Câmara Ilhéus Itinerante

Câmara Ilhéus Itinerante

Câmara de Ilhéus - Acompanha sessões remotas

Câmara de Ilhéus - Acompanha sessões remotas

Saúde Ilhéus

Saúde Ilhéus

Prefeitura Ilhéus


28 de agosto de 2021

HÁ DE SE TIRAR OS SAPATOS PARA VOAR MAIS ALTO

O piso especial do CIE fez a Prefeita Cordélia Torres, andar
descaça na inauguração da obra abandonada pelos Fraternos!

A sociedade encontra-se na era do fake news invadindo a internet e ludibriando muitas pessoas. Transmite-se nos “stories” das redes sociais a vida que desejam que o outro conheça, porque a vida real é difícil demais para ser “transmitida”, mesmo que seja na tela do celular.

Todo leitor de blogs, ou ouvinte de rádios é também um cidadão cheio de dúvidas, expectativas e ambições. Todo indivíduo é um ser humano, do alto de suas potencialidades e limitações. Expor algumas e varrer as outras para debaixo do tapete da web, blogs e rádios, é mesmo a melhor maneira de harmonizar essa tensão?

Não é a toa que, de todos os livros escritos por santo Agostinho, o mais popular é “Confissões”. Pois, nele, mais do que se acusar por delitos cometidos, Agostinho narra sua trajetória exterior e interior em busca da verdade. E, por ela, sacrifica uma imagem já consolidada apesar da sua idade. Não lhe interessa o reconhecimento de sua inteligência e sabedoria, de seu valor e conhecimento; o que Agostinho confessa é o mesmo que João Batista disse aos apóstolos sobre Jesus: “Não sou digno sequer de curvar-me para desamarrar as correias das suas sandálias” (Mc 1: 7).

Ah, mas quantos príncipes comunicadores! Desses que pincelam a imagem deles, fazendo até os defeitos parecerem adereços. E viva a voz empostada, a pausa dramática, as citações descontextualizadas! Príncipes comunicadores de Photoshop e fake news.

Impossível não lembrar do poema do poeta português Fernando Pessoa, Poema em linha reta, esse tem como temática a busca do eu lírico em encontrar alguém que confesse aberta e desinteressadamente um deslize. Isso não para receber críticas, mas para que esse alguém se reconheça humano e sujeito as falhas. Não desejo que, como o poeta, o jabazeiro saia por aí confessando suas mazelas, mas vale uma reflexão: essa gente é capaz de “descer” do palco? Não como um recurso para impactar o leitor e ouvinte, mas como uma expressão da verdade que buscamos e já possuímos dentro de nós.

Assim, quem sabe um dia, os blogs e programas de rádio em conexão com as redes sociais, possam traduzir e atualizar de maneira mais honesta e humana, o que realmente é fato, sem necessidade de expressar que a falta de jabá é causa da insanidade, irracionalidade e mediocridade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.