23 de janeiro de 2017

EX-MINISTRA DIZ QUE A CORRUPÇÃO NO PAÍS LEVOU AO CAOS NAS PENITENCIÁRIAS

A baiana Eliana Calmon permanece sem papas na língua
Ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana Calmon analisou os últimos acontecimentos do cenário político no Brasil. Em conversa exclusiva com a Tribuna, ela traçou o panorama do país e falou sobre temas importantes, como o andamento da Operação Lava Jato após a morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, em um acidente aéreo no litoral de Paraty, no Rio de Janeiro, e a crise carcerária escancarada com rebeliões e mortes em presídios brasileiros nos primeiros dias do ano. Para a ex-ministra, o Brasil já conseguiu avançar no quesito econômico, mas os escândalos ainda impedem o presidente Michel Temer de ter a governabilidade necessária. “Temer tem de contornar e fazer essa política que é a política que eles dizem de coalizão, não é enfrentamento, e começar a dividir com as nomeações, para não desagradar aqueles de quem dependem as aprovações dessas reformas que são imprescindíveis e essenciais. Ele sempre fez isso com muita competência, mas as coisas estão tão difíceis, e ele numa posição difícil também, está tendo dificuldades, principalmente porque a equipe dele está misturada com diversos elementos que a cada hora aparecem como um daqueles que não mereciam a confiabilidade dos brasileiros. Agora, qualquer sensato tem que defender a permanência do presidente Temer para nós termos alguma estabilidade. Com ele pode estar ruim, mas pode ficar muito pior sem ele”, disse ela.

JUSTIÇA PERMITE CANDIDATURA DE RODRIGO MAIA NA CÂMARA

Justiça liberou candidatura de Rodrigo Maia à reeleição na Câmara
O presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), desembargador Hilton Queiroz, suspendeu a decisão proferida na última sexta (20) por um juiz de Brasília que impedia o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de concorrer a um novo mandato à frente da Casa. A eleição que escolherá o novo presidente está marcada para o próximo dia 2. Com a decisão, o deputado torna-se novamente apto para disputar o cargo. Ainda tramita, porém, no Supremo Tribunal Federal (STF), outro pedido para impedir sua reeleição, ainda sem decisão. Na última sexta, o juiz federal substituto Eduardo Ribeiro de Oliveira, da 15ª Vara Federal de Brasília, de primeira instância, atendeu ao pedido de um advogado para barrar a candidatura de Maia. O argumento é que ele seria privilegiado na disputa, já que, como presidente da Câmara, também conduzirá a eleição. Na decisão, Hilton Queiroz derrubou a liminar (decisão provisória) de Oliveira por entender que houve violação à separação de poderes, princípio segundo o qual o Judiciário não deve intervir em assuntos internos do Legislativo. Para o desembargador, a Constituição não proíbe expressamente a reeleição de um presidente da Câmara após um “mandato-tampão”, como o de Maia, que assumiu o cargo no ano passado após a renúncia do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Uma decisão mais efetiva sobre a possibilidade ou não de Maia ser reeleito ainda poderá ser tomada no Supremo Tribunal Federal (STF). Na semana retrasada, a presidente da Corte, Cármen Lúcia, pediu a Maia uma manifestação com urgência sobre pedido semelhante para impedi-lo, apresentado pelo deputado André Figueiredo (PDT-CE), que também é candidato à presidência da Câmara.

SENADO PODE DAR FIM À IMUNIDADE TRIBUTÁRIA PARA IGREJAS

Muitos charlatões estão ficando milionários com igrejas
Está em análise no Senado a sugestão legislativa, que pede o fim da imunidade tributária para entidades religiosas. Iniciada por uma internauta no portal E-Cidadania, a consulta obteve mais de 20 mil apoios e passou a ser analisada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). Se aprovada pela comissão, pode virar projeto de lei. A sugestão é uma das mais populares em número de votos no portal. Até a tarde desta quinta-feira, havia recebido 95.577 votos a favor e 82.673 contra. Na comissão, o relator é o senador José Medeiros (PSD-MT). Ele recebeu a relatoria em outubro, após dois outros senadores designados para a tarefa terem devolvido o texto para redistribuição e outro ter deixado a CDH. A ideia foi apresentada por Gisele Helmer, moradora do Espírito Santo. Publicada em março de 2016 no portal, a sugestão obteve o número necessário de votos (20 mil) em junho do mesmo ano.  A autora apontou os escândalos protagonizados por líderes religiosos. Além disso, argumentou que o Estado é laico e que qualquer organização que permite o enriquecimento dos seus líderes deve ser tributada.

APÓS CAMPANHA, PASTOR CONSEGUE ARRECADAR R$ 8 MILHÕES

Falsos profetas e charlatões estão proliferando em todo o país
Além de ter sobrevivido a uma tentativa de assassinato o pastor Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial, conseguiu outros dois “milagres” só neste mês: os templos voltaram a ficar lotados e ele já obteve os R$ 8 milhões que pediu aos fiéis para bancar um mês de seu canal, a Rede Mundial. Conforme Uol antecipou, Valdemiro iniciou a campanha de doação para a TV logo após ter alta do ataque sofrido de um fiel, que o atingiu a golpes de facão. Em um dos programas de seu canal 32.1 UHF (também presente na Net no canal 25), Valdemiro pediu que 8.000 de seus seguidores aceitassem o “desafio” de doar R$ 1.000 para ajudar na tele-evangelização. Segundo esta coluna apurou, na semana passada a meta já havia sido não só alcançada, mas superada. Segundo o pastor, R$ 8 milhões seria o custo mensal para bancar a emissora por cerca de um mês, mas provavelmente esse valor deve cobrir também as operações das muitas rádios que a Mundial tem espalhadas pelo país. Outro “milagre” relatado por fontes da igreja à coluna é que, após o ataque, os templos da Mundial voltaram a ficar lotados como ocorria cerca de cinco anos atrás. Não há dados exatos sobre o número de fiéis da igreja de Valdemiro Santiago. A última mensuração oficial (do IBGE) data de 2010 e apontava então 315 mil fiéis. Porém, esse número certamente é muito maior, já que há muitos evangélicos que se recusam a dizer que linha seguem. A igreja está instalada em cerca de 20 países.

