Máscara

Camara

oi

oi

1 de agosto de 2021

BOLSONARO TEM RAZÃO!

Por que países como Japão, Suiça e Inglaterra não
implantam as urnas eletrônicas em suas eleições?

Precisamos dar segurança ao processo eleitoral brasileiro. Sim, temos que reconhecer o trabalho elogiável realizado pelos Tribunais Superior Eleitoral - TSE - e Regionais Eleitorais - TREs - de todo o País. Fomos vanguardistas no modelo eletrônico de votação, agora precisamos aprimorar ainda mais esse processo com a certeza de que não teremos espaço para fraudes.

            A proposta do voto auditável ainda está em análise em uma comissão especial na Câmara e só deve ser votada em agosto pelos deputados. No entanto, já faço minha manifestação em apoio à mudança. Estou ao lado do presidente Bolsonaro pela transparência e lisura dos pleitos.

Essa evolução em nossa maneira de votar também representa a vontade de um número considerável de brasileiros. Trata-se de um avanço democrático que dará maior segurança ao processo eleitoral e eliminará qualquer dúvida que possa existir em relação ao escrutínio. Hoje, o eleitor comprova apenas seu comparecimento na seção. Nossa tecnologia é fantástica.

Somos exemplo para o mundo, mas não estamos livres da ação de hackers e pessoas mal-intencionadas. Nem mesmo a Nasa passou ilesa a esse tipo de ação. Em janeiro de 2018, um criminoso virtual conseguiu acessar as áreas restritas dos servidores da Agência Espacial Norte Americana. O invasor roubou cerca de 500 MB - ou 23 arquivos sigilosos - segundo revelou a própria Nasa na divulgação de dados de auditoria interna.

No Brasil, ainda pairam dúvidas sobre a eleição de 2014 em que Dilma Rousseff ganhou de Aécio Neves por apenas 3% dos votos válidos. O sistema não estava projetado para uma auditoria. Não podemos passar por isso novamente e colocar em dúvida a democracia.

Em 2001 já se tratava desse assunto no Congresso Nacional. Aprovamos uma lei, sancionada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, que determinava o comprovante impresso. No entanto, um ano depois, uma nova lei revogou essa exigência e instituiu o Registro Digital do Voto - RDV. Não se trata de partidarizar mais um assunto. Trata-se de valorizar o direito da escolha e preservar a idoneidade daquilo que temos de mais valioso: o voto de cada cidadão e a participação na escolha de quem determina o rumo de nossas vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.