Câmara Itabuna


Câmara Ilhéus Itinerante

Câmara Ilhéus Itinerante

Câmara de Ilhéus - Acompanha sessões remotas

Câmara de Ilhéus - Acompanha sessões remotas

Aniversário de Ilhéus, câmara

Saúde Ilhéus

Saúde Ilhéus

Prefeitura Ilhéus


30 de maio de 2011

FLANELINHAS AGRIDEM DONO DE CARRO QUE SE RECUSOU A PAGAR

Dois flanelinhas agrediram o dono de um carro nesta segunda-feira (30) na avenida Cinquentenário, em Itabuna. Segundo informações da delegada Gildete Duarte, responsável pelo plantão desta noite, além de agredir Ronil Queiroz Trindade Santos, 24 anos, com uma facada no pescoço, os flanelinhas também atingiram Rodrigo Queiroz Trindade Santos, irmão do motorista, com pedradas na cabeça. Segundo a delegada, a agressão aconteceu na Praça Camacã, após Ronil ter se negado a pagar o flanelinha, dizendo que não era obrigado a dar nada, já que o estacionamento é público. O flanelinha Osmário da Silva Conceição colocou a mão dentro do carro para tentar roubar algo. Diante da situação o irmão de Ronil, Rodrigo, saiu do carro e acabou entrando em luta corporal com o irmão do flanelinha, Osmar da Silva Conceição, que também estava cuidando de carros na praça. Ao ver que Rodrigo estava apanhando e que mais quatro flanelinhas, ainda não identificados, vinham para ajudar Osmar, Ronil saiu do carro para socorrer o irmão. Osmário correu com a faca na mão e atingiu Ronil. Pessoas que passavam pelo local ajudaram as vítimas, que se abrigaram na frente de um banco até a chegada de policiais militares. Osmário foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio e será encaminhado para o Conjunto Penal de Itabuna. Osmar foi autuado por lesões corporais e responderá pelo crime em liberdade. As vítimas Ronil e Rodrigo foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e já foram liberados. (Mayra Lopes).

16 comentários:

  1. Bruno Almeida31 maio, 2011

    Temos que tomar alguma atitude. Os ficar apenas na internet não adianta. Temos de nos organizar para fazer alguma ação que pode ser silenciosa como por exemplo: entrar num juizado de pequenas causas...
    Se cada uma das pessoas insatisfeitas fosse protestar contra a extorção exercida por essa classe podre talvez algo fosse feito.

    ResponderExcluir
  2. ESSES CARAS NÃO PASSAM DE BANDIDOS E ETÃO SEMPRE NOS AMEAÇANDO. BASTA A GENTE SE RECUSAR A DAR DINHEIRO PARA ELES E LOGO NOSSO CARRO FICA RISCADO... É BOM QUE A POLÍCIA PEGUE E FAÇA JUSTIÇA, JÁ QUE HOUVE FLAGRANTE. FERNANDO GÓES

    ResponderExcluir
  3. O que os flanelinhas fazem é um absurdo, é uma extorção que parece ser permitida pela lei, pois a Justiça não toma providência de proibir isso. Marcelo Lopes

    ResponderExcluir
  4. Amigo Val Cabral, aqui em Vitória da Conquista é a mesma coisa. É só você balançar a chave do carro e e eles surgem para te cobrar. E tem tantos que as vezes tem até briga entre eles cada um dizendo que aquela vaga é sua.
    E o pior, a situação está cada vez mais insuportável! Estamos vivendo um problema social muito grave e temos que fazer alguma coisa! Devia haver uma lei que tratasse o ato de flanelar como crime e talvez a pena fosse serviço comunitário, algo do tipo. E o Ministério Público deveria ser muito mais atuante nessa questão.
    Já ouvi histórias sobre flanelinhas morarem melhor do que muito trabalhador, flanelinha que tira mais de 1 mil reais por mês, que cobra MENSALIDADE!!!
    Deixo aqui o meu protesto. E a culpa é realmente de quem DÁ DINHEIRO. Eu não dou, nunca! Quer arranhar meu carro? Arranhe! Eu olho na cara deles e falo que não vou pagar!
    Edmilson Soares de Oliveira

