oi

oi

Prefeitura Ilhéus

Saúde Ilhéus

Saúde Ilhéus

8 de outubro de 2021

SINAIS REVELAM ABUSOS INFANTO JUVENIS

Quanto mais cedo a criança se envolve com a violência, mais cedo ela perde a inocência!

Todos os dias somos informados sobre meninos e meninas revelando terem sido abusados. Dizem ter sido importunados sexualmente e obrigados a fazer sexo. É possível que eu conheça uma delas ou um deles. É possível que você também conheça. Para além do crime odioso - geralmente praticado por pessoas próximas dos jovens como namorados, vizinhos ou familiares, a crueldade do abuso está na manipulação da vítima, que, em muitos casos, é ameaçada, chantageada, desacreditada, de forma que não vê a denúncia como uma opção. Precisamos mudar esse quadro. E isso se faz com informação e diálogo.

            Esse tipo de crime não pode ser visto como casos particulares, problemas familiares. É uma violência contra todos nós enquanto sociedade. E pode estar muito perto, escondido num olhar triste, numa atitude de isolamento, na agressividade, no mau desempenho escolar e, mais abertamente, em marcas físicas não explicadas. Se queremos criar crianças e jovens para um futuro melhor, mais feliz, precisamos estar atentos.

            Pais devem conversar abertamente sobre o assunto, de forma tranquila, demonstrando que estão e estarão sempre ao lado dos filhos. Precisam explicar que o toque não consentido, o beijo “roubado”, a exposição, a relação forçada, ainda que seja com uma pessoa próxima, são abusos. Que, sendo abusos, devem ser punidos, e não silenciados. E devem ser denunciados à polícia.

            Também os professores são de vital importância nesse processo de esclarecimento, o que ressalta a urgência da educação sexual nas escolas, onde o tema deve ser estudado, debatido sem preconceitos. Os mestres, particularmente, em suas salas de aula, podem identificar mudanças comportamentais que indiquem casos de abuso e tornarem-se elos para, com as famílias, formarem uma corrente de proteção aos nossos estudantes. É preciso olhar mais atentamente para os nossos alunos e não só ensinar. Precisamos aprender a ler os sinais. Quem sabe, dessa forma, possamos zerar o índice de meninas e meninos abusados todos os dias. Está nas nossas mãos mudar essa realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.