Câmara Itabuna


Câmara Ilhéus Itinerante

Câmara Ilhéus Itinerante

Câmara de Ilhéus - Acompanha sessões remotas

Câmara de Ilhéus - Acompanha sessões remotas

Saúde Ilhéus

Saúde Ilhéus

Prefeitura Ilhéus


29 de dezembro de 2019

NÃO HÁ MAIS COMO SER APENAS UM "POSTE" NA ESCOLA

19 escolas foram fechadas em Itabuna nos últimos 4 anos e
 há 11 anos o Estado não constrói uma só sala de aula na cidade
Sou comunicador e há bastante tempo venho observando as práticas docentes na escola contemporânea. Hoje pela manhã chamou-me a atenção um termo utilizado por um colega radialista em um programa matinal: assistir aula. Essa expressão não mais deveria ser utilizada nos tempos modernos, pois é advinda de práticas docentes antigas onde o professor era o detentor de todo o conhecimento e, o aluno, mero expectador. Daí o termo “assistir aula”. O professor planejava aulas expositivas, utilizava-as em diferentes turmas de alunos desconsiderando suas particularidades e possíveis questionamentos ou imprevistos. Os planejamentos eram guardados como tesouros junto a modelos de atividades objetivando facilitar a vida do professor nos anos subsequentes. Esse equívoco foi prática comum durante um longo período nas escolas. Comparemos essas aulas agora a uma ida ao cinema: sabemos o nome do filme (disciplina); temos noção do enredo (conteúdo); podemos gostar ou não, porém jamais nos será permitido fazer qualquer alteração no desenrolar e no desfecho da história. Nos resta apenas a opção de assisti-lo até o final ou desistir antes do fim. Assim ficava caracterizado o papel do aluno naquela época: mero expectador. Mas, diante de um mundo globalizado em que as informações chegam com rapidez e em quantidades surpreendentes e onde nenhum setor cresceu tanto como o da comunicação, inevitavelmente, a escola também mudou. O aluno agora deve ser o protagonista de sua aprendizagem e, o professor, um mediador do conhecimento. Hoje, ele não “assiste aula”, mas, sim, participa ativamente dela buscando e trocando conhecimentos, construindo conceitos por meio da vivência, da pesquisa. Com isso o desenrolar e o desfecho dessa história não é tão previsível pois tudo pode ser questionado, ampliado, compartilhado e construído por meio das relações e das interações. Ou pelo menos, deveria ser...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.