectativas com o novo dia que chegará com novas oportunidades, pois a cada desafio superado faz com que várias portas possam se abrir e nos mostrar novos horizontes. Estar preparado para mudar as rotinas que escravizam e tiram o poder dos desafios nos dá a possibilidade de buscar mudanças. Pois, estar preparado para mudar a própria contextura dos pensamentos fixos, que podem ser o grande entrave para mudar tudo ou quase tudo, a certeza é que cada dia traz novos desafios, e para que possamos decidir por novos projetos, é preciso alterar a própria realidade. A vida pulsa, e cada dia vem com novas etapas, e cada dia traz a sua própria história, a certeza é que ontem não será igual ao hoje, mas produz o amadurecimento, que nos prepara para novos enfrentamentos, que podem mudar o que fomos ontem, dando-nos sabedoria, nos mostrando as melhores opções e oportunidades, o importante é que tenhamos força para continuar firmando novos projetos de vida, porque o futuro está à espera dos vitoriosos, pois são estes que transformam a vida e o mundo. Na vida nem tudo são flores, por isso, aparecem algumas adversidades em forma de espinhos. As adversidades podem até nos machucar, mas também nos ensinam a nos entender: que não somos os donos da razão ou donos do mundo. O que muitas vezes é certo para mim pode não certo para o outro. Ninguém é o dono absoluto de toda a razão, pois, se não existisse a dúvida, não existiria a certeza, que, de uma maneira ou de outra, faz com que surja a verdadeira razão do nosso viver, nos mostrando realmente quem somos. O fim de um dia pode até fechar um ciclo, mas o amanhã virá outro, o problema é que as derrotas nos trazem dores e para entendê-las precisam ser sentidas, para não serem repetidas. Para derrubar um lutador, somente a morte, porque o que não nos mata faz com que possamos nos fortalecer e nos tornar mais fortes para enfrentar novos desafios e novos sonhos.