oi

oi

Prefeitura Ilhéus

Saúde Ilhéus

Saúde Ilhéus

30 de junho de 2013

A TAÇA É NOSSA, MAS NÃO SOMOS CAMPEÕES EM DESENVOLVIMENTO HUMANO



A grandeza do Brasil não se faz por se tornar campeão de futebol, mas pela chance de cada brasileiro se realizar como ser humano. Os brasileiros se tornaram campeões da Copa das Confederações, mas não perdeu a posição, entre os países desta competição, de maior fracassado em todos os índices de desenvolvimento humano. No país não há nada que supere seus oponentes vencidos neste curto campeonato internacional de futebol, em áreas fundamentais como saúde, educação, segurança, assistência social e geração de emprego e renda. Com este drama social e humanitário, o Brasil se deu a suntuosidade de gastar mais de 22 bilhões de reais em reformas e construções de estádio de futebol. E mais fortunas gastam com tentativa de se tornar uma potencia bélica mundial. Para alguns, trata-se de anomalia a ser corrigida o mais rápido possível. É o caso do atual governo, que, numa curiosa volta ao regime militar, parece cada vez mais embriagado com sonhos de armas mirabolantes e caras, compradas com créditos de países estrangeiros que terão de ser pagos pelos sucessores. Outros chegam à insensatez de querer reviver o programa nuclear clandestino proibido pela Constituição. A recente e ligeira melhora em nossas condições econômicas e sociais parece ter subido à cabeça dos que já nos veem como país próspero, a esbanjar dinheiro e a arrotar grandezas. Basta olhar em torno, porém, para ver o abismo de miséria que nos cerca. Os dramas dos números absurdos dos homicídios, desemprego e inflação, deveriam servir ao menos como choque de realidade capaz de nos restituir o senso das prioridades. Enquanto comemoramos a vitória da seleção brasileira, as drogas matam milhares de brasileiros humildes e muitos são forçados a morar em condições sub-humanas. Que país queremos ser, a Rússia armada até os dentes, onde a expectativa de vida diminui a cada ano, ou o Canadá, campeão em desenvolvimento humano? O que faz a grandeza de uma sociedade não é a glória futebolística ou o poderio de armas. É a capacidade de garantir a cada pessoa a possibilidade de se realizar como ser humano, o direito da busca da felicidade, como se dizia na época da Revolução Americana. Todos os índices de bem-estar, educação, saúde, cultura, ausência de crime e de corrupção mostram que não são as grandes potências a ocupar os primeiros lugares, mas as nações que priorizaram as necessidades humanas básicas. Em um país como o nosso, de pesada herança de desigualdades, esse dever se impõe ao governo de forma ainda mais premente. Com humildade e sóbrio realismo, deveríamos tentar construir uma potência não em Copas de Futebol, mas em direitos humanos e em ambiente, em educação e em equilíbrio social. Descobriríamos com surpresa que um governo sério, honesto e competente, daria ao Brasil um poder de influência e exemplo que jamais atingiríamos pelos gols de Neymar, Huck, ou Fred.

10 comentários:

  1. Andréia Guimarães01 julho, 2013

    Os governos sempre usam o futebol para manter o povo subserviente, cego, surdo, mudo...
    O futebol é realmente o reduto dos alienados, Ronaldo, Pelé, Felipâo só abrem a boca pra falar besteira... vivem sendo idolatrados e bajulados e só conseguem enxergar o mundo sob a ótica de seus próprios umbigos... por terem muito espaço mídia vivem tentando manipular esse povo que tanto os idolatram... verdadeiros aproveitadores!!!!

    ResponderExcluir
  2. Walter Gonçalves01 julho, 2013

    Enquanto esses "nossos" ídolos e campeões esbanjam seus ganhos milionários e desfrutam do luxo que a grana da CBF pode proporcionar para eles, os torcedores e o povo brasileiro em geral, comem o pão que o diabo amassou. Essa galera que ficou milionária com o futebol, está pouco importando-se com o que se passa com a população.

