oi

oi

Prefeitura Ilhéus

Camara


30 de junho de 2011

O HOMEM É PRODUTO DO MEIO

O homem estava saindo do banho. Sexagenário importante, num momento de infantilidade, de insensatez, se insinua para a camareira, e parte pra cima com insistência e oferecendo vantagem. A seus olhos, naquela ocasião a mulher lhe parecia uma Deusa. Rejeitado, teve sua vida arruinada, preso, explorado, submerso no inferno. Seu pecado foi taxado de gravíssimo, porque escolheu uma muçulmana. O governo americano esta se borrando de medo de atos terroristas muçulmanos em represália à “morte” do Osama, e oportunidade melhor não haveria para mostrar que se importa com os muçulmanos. Deu azar Dominique. Se você fosse um simples homem de negocio, um cantor, um cara qualquer, vivendo a mesma situação, sairia desta com alguns dólares à menos na conta, envergonhado é claro, responderia talvez a um processo, sua mulher lhe mandaria à merda e só. Mas a camareira era muçulmana, e você diretor do FMI. Ela representa agora, todos os muçulmanos e você todos os americanos. Vão lhe ferrar em nome de dar satisfação social. Bill Clinton com a Monica não foi pior? Teve lá o lance do charuto. O cara era presidente, mas, ela era americana. O Michael Jackson com as criancinhas comeu tampado, mas nunca usou pulseirinha eletrônica. O Sarkozy sai com todas e se sai bem. Berlusconi então é escorregadio, tinhoso. Todos pecaram mais do que você, mas nenhum com muçulmanas. Foi ferrar e saiu ferrado. Poderá ate ser responsabilizado pelo próximo atentado, desta vez em represália ao seu ato. O mundo esta louco. Tudo agora tem um outro significado. Coisas simples passaram a ter uma gravidade assustadora. Não se pode negar o direito constitucional a qualquer ser humano, eu concordo totalmente. Mas o que é isso? Chamar um preto de preto é o quê? E um branco de branco? E um gordo? E um careca? E um gay? Podemos até mais. Noite escura. Macaxeira. Tonelada. Aeroporto de mosquito. Molinho. Tem nada não. Cadê a descriminação? E o dano moral? E o Constrangimento? Vamos deixar de frescura gente. Grave sim é, pela condição de cada um, negar a esse alguém seus direitos de cidadão e ser humano, ou dar a outros direitos inadmissíveis. Estão se extrapolando os limites do bom senso. Tem muita coisa errada chegando. Casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, ok. Todo mundo quer estabilidade e proteção para você para os seus. Adoção de crianças por estes casais, no entanto, é um erro. Criança, no meu entender, tem que ter referência de pai (homem) e mãe (mulher), caso contrário, ai sim estarão criando constrangimentos, danos morais, descriminação, e um monte de desajustadinhos sociais e psicológicos. O homem é em grande parte produto do meio. Outra coisa; ensinar este português da cartilha do MEC é adubar a burrice e semear a ignorância, nivelar por baixo. Ensinar certo seria o caso? Ah, não, aqui é Brasil. Com as cotas sociais para as universidades, e esta cartilha ganharemos qualquer premio de incapacidade. Tem também a cartilha gay. Seremos também cobaias ou bodes expiatórios?

10 comentários:

  1. Muito opoertuna esta postagem
    É por isso que não deixo de acesso diariamente o seu blog.
    Parabéns amigo e continue sempre atento as cobranças que devem ser feitas contra as mazelas e as pessoas ruins em nossa cidade.
    Jorge Sales

    ResponderExcluir
  2. É senhor Val Cabral, pode-se dizer que o respeito não é muito o seu forte. Desde quando uma criança tem que ter uma referência de um homem e uma mulher? Quem definiu isso? Quem definiu que a homosexualidade é 'errada' e a heterosexualidade é 'certa'? desde os primórdios o masculino se relaciona com o masculino. Na roma antiga, muitos homens eram gays. E não era crime. A criança tem que ter a refêrencia de pais responsáveis e comprometidos, que lhe ensinem os bons valores e a viver em sociedade. Independente de eles serem dois homens ou duas mulheres.

    ResponderExcluir
  3. "Diz-me com quem andas que direi quem és".
    Isto cabe, perfeitamente, ao cidadão acima: Pedro C.S. Castagna.
    Flávio Lopes

    ResponderExcluir
  4. OS ANTROPÓLOGOS SOCIAIS, CRIMINAIS TB: CESARE LOMBROSO NA ITÁLIA E RAIMUNDO NINA RODRIGUES, NO MARANHÃO, NÃO CONSEGUIRAM LEVAR AVANTE SUA TEORIA, A DE QUE: "FILHO DE PEIXE PEIXINHO É", HOJE SE CONSIDERA ABSURDA ESSA TEORIA.
    BJS.
    Edmilson Monteiro

    ResponderExcluir
  5. Se o homem fosse fruto do seu meio, em Brasilia não teria tantos
    corruptos!
    Washington Reis

    ResponderExcluir
  6. Renato Soares01 julho, 2011

    Resumo esta postagem, com a seguinte afirmação: claro que é o homem é produto do meio... das pernas da mãe dele!!!! É claro que é verdade!!!!

    ResponderExcluir
  7. Ana Cristina Rebouças01 julho, 2011

    Val Cabral, se uma criança nasce numa familha de principios e convive num ambiente de pessoas educadas, assim será. Se ela porem, nasce numa familia sem carater e convive com pessoas de mé indole, como poderia ser uma boa pessoa sem ninguem para ensiná-la?

    ResponderExcluir
  8. Prezado amigo Val Cabral

    Conhece a teoria do Determinismo?
    Pois é, o Determinismo foi o que praticamente criou esse mundo corrompido em que vivemos!
    Ele diz que, por exemplo, um africano é sempre corrompível pois sempre viveu em situação de necessidade e faz o que for preciso para conseguir o que quer. Isso não é certo, claro!
    Não acredite no Determinismo, é ele que também afirma que países como o Brasil nunca darão certo por causa da mistura de raças! Ridículo!

    Paulo do POntalzinho
    paupont@bol.com.br

    ResponderExcluir
  9. O homem que não têm valores, referencial é facilmente manipulado pela sociedade. É bem verdade que isso não que dizer que todos os homens são assim, isso faz com que alguns sejam o diferencial de uma sociedade. Que todos os homens tenham educação de qualidade, pois só com esta poderemos ter consciência crítica.
    Orlando Carvalho de Barros

    ResponderExcluir
  10. Se o homem nasce num ambiente bom, faz amizade com pessoas de seu meio pode tornar-se um homem bom, mas se nascer num ambiente ruim e conviver com pessoas ruim acredito que não poderá ser um homem bom e sim um homem tão ruim como o ambiente em que foi criado. Dificilmente será um lírio do pântano!
    Receba meu abraço!
    Jurandy Santana

    ResponderExcluir

Comente no blog do Val Cabral.