Prefeitura Itabuna

Banner provisório

Banner provisório

24 de agosto de 2020

JOGO SUJO DE EMPURRA-EMPURRA, RESULTA EM CRIANÇA NATIMORTA

Nem todo o tempo do mundo consegue curar
um coração ferido pela dor de perder um filho!
     
              Grávida, a adolescente e vítima do Covid-19, Rayssa Vilanova (18 anos), só queria ser mãe e esperava que os serviços públicos de maternidade em Itabuna, estivessem funcionando com o padrão de excelência de qualidade, que estava habituada a saber pela propaganda oficial.
Rayssa, estava com 5 meses de grávida e amanheceu o dia de ontem, domingo (23), com um forte
sangramento; imediatamente buscou socorro na Maternidade Ester Gomes, de onde foi orientada a ir para casa, ou buscar atendimento no Hospital Manoel Novaes, caso houvesse agravamento da situação.
Já na unidade hospitalar da Santa Casa de Misericórdia, a jovem Rayssa, com dificuldade de respirar teve atendimento recusado, sob argumentação de que o Hospital Manoel Novaes, só atende casos particulares, ainda que o caso seja de emergência.
            Não atendida no hospital, no percurso de retorno a sua residência, Rayssa teve o bebê “encaixado” e foi submetida a um procedimento rudimentar e emergencial de remoção da criança, onde foi verificada sua condição de natimorta.
            A família retornou ao Manoel Novaes, junto com a criança, e mais uma vez o atendimento foi negado em primeiro momento. Com ajuda de um delegado de polícia, Rayssa conseguiu ser atendida por uma pediatra.
            Estes fatos revelam negligencias, que não podem permanecer impunes. Não será exagero afirmar que esse bebê foi vítima de morte, que poderia ser evitada e consequentemente alguém tem que ser punido por esse homicídio doloso, ou por ter assumido o risco de fazê-lo. E este é o caso!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.

Publicidade: