oi

oi

Prefeitura Ilhéus

Camara


28 de dezembro de 2009

TSE ANALISA PROPOSTAS PARA 31 NOVOS PARTIDOS

Nada de somente PT, PSDB ou PMDB. No futuro, eleitores mais à direita poderão votar no Movimento Integralista Brasileiro (MIB), os que preferem a esquerda terão a possibilidade de optar pela Liga Bolchevique Internacionalista (LBI) ou pelo Partido Comunista Revolucionário (PCR). Os de espírito mais alternativo po derão depositar suas esperanças no Partido Pirata. Se o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovar a criação das novas legendas, o Brasil pode chegar a 58 partidos ante os 27 que existem atualmente. Trinta e uma novas agremiações aguardam a oportunidade de se tornarem partidos políticos. A questão, para o eleitor, será descobrir quem, dentro dessa sopa de letrinhas, tem propósitos de realmente representar setores da sociedade de quem pretende apenas vender seu espaço na TV e rádio para partidos menores ou se tornar “língua de aluguel”, encarregando-se de atacar rivais na defesa de interesses ocultos de outros, em troca de cargos ou dinheiro. Os cientistas políticos demonstram inconformismo diante da idéia de fundar novos partidos. “Isso confunde mais ainda o eleitor. Hoje, já temos um número exagerado de legendas, o que distorce o debate eleitoral e dá margem para todo tipo de negociações espúrias”,argumentou o professor da Fundação Getúlio Var gas (FGV), Marco Antônio Teixeira. Informações Agência Estado.

3 comentários:

  1. Não precisamos de mais partidos, precisamos de políticos honestos.
    também tem que reduzir o nº de deputados federais, de 513 para 130no máximo.Senadores de 81 para 513. Pra que tanta gente que não trabalha e só dá despesa pro povo?

    ResponderExcluir
  2. Precisamos sim de partidos diferentes, mas como ninguém está apto a ser diferente, não precisamos de nada!!

    ResponderExcluir
  3. Eu discordo, porque tem muitos partidos que não tem grande representatividade e favorecem regiões onde não há opção descente, isso que dizer que aparecem novos interesses para brigar ali na região, para ficar forte eles tem que tomar medidas que melhorem algo para a população e isso é bom, é como a concorrência comercial, o problema é que o partido vai crescendo e tem que entrar nos esquemas , se juntar com outros para ficar maior, e nada muda...
    Temos que ter uma brecha para qualquer grupo de pessoas poder se organizar políticamente e defender os interesses locais, isso é democracia, nem que tivéssemos que pagar já valeria a pena!

    ResponderExcluir

Comente no blog do Val Cabral.