A GUERRA QUE SÓ PODE SER VENCIDA POR TODOS

Guerra contra o Aedes Aegypti deve ser constante em Itabuna
Enquanto os agentes de endemias percorrem vários bairros de Itabuna fazendo visitas domiciliares com o intuito de orientar e alertar a população sobre a necessidade de eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti, os trabalhadores da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano - SEDUR - têm realizado diariamente a limpeza e o recolhimento de entulhos em diferentes comunidades da cidade. O trabalho em equipe e bem executado é essencial quando se trata do enfrentamento ao terrível mosquito, que não é mais conhecido e temido apenas por transmitir a dengue, mas também a zika e a febre chikungunya, o que faz com que a preocupação de todos seja ainda maior. É importante salientar, contudo, que os meios de combate são os mesmos de sempre, e a população já sabe de cor. Os cuidados vão desde a limpeza dos quintais até não deixar água parada em quaisquer recipientes. Vale reforçar que mais de 70% dos criadouros estão dentro de quintais e das casas. Portanto, não adianta somente a mobilização de agentes de endemias e trabalhadores da Sedur, é essencial que haja a contribuição também de cada morador. Resumindo: o dever é de todos!

JUÍZES DEFENDEM NOMEAÇÃO DE MORO PARA VAGA DE TEORI NO STF

Sérgio Moro é quase unanimidade nacional, para substituir Teori Zavascki
Um dia depois da morte do ministro Teori Zavascki em um acidente aéreo, uma corrente de juízes federais já defende que o presidente Michel Temer indique o juiz Sérgio Moro – responsável pela Lava Jato na primeira instância – para a vaga aberta no Supremo Tribunal Federal (STF).  O nome de Moro surgiu em conversas internas de magistrados da Justiça Federal. O argumento desses juízes é de que Moro é o maior conhecedor da Operação Lava Jato, cujo relator no STF era Teori. No total, estão em andamento na Corte cerca de 40 inquéritos contra 13 senadores e 29 deputados federais.  Contra o juiz pesa a proibição de assumir todos – ou ao menos boa parte – dos processos da Lava Jato, pelo fato de ele ter conduzido os trabalhos na primeira instância, como titular da 13ª Vara Federal de Curitiba.

22 de janeiro de 2017

JOVENS ESTÃO SENDO COOPTADOS NO SISTEMA SÓCIO EDUCATIVO

Muito menores de idade são maiores e mais perigosos que adultos
Facções criminosas de âmbito nacional estão em guerra. Trata-se de uma guerra de organizações fora da lei entre si e do Estado contra esses grupos. Os resultados são conhecidos e as causas também, dentro e fora dos estabelecimentos prisionais. A resposta estatal está sendo amplamente divulgada: mutirões processuais, transferências de presos, novos presídios, Força Nacional e, agora, as Forças Armadas. O investimento será bilionário. Tudo porque não foi feito o que a legislação determina há muito tempo: ressocialização. Ocorre que essa guerra entre facções criminosas chegou às unidades onde se encontram os adolescentes e jovens adultos que cumprem internação provisória, internação permanente e semiliberdade pela prática de atos infracionais. Isso significa que o Estado, também nesse setor, não fez o que a legislação determina: socioeducação. Os jovens socioeducandos comportam-se como presidiários, porque assim são tratados. As unidades de internação são verdadeiras cadeias. Guardadas as devidas proporções, o sistema socioeducativo é ainda pior que o sistema prisional. Não há mão de obra estatal suficiente e qualificada, além de serem muito mal remunerados e com vínculo precário. Falta o básico e o que existe é improvisado. A despeito de tal realidade não ter sido noticiada e, pior, a reação estatal que busca corrigir os erros do passado na condução do sistema penitenciário não contempla a prevenção e não se estende ao sistema socioeducativo. Desse modo, ao invés de educar pessoas em condição peculiar de desenvolvimento para serem cidadãos produtivos, as unidades de internação e semiliberdade continuarão a fornecer jovens filiados a facções criminosas e plenamente formados para o mundo do crime. Apesar de serem áreas conceitualmente distintas, ressocialização e socioeducação, a cruel realidade hoje as nivela. Tudo o que existe de errado nas prisões está sendo replicado nas unidades de internação e de semiliberdade de adolescentes e jovens adultos, com o agravante de ser o sistema socioeducativo muito mais carente de recursos materiais e humanos e ter o diferencial de demandar forte investimento em educação formadora. Seria realmente oportuno que o esforço bilionário estatal não esquecesse do sistema socioeducativo e providenciasse melhores condições para as unidades de internação e de semiliberdade, assim como para os setores responsáveis pela liberdade assistida e prestação de serviços à comunidade.

MAIS DE 67 MIL BAIANOS PERDERAM EMPREGOS EM 2016

Muitos baianos estão no "olho da rua", por causa do desemprego
A crise econômica atingiu em cheio o mercado de trabalho da Bahia no ano passado. Em todo o estado, foram eliminados 67.291 postos de trabalho formais, segundo o Caged – o pior resultado em toda a região Nordeste. O setor de serviços liderou as demissões, com o corte de mais de 25 mil vagas. Em seguida aparecem a construção civil (-19.783) e o comércio (-14.518). A indústria de transformação também encerrou 2016 com saldo negativo (-5.275), mas trouxe ao menos uma boa notícia: a recuperação do setor calçadista, responsável pela geração de 3.312 empregos celetistas.  Com sua economia fortemente ancorada no setor de serviços e de comércio, Salvador amargou ao longo de 2016 o fechamento de exatos 25 mil postos de trabalho com carteira. A vizinha Lauro de Freitas, com perfil econômico parecido, cortou quase 14 mil. Com a redução da atividade industrial, Camaçari eliminou mais de 5 mil vagas. Feira de Santana, o segundo maior município do estado, perdeu quase 6 mil empregos e, Vitória da Conquista, outros mil. O destaque positivo foi Juazeiro, que criou no ano passado 1.956 novas oportunidades de trabalho com carteira.