    ResponderExcluir
  3. O BRASIL GANHOU DA ESPANHA NO FUTEBOL, MAS JAMAIS GANHARÁ EM ÍNDICES DE EDUCAÇÃO PÚBLICA E SERVIÇOS DE SAÚDE GRATUITA PARA A POPULAÇÃO.
    GUI

    ResponderExcluir
  4. Wilson Batista de Oliveira01 julho, 2013

    O que esperar de um país onde o técnico responsável pelo rebaixamento do time que dirigia ser presenteado para dirigir a seleção brasileira (codinome - BANCO). Esse cara é um boçal. Se bobear não concluiu nem o primário. O que ele sabe sobre cidadania e direitos sociais... Na minha opinião os repórteres são culpados, pois não sabem fazer perguntas inteligentes e contestar o entrevistado (no caso, esse mula).

    ResponderExcluir
  5. Judith Rebouças de Melo01 julho, 2013

    O país pode não mudar sem o povo se rebelar, mas algum dia terá que se tornar uma nação séria, pois o que se vive por aqui é uma piada de muito mau gosto.

    ResponderExcluir
  6. Rogério Gonçalves de Jesus01 julho, 2013

    Ter ganhado a Copa das Confederações, faz parte da segunda parcela que os governantes brasileiros dão ao povo para roubar sossegados: pão e CIRCO....
    Quem não enxerga isto, é cúmplice da roubalheira....
    A primeira parcela deste plano, será ganhar a Copa do Mundo e como consequência endeusar Dilma (COMO FIZERAM COM LULA) e reeleger ela para mais longos e terríveis quatro anos de roubalheira e enganação.

    ResponderExcluir
  7. Juliano Guimarães da Fonseca01 julho, 2013

    O Brasil possui 200 milhões de habitantes. Quantos irão aos campos ver a copa? 2 milhões de pessoas? Isso dá 1% da população. Os 99% restantes vão pagar para esses privilegiados irem ao campo e o resto tem que se contentar com a tv e não faz diferença se os jogos são nas "arenas" superfaturadas ou na conchichina.

    ResponderExcluir
  8. Pobre Dilma!

    Receita simples de um experiente observador da política brasileira para que o governo de Dilma se recupere já e vença as eleições do próximo ano:
    ___________________________________________________________________________
    - É preciso mudar e muito a relação política com a sociedade, o Congresso, os partidos, os governadores e prefeitos, as entidades empresariais, sindicais e populares. Além de mudar sua comunicação e a gestão e execução dos principais programas do governo.
    E por fim:
    - É preciso reavaliar prioridades e manter o rumo da política econômica para crescer sem inflação e distribuindo renda. É preciso também ouvir as críticas, demandas e reivindicações da cidadania. Além de ouvir as ruas e ir para as ruas defender e debater com o povo o plebiscito e a reforma política. No mais, é preciso mobilizar a base social e política do governo para defendê-lo e defender a obra do PT.
    Que tal? Moleza?
    Apresento-lhes o autor da receita para salvar o governo que mais perdeu pontos de uma única vez desde que pesquisas começaram a ser aplicadas no país: José Dirceu de Oliveira.

    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/07/01/pobre-dilma-501824.asp

    ResponderExcluir
  9. O dia em que Dilma cuspiu no rosto de 370.000 médicos brasileiros

    Sra "presidenta", eu sou uma médica de qualidade. Meus pais são médicos de qualidade. Meus professores são médicos de qualidade. Meus amigos de faculdade. Meus colegas de plantão. O médico brasileiro é de qualidade.
    Os seus hospitais é que não são. O seu SUS é que não tem qualidade. O seu governo é que não tem qualidade.


    http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2013/06/30/o-dia-em-que-dilma-cuspiu-no-rosto-de-370-000-medicos-brasileiros-501742.asp

    ResponderExcluir
  10. DECLARAÇÃO DE Ronaldo Fenomeno EM 2011
    ___________________________________________________________________________
    Na gravação, reproduzida pela TV Lance!, Ronaldo disse durante a sua apresentação como membro do Conselho Administrador do Comitê Organizador Local (COL).
    "Está se gastando dinheiro com segurança, saúde, mas sem estádio não se faz Copa.
    Não se faz Copa com hospital. Tenho certeza que o governo está dividindo investimentos".


    http://www1.folha.uol.com.br/esporte/folhanacopa/2013/06/1297590-ronaldo-usa-web-e-se-defende-da-afirmacao-de-que-nao-se-faz-copa-com-hospital.shtml

    ResponderExcluir

Comente no blog do Val Cabral.