oi

oi

Prefeitura Ilhéus

Camara


24 de março de 2021

A ESCULHAMBAÇÃO DA LEI MARIA DA PENHA EM ITABUNA

Rui faz as Deam´s serem fictícias na Bahia e isto agrava
o drama de violência a que estão submetidas as baianas!

Quando li no noticiário da blogesfera itabunense "PELA 3ª VEZ, HOMEM É PRESO PELA LEI MARIA DA PENHA EM ITABUNA", fiquei atônito e sem compreender alguns aspectos nele contidos.

A notícia não dizia quem era o criminoso e nem em que bairro residia e estes fatos me fizeram suspeitar, que se tratava de alguém bastante conhecido na sociedade; filho de delegado, juiz, ou político e morador de

um desses bairros de milionários itabunenses.

Logo algumas indagações surgiram e me inquietaram.

Como pode não haver identificação de um indivíduo, preso pela 3ª vez em Itabuna, sob acusação de ter cometido o mesmo crime, infrigindo a Lei Maria da Penha, ao agredir a companheira com diversos socos e chutes? Será que ele é rico, da cor branca e pertencente a piramide mais alta da sociedade itabunense?

Por que a Lei Maria da Penha permitiu que um indivíduo seja preso pela 3ª vez em Itabuna, pelo crime de violência doméstica?

Por que uma mulher se submete à condição de "saco de pancada" por três vezes seguidas e retira queixa policial contra seu agressor?

Por que um homem é contumaz em agridir uma mulher, sob alegação de ter tido um péssimo dia?

Por que a Justiça libera por fiança um criminoso reincindente?

Talvez nunca tenhamos respostas convicentes, para essas dúvidas. Mas a certeza há de que está tudo errado neste contexto. E tão errado quanto espancar uma mulher, é a mulher retirar queixa na Deam; a Deam não divulgar a identificação do criminoso branco e rico; a Justiça não manter preso um agressor de mulher e a Lei Maria da Penha ser submetida em Itabuna, à condição fictícia e circense!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.