RUI MANOBRA PARA TIRAR WAGNER DA ROTA DE MORO

Wagner entrou e cena e Rui será seu "Boneco de Ventríloguo"!
O ex-governador Jaques Wagner (PT) foi confirmado como secretário de Desenvolvimento Econômico (SDE), no lugar de Jorge Hereda. O anúncio foi feito pelo governador Rui Costa em seu perfil oficial do Facebook. Wagner está sendo investigado pela operação Lava-Jato, da Polícia Federal, como suspeito de receber dinheiro irregular para campanha de 2010. Desse modo o ex-governador ganhou Fórum Privilegiado nas investigações. Além de Wagner Rui alocou quatro outros novos secretários. Na Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), deixa o cargo Carlos Martins e assume Fernando Torres; como pensou Otto Alencar, na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) deixa Manoel Mendonça e assume Vivaldo Mendonça; na Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), deixa o cargo Álvaro Gomes e entra Olívia Santana, que será substituída na Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) por Julieta Palmeira. "Montamos um time vitorioso, mas às vezes as trocas são necessárias, pois servem como instrumento de motivação. Vamos continuar trabalhando duro, dia a dia, visando cumprir com os compromissos que assumimos com a Bahia.", disse, na nota, o governador Rui Costa. Com o anúncio de Wagner como secretário, o ex-governador e ex-ministro da Casa Civil, que é investigado pela Operação Lava Jato, ganha foro privilegiado e fica impedido de ser julgado em primeira instância.

21 de janeiro de 2017

ATEUS RECLAMAM DA DIFICUDADE DE SEREM ACEITOS POR NÃO CREREM EM DEUS

"O Brasil é um país difícil para os ateus, diz Gregorio Duvivier
"Se você não acreditar em Deus, você tem o demônio no corpo." Assim o ator Gregorio Duvivier, 30, descreve a reação de boa parte da população religiosa brasileira diante de alguém que se declara ateu. O ator revela que nunca teve uma formação religiosa e, por isso, não enfrentou problemas em sua relação com amigos e familiares por ser alguém que questiona a existência de Deus. Mas o próprio Gregorio faz coro a uma reclamação da maioria dos ateus no país: a de que, em geral, a sociedade brasileira tem dificuldades em entender e aceitar aqueles que não professam nenhuma fé religiosa. "O Brasil é um país difícil para os ateus porque nós somos uma minoria realmente pequena", avalia o ator. "É um país onde todas as pessoas têm não só uma religião, mas várias, e onde acreditar em qualquer coisa parece mais sensato do que não acreditar em nada." Um dos criadores do grupo Porta dos Fundos, que já abordou diversas vezes a religião em seus vídeos na internet, Gregorio diz que é natural fazer humor com temas tabus e que o riso deveria ser uma arma contra o fanatismo. "Os cristãos têm bancada no Congresso e estão mais bem representados do que qualquer um", afirma. "Por isso, não vejo problema nenhum em rir deles, até porque você está rindo, em geral, dos fanáticos, dos falsos profetas." Segundo pesquisa Datafolha realizada em dezembro de 2016, 1% dos brasileiros são ateus. O levantamento ouviu 2.828 maiores de 16 anos em 174 municípios e tem nível de confiança de 95%. A dificuldade de aceitação de ateus pelos religiosos fez crescer nos últimos tempos o uso de uma expressão popularizada pelo movimento LGBT: o "sair do armário". Tradicionalmente associada à decisão de uma pessoa de assumir em público a sua orientação sexual, a expressão também passou a ser usada pelos ateus que resolvem tornar pública a sua postura em relação à religião. "É uma metáfora boa. São pessoas que têm um entendimento de si que, em um certo momento da vida, resolvem tornar público, seja orientação sexual ou de ordem religiosa", afirma Rafael Quintanilha, pesquisador do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), que atualmente faz um mestrado na USP sobre os discursos ateístas no Brasil. "A expressão é feliz também porque o movimento LGBT tem se mostrado um grande aliado do movimento ateísta nas suas reivindicações públicas", acrescenta. "Normalmente são agentes religiosos dentro da política que impõem certas propostas que restringem os direitos LGBT e, ao mesmo tempo, restringem a noção de Estado laico dos ateístas." Por Diego Toledo

MEDO DE DOR NÃO É RAZÃO PARA CESÁREA

Qual o Melhor Tipo de Parto a Fazer, Cesariana ou Normal?
As mulheres gostam de partos cesáreos? Ou são os médicos que preferem? Fato: é a junção da fome com a vontade de comer. Médicos lucram mais com partos cesáreos. Porque são mais rápidos e previsíveis. E as mulheres têm a noção de que não vão ter dor com esse tipo de intervenção – embora essa não seja uma verdade. Fato é que o parto normal cansa. A mulher cansa, a criança cansa, o médico cansa. Mas é o normal. O nome diz tudo. As novas políticas do Ministério da Saúde para tentar conter a predileção desenfreada pela cesárea passam pelos riscos para a mãe e o bebê. Esperar o momento do nascimento é a essência da gravidez. A mulher está esperando. A família está esperando. Intervir nessa espera, acelerar o processo, é antinatural. É claro em que existem casos onde a cirurgia é recomendada. Quando a mãe tem problemas de saúde ou quando o bebê está em sofrimento dentro da barriga. Pronto. Essas são as recomendações para a cesárea. Conveniência também não. Só tem uma coisa: a vontade de cada mulher deve ser respeitada. E isso muda qualquer lei imposta. Eis o grande dilema: mudar a mentalidade dessa geração de mulheres e médicos que acredita ser tranquilo alterar o modo de nascimento por motivos que não passam por reais problemas. A mulher tem de assimilar que a cirurgia está aí para uma necessidade. Os médicos têm de retomar a essência de sua profissão enquanto obstetras – além de interesses econômicos. Bebês que são tirados da barriga antes da hora, pela simples conveniência, muitas vezes têm problemas de saúde por toda vida. É um preço bem alto a se pagar.

