Prefeitura Itabuna

Banner provisório

Banner provisório

19 de novembro de 2018

MOBILIZAÇÃO FORA CUMA

É hoje o dia dos itabunenses mostrarem suas insatisfações!
As redes sociais são grandes aliadas da população, através delas existe a possibilidade de por em prática o processo democrático. Assim está acontecendo em Itabuna com a mobilização Fora Fernando Gomes (Cuma). As redes sociais realmente são grandes aliadas da população, através delas existe a possibilidade de comunicação em massa e, sendo bem direcionadas, podem render bons frutos para a participação popular nas gestões públicas. Podemos dizer até que demorou, mas antes tarde do que nunca, Itabuna emplaca um movimento que poderá ser uma iniciativa de convocação popular itabunense para protestar contra a ruim, decepcionante e prejudicial administração de Fernando Gomes, e poderá resultar na primeira cassação de um prefeito na história de Itabuna. Motivos para protestar não faltam. Com uma receita anual de R$ 461 milhões para uma população de 212 mil habitantes a Prefeitura tinha em julho 5.787 funcionários com custo por mês de R$ 14.190.955,41 sendo apenas 4.200 efetivos. Esses custam R$ 11.012.207,69 mensais. Faça as contas: são 1.587 cargos de confiança, entre eles os filhos de Tom Ribeiro e a repórter Erika da TV Cabrália, o custo dos comissionados é de mais de 3 milhões e cento e setenta mil por mês. Os agentes públicos são 11 – prefeito, vice e 9 secretários. Eles representam folha mensal de R$ 180 mil por mês. O prefeito tem salário de R$ 30 mil, um dos maiores do Brasil, valor 20% maior que o prefeito ACM Neto de Salvador que é de R$ 24.875,00. Com isso, Fernando fala em promover demissões de mais de 600 servidores da prefeitura, sem aviso prévio e sem pagamentos de 2 a 3 meses de atrasos dos seus salários, com alegação de crise financeira. Essa crise não chega aos contratos de empresas de limpeza e de consultorias, que tem valores com fortes indícios de superfaturamentos. Além disso relatamos aqui a falta de médicos; equipamentos e medicamentos em Postos de Saúde; anúncio de fechamento do Restaurante Popular; escolas; SineBahia e programas Ei Mamãe; Combate ao Crack; perseguição aos servidores públicos; abandono dos bairros de periferia, que estão com ruas esburacadas e mal iluminadas; extinção dos programas de arte e cultura, Casa das Artes e Vivart; truculência contra guardas municipais; prática de nepotismo; fechamentos dos hospitais São Lucas e Cemepi e o abandono geral do esporte na maléfica junção da FICC com a Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer. Ufa, são muitos os propósitos para o povo itabunense pedir a cassação do prefeito Fernando Gomes. Mas só a manifestação popular não adianta, falta a adesão da maioria dos vereadores, e infelizmente, a maioria está comendo na mão de Gomes. (voceempauta.com.br).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.

Publicidade: