oi

oi

Prefeitura Ilhéus

Saúde Ilhéus

Saúde Ilhéus

22 de julho de 2021

O ALÍVIO VINDO DOS VERSOS DE ABÍLIO

Abílio Netto tem se revelado um poeta de Eunápolis, que
notabiliza em seus versos, o que há mais belo no universo!

Sempre admirei o poeta, por entender que ser poeta é fazer de cada despedida uma saudade, é ter nas mãos os sonhos, vivê-los de verdade, chorar, sorrir, sem medo de ser feliz. E lendo-os, sinto sempre acordar para uma realidade que alegra a alma, muitas vezes levando-me a sorrir para mim mesmo.

Quase todos os dias chegam em meu whatsapp, enviados pelo autor, poemas do poeta multifaceta, Abílio Netto. Ao conhecer cada uma das pérolas que ele constantemente me envia, facilmente entendi ser a sua poesia, não somente um êxtase para o corpo, mas acima de tudo um lenitivo que hidrata a alma de quem a interpreta.

Apesar de aventurar-se em vários estilos literários, artístico cibernético, Abílio Netto caracteriza-se por ser um poeta nato, um verdadeiro caçador de rimas, um alquimista das letras cuja inspiração nasce dos mais simples acontecimentos.

A poesia de Abílio Netto, nos leva a aceitar que interpretando-a, melhor compreendemos nossos próprios sentimentos, e os dos outros também, pois ele sabe como ninguém, usar cirurgicamente o poder dos termos retratados em suas estrofes, para movimentar todas as emoções que não podem mais ficar paradas dentro de cada um de nós.

Os versos de Abílio Netto, leva as pessoas à uma rara meditação, fazendo-as agradecer por cada anoitecer, a cantar e amar cada minuto vivido, a acordar desejos adormecidos, colher diariamente os frutos da paixão, ter o passado como futuro tão presente, fazer da existência sempre uma oração.

Em seus versos existem verdadeiras palavras de incentivo, que deixam claro termos de viver esbanjando muita disposição e altruísmo, que nos fazem deparar com percursos estranhos, repletos de retas sem fim e curvas intermináveis.

Apesar de nunca haver conseguido ser um poeta, mesmo possuindo uma musa para me inspirar constantemente, alegro-me por conviver com pessoas brilhantes que dominam a poética, e como Abílio Netto, através dos seus escritos, nos fazem sentir da rosa murcha o perfume, ver a beleza e claridade no negrume e principalmente pintar o cotidiano em uma tela colorida de amizade.


O CONTADOR DE HISTÓRIA


Todos temos nossas histórias

Andanças e suas reviravoltas 

Coisas do nosso passado

Revirado com suas glórias

Ou amargos e sem lógica 


Um dia todos lembramos 

Sentados em seus cantos 

Diante de um pequena plateia 

Grandes como heróis do cinema

Rindo muito ou chorando

Se os fatos forem inusitados

Ou em românticos contos 


As minhas não são enfadonhas

A monotonia não toma conta 

São até picantes e bem chocantes

Quando revelado ponto a ponto 

Diante de todos os amores 

Numa vida de confrontos 


Ainda tenho o toque romântico

A procura de um novo encanto

Pelo caos em que vivi

Durante esse últimos anos 


Mas deixando o lamento 

A procura de um novo intento

Nem que seja nos meus pensamentos

Como as lembranças do amor eterno 

Pois nunca se perde o que não se esquece

Na linha dos velhos tempos


Meu primeiro amor foi no casamento

A que permaneci por longos anos 

Vinte e oito pra seu conhecimento

Durando muito diante dos pedregulhos

Que eu deixei em detrimento

Ao meu inseguro comportamento


A procura de novas aventuras

Me jogava em estradas duras 

Cheias de muitas encostas 

E com fechadas grandes curvas 


Sempre querendo uma nova paixão 

Alguém que me desse o bem maior 

Passando a mão no meu cabelo 

Alisando o velho e já branco peito 

Com muita e boa dedicação


Sem falar na cama profana 

Com a pimenta de cheiro 

Quente em meus dedos 

Tocando do meu jeito perfeito

Nas boas e doces entranhas 


Me tornei um especialista direito!

Não dito por mim mesmo.

A propaganda não era enganosa

Realmente tinha grande efeito

Todas que eram tocadas 

Eram cheias de exageros


O destaque maior veio primeiro

Como primeira aventura 

Fui um autêntico cavalheiro

Uma paixão alucinante

Ainda em meio a meu casamento

Ela também uma mulher casada 

Mas vivia em seus tormentos


Todos temos nossas uniões

As vezes por acomodações

Vivendo como Deus quer 

Mas em pequenas baldeações

Parando em algum caminho 

Pra não se sentir sozinho 

Sem a grande e perfeita emoção


Era uma morena meiga e alta 

Muito bem aprumar 

As vezes eu engasgava 

Tinha que fazer várias escalas 

Dava algumas boas paradas 

E retomava de onde parava 


Sabe como é 

Quando não se tem

Muita força no pé 

O jeito é dá duas viagens 

Pela vagarosidade

Com uma fogosa mulher


Quando o fogo alto pegava 

O carvão já meio apagado atiçava 

Era um Deus nos acuda 

As palavras de ordem entoavam


Ainda bem me lembro 

A maneira que me olhava 

Os olhos diziam profundos:

"Nunca fui possuída desse jeito 

Você mais parece um bruxo"


Pra mim isso era perfeito

Dito daquele jeito maneiro

Assim na lata depois do feito 

Era como um energia 

Um injeção que me possuía 

E eu continuar no desejo 


Eu sempre seguia em frente 

Continuava bem potente

Arranjando força até no dorso 

Como um sol já no seu encosto

Porém fraco literalmente


Então com muito mais força 

Fazia a mulher vibrar com alegria

Pois em sua casa só tinha

O velho feijão com faria 


Todas as quinta me procurava 

Já deitada na cama a encontrava 

Quando não podia ou me atrasava 

Era um pulo em gritaria

De longe extravasava.

Dizia o que bem queria


A mulher era na cama confeita

Cheia de purpurina inteira 

Perfumada com Miracle

Era o cheiro do segredo

O copo todo penetrava 

Eu vivia satisfeito


Muitas foram as nossa dedicatórias

Escritas e falada em memória

Ao longo dos nove anos 

Em que estivemos juntos 

Aguçando as nossas histórias


Sempre buscando o sonho 

Em um dia ficarmos de vez juntos

Era a melhor justificativa

Nos encontros e desencontros

Em uma nova trajetória

Era o parâmetro que tinha


Minha filha a conhecia 

Fizeram uma boa amizade 

Todas as vezes que a encontrava 

Dizia que via em nossa imagem

Um futuro de fantasias


Tinha em mente pra frente 

A união de uma família

Ela com os filhos que tinha 

E eu com as minhas 


Eu realmente não entendia 

Será que era inconsequente ?

Ela com a vida estruturada 

Com a família e casa arrumada

Trocar pelo que seria 

Uma vida dura e desajeitada


O amor não se explica 

É um total desequilíbrio

Entre as escolhas que temos 

E as consequências inseridos 


Então seguimos em frente 

Em uma perigosa jornada

Apesar das nossa paradas 

De vez em quanto surgiam

As dúvidas do que fazíamos


Apesar da química perfeita

Do sexo total e intensos

Tiramos as nossa consciências

Que não era correto aquele feito 


Apesar de um substantivo feminino

Tem a convivência do ato masculino

Quando a traição parte da donzela

Afinal o homem também é procurado

Muitas vezes totalmente assediado

A química maior parte delas 


Deixando de lado esse machismo

Nos realmente nos sentimos lindos

Quando a cantada vem com elas 


No nosso caso foi consenso 

O primeiro contato foi intenso 

Depois nos tornamos sedentos

O desejo ficou mais propenso

Até mesmo a total união 

Em um perfeito casamento


Os cantos era por nós achados 

Normalmente muito apimentados

De fantasias e encantos 

Realizávamos nossos sonhos 

Nas camas de quarto em quarto 

Ia sempre ao meu encontro

Seja qual fosse a direção ou lado 


As escolhas sempre diferentes 

Nas escadas de shoppings 

Dentro dos carros incomumente

Quase sempre nos motéis 

Mas sempre estávamos contentes 


Seja lá onde eu tivesse 

Em minhas viagens frequentes

Ela sempre me encontrava 

Pegava logo a velha estrada 

Lado a lado sempre discretamente


Muitas vezes sem direção 

Muito menos planejamento

Era poucos mesmo casuais 

Esses reencontros em complemento

Pois não tiramos em nossas casas

Aquele ardor dos nossos casamentos


Dispensávamos opiniões frequentes

Certo ou erra sem um fiel julgamento

Quem vive juntos anos após anos 

Sem mais um bom provimento 

Pela falta de  total cumplicidade 

Pela ausência e engajamento

Sabe o que estou escrevendo

Quando acaba o sentimento


O correto a essa traição 

Da que acima escrevemos 

Seria a real separação

Antes do agarramento

Muitas vezes ela é tão forte

Que não dá mesmo esse tempo


É fogo correndo morra acima 

E a água de cima escorrendo

Mas não apaga o danado 

O fato terminar acontecendo


Então é uma correia 

Pra acabar esse tormento

Cada um dos seus lados 

Tentam esconder os fatos 

Mas terminam se envolvendo


Isso é a vida secreta 

Que sem querer escolhemos

Mas o fim dessa minha história

Como um final sem aditamento

Foi deixá-la ir embora 

Voltando ao meu pareamento

Escolhendo ficar com os filhos 

Ficando como experimento


Achava que uma união 

Em um sagrado casamento

Somente podia separar 

O Deus que escolhemos 

Somente após nossa morte 


Será que isso é verdadeiro?


Após muitos anos depois 

Veio meu o posicionamento

De fato a desunião

O real afastamento

Um recomeço talvez 

Ou talvez sozinho

Sempre estaremos 


Abílio Netto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.