20 de janeiro de 2017

O TRABALHADOR E SEUS ENTRAVES NO BRASIL

Não são poucas as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores
Estudos internacionais comprovam que o Brasil precisa de quatro trabalhadores para produzir o que apenas um trabalhador norte-americano produz. Isso: o que um norte-americano faz sozinho, no Brasil, são necessárias quatro pessoas para dar conta. E isto é vergonhoso. A distância vem crescendo, levantamento após levantamento. Hoje, os índices brasileiros estão próximos à década de 50. É claro que muita gente vai bradar: essa mania de comparar tudo com os Estados Unidos, de fazer daquele país o parâmetro para medir o mundo. Mas é o fato. A produtividade norte-americana não pode ser contestada. No Brasil, não existe incentivo real para melhorar a qualidade educacional. A qualificação profissional é algo pouco incentivado – tanto em empresas públicas, quanto nas particulares. Não se investe dinheiro para melhorar a produtividade, com gastos em infraestrutura e inovações tecnológicas. O resultado se apresenta, impiedoso. A resposta que o brasileiro dá a isso, independente dos programas e ações do governo deveria ser questionada e pensada. Enquanto as empresas deveriam rever seus modelos de produção, os funcionários devem estudar sua conduta – não apenas no trabalho, mas diante da vida. O triste costume brasileiro de deixar tudo para depois, a famosa procrastinação, sem falar na mentalidade tacanha de “vou fazer o mínimo necessário”, são respostas que não podem ser atribuídas ao sistema de ensino ou à falta de investimento governamental neste setor. O comportamento das pessoas é a chave e mudá-lo está nas mãos de cada um.

PRESO RECEBE VISITA DE IRMÃO GÊMEO, TOMA SUA IDENTIDADE E FOGE DA CADEIA

Giancarlo ficou preso no lugar de seu irmão gêmeo Alexander
Um preso peruano bolou um plano de fuga cinematográfico para escapar da cadeia de Ancón 1 pela porta da frente. Alexander Jeferson Delgado Herrera, de 27 anos, dopou seu próprio irmão gêmeo para assumir sua identidade e fugir da penitenciária de segurança máxima. A informação é do jornal "La Republica". A fuga ocorreu no último domingo (8). No fim da manhã, Alexander recebeu a visita de seu irmão gêmeo Giancarlo Steven, que foi levar alimentos e cartas de familiares. Durante a visita, Alexander deu um copo de refrigerante para o irmão, que acabou adormecendo. A polícia investiga se havia algum tipo de sedativo na bebida. O preso, então, trocou de roupa com seu gêmeo e saiu, passando pelos seis portões da cadeia. Nenhum guarda o parou ou checou se o detento tinha um carimbo no braço, algo obrigatório para todos os visitantes da unidade. Somente durante a tarde, a polícia se deu conta da troca de irmãos na cadeia. Um exame de digitais confirmou que Giancarlo, e não seu irmão, estava preso. Alexander havia cumprido dois anos de sua pena de 16 anos por roubo e abuso sexual. Ele agora está na lista de foragidos da polícia peruana. Já Giancarlo foi, inicialmente, acusado de ter favorecido o irmão. Ele nega a ajuda e diz ser vítima do caso. O diretor da penitenciária e outros seis funcionários estão sendo investigados em um processo interno por conta da fuga de Alexander.

A INOCÊNCIA PERDIDA SÓ PODE SER REENCONTRADA ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO

Apenas Educação, Família e Religião podem formar cidadãos
Cadeia regenera alguém? Difícil. Com essa pergunta simples, seguida da resposta ainda menos complicada, podemos tecer várias linhas de raciocínio. Um menor de 16 anos tem uma capacidade inferior de compreensão se comparado com um jovem de 18? Não. Porém, a discussão em torno deste tema não pode ser tão rasa. São mais de 85% os brasileiros que concordam com a redução da maioridade penal, de acordo com pesquisas de opinião pública. O motivo que leva essas pessoas a defender a redução é a criminalidade e o constante uso de menores para assumir a culpa de delitos. A verdade é: está tudo mais que errado. Esses jovens que cometem crimes, infelizmente, estão perdidos. O caminho deles deve ser discutido da mesma forma como dos outros membros da população carcerária do Brasil. Não há como suavizar a questão. A inocência está perdida – há tempos. Mas – e sempre tem um mas – a grande discussão de toda a sociedade brasileira deveria ser: o que podemos fazer para que os jovens não cheguem a cometer crimes? As propostas que deveriam ser elaboradas e pensadas deveriam ser aquelas que afastam as crianças e adolescentes do caminho errado. E neste país, infelizmente, as mentes que o comandam não estão interessadas em – de fato – melhorar a vida da população. Então, cria-se um debate completamente errado para desviar o foco do povo diante do real e mais profundo problema da nossa sociedade: a falta de comprometimento com a Educação. Porque tudo – absolutamente tudo – o que está errado neste país se resolveria com uma população mais instruída. Da criminalidade ao gosto musical, por exemplo. Tudo ficaria menos pesado se as pessoas tivessem acesso a professores motivados e pais engajados na tarefa de cuidar e amparar seus filhos. Porque sim, Educação não é só escola. Educação é berço, amor e comprometimento. Se reduzir a maioridade penal resolve o problema da violência? É claro que não. O que resolve a violência é um investimento pesado em ensino e qualidade de vida para a população sofrida – muito além de assistencialismo simplório e escravizador. Mas quem está interessado nisso, não é mesmo?