    ResponderExcluir
  5. É isso ai, mete bronca... porrada neles. Roberto Muniz

    ResponderExcluir
  6. Eu não tenho carro. Mas acho um absurdo o fato dos motoristas serem sempre abordados, por estes "donos das ruas". Val Cabral, vc pode não ter o conhecimente, mas isso acontece com muitas cidades em todo o Brasil. Isso é uma febre cara!!! E vou te contar, já ouvi um deles reclamando que tinha apenas recebido 5 reais (no ano passado) por ter lavado a caminhonete de um cara. Ele recebeu 5 reais e achou ruim! Tava muito puto com o dono do carro... acredita???
    Quanto a resolver o problema, a prefeitura deveria "legalizar" os flanelinha, fazendo um tipo de colete pra eles.
    Realmente é uma máfia. E aí de quem se meter com eles...
    Antonio Cardoso de Lima

    ResponderExcluir
  7. Que tal aprovarmos o M.A.F (Movimento Anti-Flanelinha)????
    Nivaldo Nogueira

    ResponderExcluir
  8. Robson Lucas de Oliveira31 maio, 2011

    Isso é uma coisa dificil de resolver! Senão der a autorização pra que eles olhem os nossos carros, eles os riscam!
    Se der, eles nos fazem refens.
    O que falta é este desgoverno passar a ser governo!

    ResponderExcluir
  9. Juscelino Carvalho31 maio, 2011

    Isso é em todo lugar.
    Quando saio com a minha namorada (o carro é dela e eu vou com ela, ela dirige), sempre dou uma gorjeta, mas fico, puto, claro.
    SE fosse meu o carro, eu não daria.
    Um dia desses, estacionamos a uma boa distancia da Policlínica e por incrível que pareça, não havia algum franelinha por perto, felismente.
    Agora, nas imediações da Policlínica sempre tem.
    Não tem como escapar.
    Isso é uma praga.
    Uma máfia.

    ResponderExcluir
  10. ELES SÃO BANDIDOS MESMO.
    RILDO

    ResponderExcluir
  11. O que aconteceu comigo foi muito desagradável!!!
    Me forçaram a pagar muito além do que julguei justo e me ameaçaram... e isto não aconteceu apenas uma vez.
    Se eles, os flanelinhas, trabalhassem com educação e respeito pelo cidadão do veículo, eu não seria contra eles.
    Mas, se está havendo, alguns deles, mal-intensionados, eu não posso estar do lado deles.
    Humberto Campo Aguiar

    ResponderExcluir
  12. Marcelo Batista Neves31 maio, 2011

    Certa vez, durante uma palestra do Detran, fui questionar o assunto, e o palestrante veio com aquela de "Será que não somos culpados pela situação deles? Temos uma obrigação social, e blá, blá, blá."
    Eu retruquei e disse que não tinha culpa alguma se vagabundo não queria estudar e nem trabalhar, e eu não iria financiar a vadiagem dele. E citei o exemplo de meu pai, que chegou até a passar fome, mas nunca virou marginal e nem flanelinha, porque teve discernimento para optar pela forma lícita de sobreviver, ou seja, estudar e trabalhar para subir de vida.
    E conseguiu.
    Esses vadios não conseguem porque não querem. Preferem extorquir e intimidar a população para viver na eterna vadiagem.

    ResponderExcluir
  13. Ninguém pode parar em lugar algum que lá vem um marginal desses extorquir dinheiro.
    Eu NUNCA dei e não darei um único centavo a esses vagabundos. E não dou bola se riscarem meu carro ou não, pois uso carro só para me transportar de um lugar para o outro. Ou seja, se o motor estiver funcionando, eu nem ligo para riscos. Além disso, há um certo brasão no meu carro que intimida alguns deles...
    Haroldo Gomes

    ResponderExcluir
  14. Sandro Araújo31 maio, 2011

    O pior é que esse problema já está enraizado no consciente coletivo dos brasileiros. Essa situação já atravessa décadas e, de um modo geral, nos acostumamos a dar esmolas à essas pessoas marginalizadas. Exatamente por isso, é que se tornou uma situação difícil de se erradicar. Somos responsáveis diretos pela criação desse problema, no momento em que damos "esmolas". Mas é uma questão muito importante a ser trabalhada, pois tornou-se uma verdadeira extorsão.

    ResponderExcluir
  15. Grande Val Cabral, é a mais pura verdade essa questão dos flanelinhas, eles estão no país todo e nós como meros cidadãos estamos sujeitos a essa extorsão bem na cara das autoridades, vc se sente ameaçado em todo lugar, ah se super-heróis existissem.... Everaldo

    ResponderExcluir
  16. É verdade, tudo isso é realmente um absusrdo, e precisamos fazer algo para mudar! Wilson Monteiro

    ResponderExcluir

Comente no blog do Val Cabral.