6 de junho de 2017

HENRIQUE ALVES É O SEGUNDO EX-PRESIDENTE DO CONGRESSO PRESO

A presidência do Congresso está se tornando "chave de cadeia"
O cargo de presidente da Câmara dos Deputados tem sido "porta" de cadeia, se analisado o histórico recente do posto. Com a prisão de Henrique Eduardo Alves (PMDB), na manhã desta terça-feira/6, chega a sete o número de ex-presidentes da Casa que estão sob investigação ou presos. Além de Alves, está preso em Curitiba o ex-presidente Eduardo Cunha (PMDB). Os ex-presidentes investigados são Waldir Maranhão (PP), Arlindo Chinaglia (PT), Marco Maia (PT), Aécio Neves (PSDB) e Michel Temer (PMDB). Além dos sete ex-dirigentes, o atual presidente Rodrigo Maia (DEM) também é investigado. RODRIGO MAIA É ALVO DE TRÊS INVESTIGAÇÕES - Principal nome para assumir a presidência do Brasil, caso o presidente Michel Temer (PMDB) caia, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), responde a três inquéritos que apuram suspeitas de uso do mandato para favorecer empresas. Nas três investigações do Supremo Tribunal Federal (STF), o democrata é suspeito de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por supostos recebimentos de propina para beneficiar o grupo Odebrecht e a OAS por meio de Medidas Provisórias (MPs). As penas para esses crimes vão de 2 a 12 anos e de 3 a 10 anos, respectivamente. Caso o presidente caia, Maia terá 30 dias à frente da Presidência enquanto convoca nova eleição. Por meio de nota. Rodrigo Maia nunca recebeu vantagem indevida para votar qualquer matéria na Casa. "Ressalta que, ao longo de seus cinco mandatos de deputado federal, sempre votou de acordo com orientação da bancada ou com a própria consciência", diz o texto. "O parlamentar confia na Justiça e está seguro de que os fatos serão esclarecidos, e os inquéritos, arquivados."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.