19 de janeiro de 2017

A TEORIA DA CONSPIRAÇÃO NA MORTE DE TEORI

Teorias de conspiração contra autoridades invadem a internet
Mal o avião caiu e a boataria decola nas redes sociais. Os Sites, Blogs, Twitter, Facebook já estão falando. Mas, por favor, tente não acreditar em nenhuma das teorias da conspiração envolvendo a morte do ministro Teori Zavascki. Como era o relator da Lava-Jato, a primeira coisa que passa pela cabeça de quase todo mundo é o que vai acontecer com a operação. Até aí, faz parte e é saudável. Bem diferente é chegar a conclusões sem nem saber exatamente o que aconteceu. “Ah, quem se safa com isso é o Congresso.” “Foi o PT!” “Estranho, logo agora que estava chegando nos tucanos!” Logo tem gente dizendo que foram os americanos ou sabe-se lá quem mais. Isso faz parte desse nosso mundo da tal pós-verdade, em que primeiro vem a teoria e depois, quem sabe, a confirmação. Derrubar um avião não é muito fácil. Mas, mesmo que fosse. A aeronave era de um amigo do ministro. O amigo mandou matá-lo? Acidentes, infelizmente, acontecem. Claro que nenhuma possibilidade deve ser descartada. Mas, uma dica que é sempre importante: não acredite em tudo que lê. Principalmente em teorias da conspiração. Normalmente é pura bobagem. É claro que a internet se dividiu em quem acredita que foi mero acidente e quem acredita que não. Uma das teorias que estão circulando pelas redes sociais envolve uma declaração do filho de Teori, Francisco Zavascki. Em maio de 2016, o filho do ministro usou a sua página do Facebook para alertar que, se algo acontecesse com alguém da sua família, as pessoas deveriam saber onde procurar, pois a operação Lava Jato estava mexendo com "criminosos do pior tipo".  Já outra, que também fala em sabotagem, compara a morte do ministro com o caso do ex-presidente da Câmara dos Deputados Ulysses Guimarães, ocorrido em outubro de 1992. Houve um acidente de helicóptero exatamente na mesma região, que matou Guimarães e sua esposa, além do senador Severo Gomes e também sua mulher. Além de ninguém a bordo da aeronave ter sobrevivido, o corpo de Ulysses desapareceu no mar. Como Ulysses lutou contra a ditadura militar, apoiou Tancredo Neves e garantiu a posse de José Sarney na presidência da república, em 1986, ficou conhecido como Senhor Democracia e conduziu a Constituinte de 88. Ele foi membro ativo no impeachment do ex-presidente Fernando Collor. Justamente por ter sido da oposição ná época de Collor, muitos acreditam que o acidente com o político foi armado.  A história foi comparada com o caso de Teori Zavascki pois, nos próximos 10 dias, o ministro daria seu parecer no futuro da operação Lava Jato no Supremo. Ele estava ligado diretamente com a homologação das delações premiadas dos executivos da Odebrecht, e avaliaria os depoimentos na próxima semana. Para muitos, houve sabotagem do avião para que a Lava Jato fosse prejudicada. MAIS ACIDENTES ENVOLVENDO AVIÕES E FIGURAS POLÍTICAS: O candidato a governador da Bahia, Clériston Andrade, também morreu em um acidente aéreo em 1982. O acidente ocorreu poucas semanas antes da eleição.  Em 1987, outro acidente aéreo entrou para a história nacional. Foi quando o ministro Marcos Freire, titular da pasta da Reforma Agrária, morreu quando o avião em que viajava explodiu logo após a decolagem. Na aeronave estava também o presidente do Incra, José Eduardo Raduan, e alguns funcionários do ministério.  O nome do candidato à presidência da República em 2014, Eduardo Campos, surgiu nos Trending Topics do Twitter após a morte do ministro. Mas não é de se espantar que o nome do político tenha aparecido na lista de mais comentados, uma vez que ele também faleceu em um acidente de avião às vésperas das eleições e que até hoje tem sua procedência questionada pelos mais céticos. Para muitos usuários, a morte do ministro não vai interferir negativamente no andamento da operação Lava Jato. Para outros, o caso não passa de acidente, e acidentes acontecem. Seja como for, sendo acidente ou não, uma coisa é certa: a política no Brasil não é para amadores. 

REFORMA ADMINISTRATIVA: CÂMARA SÓ RETOMA DEBATE SEMANA QUE VEM

Chico Reis comanda reforma administrativa
A Câmara de Vereadores de Itabuna suspendeu temporariamente o debate, e votação, em plenário, do projeto da reforma administrativa proposta pelo prefeito Fernando Gomes (DEM). A decisão foi tomada na tarde desta quinta-feira (19) durante sessão plenária do Poder Legislativo e que durou apenas alguns minutos em função de questionamentos levantados pelo Ministério Público Estadual, que apontou inconstitucionalidade em um dos artigos do projeto que trata de valores salariais  na  prefeitura.  “Por conta disso, consultamos o nosso departamento jurídico, que confirmou a inconstitucionalidade, o que nos levou a devolver o projeto ao Executivo para que o prefeito faça as adequações necessárias”, atesta o presidente da Câmara, Chico Reis (PSDB).  Agora, a discussão e consequente celeridade da reforma administrativa dependem única e exclusivamente do Executivo  porque os vereadores terão que aguardar as adequações para, depois disso,  reiniciarem  as discussões sobre o assunto, o que deverá ocorrer somente no inicio  da semana que vem.

A IMPUNIDADE EMPURRA A SEGURANÇA PARA O PRECIPÍCIO

Por que tanta impunidade, se ela fomenta a criminalidade?
Como todos sabem, o crescimento da criminalidade não é um problema que atinge apenas Itabuna. Muito pelo contrário, em outras cidades brasileiras o cenário é ainda mais grave, inclusive em cidades considerados as mais ricas do país. É certo também que os percalços na área de segurança pública não são simples de ser sanados. O setor sofre bastante com a ausência de políticas públicas que gerem resultados positivos e também em função do quadro reduzido de profissionais de praticamente todas as funções. Aliado a isso, a frouxidão do ultrapassado Código Penal, que é cheio de brechas e prevê uma série de regalias aos transgressores da lei, acaba encorajando milhares de homens e mulheres a seguirem pelo mundo do crime, na certeza da impunidade. Enquanto isso, os nobres deputados federais e senadores, que têm a responsabilidade de legislar e já deveriam ter atualizado o Código Penal, ignoram o clamor da sociedade e há algum tempo preocupam-se apenas em se locupletarem do erário. Dessa forma, não há como obter avanços na área de segurança pública e em outros setores importantíssimos. Até quando a população vai aguentar tanto descaso?

18 de janeiro de 2017

MEUS PARABÉNS ESPECIAIS PARA AUGUSTO CASTRO

Augusto Castro é um grande amigo que vi crescer, vencer e convencer
Amigo Augusto Castro, hoje é o seu dia, um dia mais que especial e feliz na vida de todo mundo que tem o privilégio de ter você como amigo. Eu nem precisaria lhe desejar um feliz aniversário, porque para pessoas como você o dia em que se completa anos não poderia ser diferente, é sempre um dia de festa! Hoje, você faz aniversário e espero que o dia já lhe felicite com um belo sorriso do sol entrando pela sua janela, para que você possa sentir a graciosidade da vida e como ela se revela feliz nas pequenas coisas. Desejo que durante todo o seu dia, muitos amigos e familiares se lembrem de você, e que lhe digam palavras bonitas, dizendo como você é importante e especial, e como lhe desejam a felicidade. E espero que à noite, você possa estar cercado das pessoas que ama, dos amigos e entes mais próximos e queridos, e receba muitos abraços e beijos, e carinhos sem fim. Desejo também que a vida lhe dê todos os presentes que você quiser, e lhe dê muita força para lutar por aquilo que acredita que lhe fará feliz. Desejo que você seja alegre, mesmo quando vier a chorar; que você seja sempre jovem, mesmo quando o tempo passar; que você tenha esperança, mesmo quando o sol não nascer; que você ame seus íntimos, mesmo quando sofrer frustrações; que você jamais deixe de sonhar, mesmo quando vier a fracassar e que Deus permaneça o abençoando com dádivas de muita paz. harmonia, propseridade, saúde e felicidade. Parabéns e felicidades hoje e sempre, meu querido amigo e deputado estadual, Augusto Castro!

A JUSTIFICATIVA PARA A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER É O COTIDIANO

Não há justificativa para que mulher seja vítima de violência
Muitos são os ditados populares que podem ser considerados eficientes. Mas sem dúvida, um dos mais certeiros é: a vida ensina. As esferas para esse ditado são infinitas. A vida ensina os bebês. A vida ensina a convivência social para as crianças. A vida ensina o adolescente. E a vida não para de ensinar o adulto que não se recusa aprender. Até mesmo aqueles que rejeitam as lições, as assimilam (só demora mais). Quando se fala em machismo, muita gente acredita que seu oposto natural é o feminismo. Só que o buraco é mais fundo. Numa sociedade machista, o primeiro a tombar é o respeito. Quando pessoas pensam que uma mulher precisa “estar em casa lavando louça” para não ser estuprada, isso só é um triste indício de que a falta de respeito é comum e banal – independente do seu rótulo. Quando uma mulher sofre uma violência – seja um estupro ou um assédio aparentemente inocente na rua – muita gente prefere minimizar a questão. Porque é o costume. A mulher não precisa de respeito. E isso não está restrito às negras e pobres da periferia. As próprias mulheres têm esse pensamento. Muitas se consideram inferiores. Outras até não se “assumem” inferiores, mas condenam o comportamento daquelas que saem do “quadrado adequado” para o comportamento feminino. Saiu de casa de madrugada? Está pedindo. Foi numa festa e bebeu todas? Abriu a brecha. “Ficou” com quem quis, quando quis? Sirigaita – para não expor aqui os palavrões. As próprias mulheres são implacáveis com suas pares. E seguem nessa espiral, criando filhos que consideram normal a irmã apanhar porque ela “não é fácil”. A justificativa para a violência contra a mulher é o cotidiano. E é aceita pela maioria – incluindo as próprias mulheres. Há aqueles que não mudam. Que demoram séculos para aprender com a vida. Que acreditam mesmo: a mulher precisa ser subjulgada e se considerar inferior. Ela precisa baixar a cabeça, falar baixo, não expor o que pensa, comportar-se como uma “dama”, não rir alto, usar maquiagem, salto, ser feminina. Feminina. Não feminista. Mas a vida ensina. Há aqueles que enxergam seus erros e modificam seus parâmetros. Param de olhar para as pedestres como se elas fossem um pedaço de carne porque, afinal de contas, criam suas filhas pequenas em casa – e sabem que elas terão de encarar o mesmo constrangimento daqui alguns anos. A vida ensina. Há toda uma estrada a ser percorrida. Não por feministas apenas. Mas por aqueles que acreditam, sobretudo, no respeito e na igualdade.

17 de janeiro de 2017

ILHÉUS CONTINUA COM PRAIAS MALTRATADAS

Cenário de ópera-bufa em praia de Ilhéus, para afugentar turistas
Há mais de duas semanas o "Marão" assumiu o comando da prefeitura de Ilhéus e os problemas do governo anterior perduram. Este é um fato constatado por quem decidiu curtir o domingo de sol na praia da Avenida Soares Lopes. Além do acúmulo de lixo, podia-se ver (e rir) de um sanitário "público" improvisado no local. É óbvio que este cenário degradante macula a imagem da cidade e desagrada seus frequentadores. A faixa de praia mais central da cidade se mostra tomada pelo descaso. Lixo, equipamentos quebrados e muitos buracos reforçam o cenário de abandono e carência de manutenção. Ao longo da orla, os problemas se multiplicam, junto com as reclamações de turistas e frequentadores. Os sacos de dejetos podem ser vistos na areia e, até mesmo, no mar. Segundo informações dos secretários de Turismo: Roberto Lobão e dos Serviços Urbanos, Jorge Cunha, a situação está dentro do controle. “Nosso compromisso é continuar fazendo a nossa parte. Porém, o desgaste é natural em alguns pontos. Mas logo teremos mais tempo hábil para resolver estes problemas”, justificou, sem esclarecer se já existe verba assegurada e em que prazo haverá conclusão dessa intervenção. O cenário não é diferente na maioria das demais praias ilheenses. Barracas dificultam a locomoção dos banhistas, despejando detritos na areia, O mato, de tão alto, consegue esconder a beleza da beira mar. E a sujeira são marcas que degradam o turismo e que revela uma estranha sensação de que nem parece já ter havido a saída de Jabes Ribeiro da prefeitura. 

FERNANDO SAI DO DEM E O DEM SAI DE MARIA ALICE

As relações políticas estão intempestivas entre os Democratas
A última eleição municipal, foi placo do paradoxo dos Democratas em Itabuna. A alta cúpula do DEM baiano desdenhou da candidatura de Fernando Gomes, que não escondia suas estreitas relações com o comando maior do PT da Bahia. E assim, o eleito prefeito não passou de um mequetrefe na oposição ao petismo e este fato o submeteu à condição de insustentável como aliado da possível candidatura de ACM Neto, ao governo do Estado, para as eleições de 2018. O desfecho deste enredo já foi assinalado pelo próprio prefeito Fernando Gomes, ao anunciar que está se desfilando do partido para se filiar a um partido da base do governador Rui Costa (PT). A saída de Fernando do DEM, está há tempo tão curto, quando a resposta que deverá receber do DEM da Bahia. E esta virá em forma de defenestração de 100% dos membros da direção do partido na cidade. O DEM em Itabuna tem Maria Alice, em sua presidência e não há ninguém mais "fernandista" quanto ela, que atualmente ocupa a função de secretária de governo da prefeitura. Portanto, ela será alvo para Fernando ser atingido. A expulsão de Maria Alice, do comando do DEM em Itabuna, são favas contadas. Seu prazo de validade terá vencimento no momento que o prefeito se desfiliar do partido. Isto é fato. E inquestionável. Então por que permanecer? Creio que melhor é Maria Alice seguir o chefe em sua adesão partidária. Sair agora será menos inglório, pois expulsão não é recomendável à história de sucesso a que ela está submetida.

ITABUNA SENTE A INADIMPLÊNCIA E O COMÉRCIO SOFRE

Clientes devedores estão com dificuldade de fazerem compras
O número de itabunenses na lista de devedores cresceu muito em 2016. Segundo o levantamento da CDL, mais de 40% da população de Itabuna adulta, está registrada em listas de inadimplentes, enfrentando dificuldades para realizar compras a prazo, fazer empréstimos, financiamentos ou contrair crédito. Os motivos mais apontados para o alto nível de endividamento dos itabunenses são o desemprego, queda de renda; empréstimo do nome para consumo de terceiros e compras feitas sem controle. São fatores que estão intimamente relacionados à recessão econômica, à corrosão do poder aquisitivo, decorrente da pressão inflacionária, e aos juros mais altos no mercado. A partir de 2013, a economia brasileira experimentou um forte crescimento do crédito. Com o desemprego em baixa e a renda em alta, um maior número de pessoas passou a ter acesso a conta bancária e cartão de crédito e, com isso, à facilidade de comprar bens de consumo em suaves prestações. A demanda reprimida das décadas anteriores, aliada à ausência de educação financeira e de hábito de planejamento, levou ao descontrole financeiro. Durante alguns anos, esse estímulo fez a festa do trabalhador, do comércio e da indústria, mas o cenário aos poucos foi mudando. O aumento da inflação corroeu os salários, e a desaceleração econômica ceifou os empregos. Resultado: falta dinheiro circulando na economia. As famílias estão mais pobres, consequentemente compram menos e o varejo sente isso. Para mudar esse cenário, é preciso, primeiramente, que o País volte a crescer e a gerar empregos, que a inflação seja controlada e que as taxas de juros caiam a patamares mais civilizados. O governo tenta passar a ideia de que os ajustes que estão sendo feitos já começaram a fazer efeito. A inflação fechou o ano abaixo do limite da meta e, por causa disso, ontem o Banco Central fez uma redução mais substancial da taxa de juros. São pontos positivos, mas ainda insuficientes para mudar o clima de desconfianças que paira sobre a Nação.

16 de janeiro de 2017

HÁ DE SE LUCRAR COM O PERÍODO DE FESTAS O ANO INTEIRO

Ilhéus está se preparando para atrair e receber mais turistas
Quando acabam as festas de final de ano, os brasileiros já começam a pensar se vão poder voltar a colocar o pé na estrada e viajar pelo País. A boa notícia é que o calendário de 2017 prevê 22 dias a mais de folga nos feriados prolongados, além daqueles já previstos, como Carnaval, Sexta-feira Santa, Natal e Réveillon. O que para muitos setores, entre eles a indústria e o comércio, pode soar como um dado negativo, para o Turismo o aumento no número de feriados prolongados é motivo de comemoração. Ao longo do ano, serão milhões de viagens nos fins de semana prolongados por feriados que caem na segunda, terça, quinta ou sexta-feira. A expectativa é que esses deslocamentos impactem em bilhões de reais na economia brasileira. Nosso sulbaiano pode se beneficiar, e muito, desse calendário. Estudos revelam que 50% das viagens são realizadas dentro da própria região, número que sobe para 80%. Isso significa que temos um potencial enorme de movimentação de turistas entre as cidades sulbaianas e que, aquele destino que souber aproveitar melhor seus potenciais, sua beleza, gastronomia e, principalmente, aquele que investir na promoção de seus roteiros, pode sair na frente e atrair mais visitantes. Aí é onde a disputa saudável será acirrada entre Ilhéus, Itacaré, Uruçuca e Canavieiras. Nesse sentido, é de extrema importância que os gestores locais invistam na melhoria da infraestrutura e divulgação de seus destinos. As obras de pavimentação de vias, duplicação de estradas, sinalização, urbanização de praças e orlas são extremamente importantes para a melhoria da experiência turística. Por isso, não adianta só investir em promoção, sem ter infraestrutura e serviços qualificados para receber bem o turista. Engana-se aquele que pensa que um destino turístico nasce naturalmente ou que os atrativos do meio ambiente, culturais ou arquitetônicos são suficientes para transformar um lugar num destino. É preciso mais: envolver toda a comunidade, garantir acesso, infraestrutura, seguranças e serviços de qualidade. 

DE MAQUIAGEM A COR DE MEIA, VEREADOR FAZ MANUAL DE CONDUTA

Pery Cartola é presidente da Câmara de São Bernardo do Campo
O presidente da Câmara de Vereadores de São Bernardo do Campo (SP), Pery Cartola (PSDB), publicou e distribuiu entre os servidores da Casa, nesta semana, um manual de conduta profissional que traz orientações sobre pontualidade, uso do telefone, namoro e até mesmo uso de maquiagens para mulheres e a cor da meia que os homens devem usar. O material foi entregue aos cerca de 400 servidores da Câmara da cidade após uma reunião em que Cartola apresentou a Casa aos novos funcionários e fez algumas observações sobre o manual. O texto acabou sendo criticado por alguns funcionários e, principalmente, pelo Sindicato dos Servidores Públicos da cidade, o Sindserv. As 29 páginas do manual, feito na forma de slides de PowerPoint, trazem dicas básicas de pontualidade ("uma das atitudes mais desagradáveis no ambiente de trabalho são os atrasos"), de como trabalhar ao telefone ("ao atender ao telefone, diga: Gabinete ou Vereador/Vereadora, bom dia ou boa tarde. Em seguinte pergunte, "em que posso ajudar?""), de uso da internet ("acesse somente os sites que tenham relação com o serviços prestados e/ou informações solicitadas"), de uso do elevador ("se você não tem restrições ou limitações, use a escada quando puder, é bom para a saúde"), apresentação pessoal ("o uso do crachá é obrigatório, e deve ficar sempre visível. É proibido usar em bolsos de blusa ou camisa entre outras"). Porém, são as instruções sobre a forma de se vestir e algumas recomendações sobre cumprimentos que causaram mais estranhamento. Segundo o manual, o servidor "jamais deve cumprimentar alguém com a mão mole ou tocando somente nas pontas dos dedos. O aperto de mão deve ser firme, sem ser agressivo ou exagerado, com três sacudidas compassadas. A intenção não é estraçalhar os dedos da outra pessoa". Em relação ao vestuário, os homens são orientados a não usar meias claras com trajes escuros, a não vestir bermudas, camisas desabotoadas, sandálias franciscanas e gravatas de bichinhos, de crochê ou frouxa no colarinho. Já as mulheres deve preferir batom e esmaltes claros, saias na altura do joelho e tailleurs, não podem exagerar no perfume e devem estar maquiadas "de maneira discreta e funcional". O vereador Pery Cartola se espantou com a polêmica criada com o manual e afirmou que seu objetivo foi padronizar o atendimento e a abordagem do funcionário da Câmara. “Quero mostrar como o servidor deve se portar na frente do munícipe. O intuito foi padronizar, deixar o atendimento coeso. Não entendo porque estão fazendo muito barulho. Não tem nenhum tipo de medida proibitiva, ou preconceituosa." Segundo ele, o manual não traz regras, já que não há nenhum tipo de penalidade prevista para quem não o respeitar. Cartola contou que, como a Câmara recebeu cerca de 200 novos funcionários com a posse na atual legislatura, a direção da Casa quis mostrar a todos que existe um modelo a ser seguido. Apesar das críticas, o vereador conta que já nota mudanças na maneira de trabalhar dos funcionários da Câmara. "As pessoas já estão mudando a concepção. Estão todos vindo trabalhar de crachá, por exemplo", disse. "Agora, é importante dizer que o principal do manual não é orientar quanto ao traje do servidor. A parte mais importante são as orientações em relação ao atendimento ao munícipe e à conduta do servidor. Questões como a pontualidade, a maneira de agir em uma reunião, como cumprimentar sem falsidade ou sem desdém, como usar a internet. Essas coisas", completou. Por Thiago Varella

15 de janeiro de 2017

EVERALDO ANUNCIAÇÃO DEU AS COSTAS PARA ITABUNA

Everaldo Anunciação está "dando uma banana ao povo de Itabuna"
No dia 10 de janeiro do ano passado, me encontrei em um evento festivo, ocorrido em Ilhéus, com o presidente do PT da Bahia, Everaldo Anunciação e reivindiquei dele, que se utilizasse da sua condição de líder petista no Estado, para convencer o governador Rui Costa a reconstruir o Hospital Maria Goreth, em Itabuna, e o destinar, exclusivamente, para serviços dirigidos a pacientes politraumatizados. E me comprometi a retribuir o acatamento deste pleito, construindo uma estátua dele e a expondo publicamente, como referência dos nossos agradecimentos. Minha intervenção tentava funcionar como súplica de socorro, pois os atuais hospitais de Itabuna, não são suficientes, para atenderem a demanda regional. Este fato agrava o quadro clínicos  dos pacientes e provoca óbitos. Itabuna se tornou uma cidade proibida para alguém adoecer. Nem isto convenceu o líder do PT baiano, a empreender um mínimo esforço, para que nossa cidade pudesse contar com condições menos traumáticas, em seu setor de saúde pública. Ressaltei no pedido que lhe fiz, sobre o quanto a cidade contribuiu para seu sucesso político e que esta seria a forma dele demonstrar seus agradecimentos e consideração. Tentei o conscientizar que a cidade merecia e carecia da sua ajuda. Everaldo desdenhou. Tratou o assunto, como algo tão importante quanto uma máquina de mimeógrafo, ou telegrafo. Isto tudo demonstra, que Everaldo só está preocupado com seus próprios interesses e que pouco lhe importa, o flagelo a que o setor de Saúde Pública de Itabuna está submetido. Everaldo Anunciação contou com grandes e boas oportunidades de sucesso em Itabuna. Ocupou cargos importantes na cidade. Foi vereador, dirigente da CUT, Ceplaqueano e Secretário Municipal. E nada disso foi suficiente para ele retribuir os êxitos obtidos, pelo sofrido e menosprezado povo itabunense. Lamentavelmente.

14 de janeiro de 2017

A SEGURANÇA ENTRE O BLÁ BLÁ BLÁ DO GOVERNO E A BÁRBARI DO PCC

O governo não está controlando o fogo que o PCC espalha no país
Há onze anos, 564 pessoas foram mortas numa guerra entre agentes da segurança pública de São Paulo e a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da capital). A maior cidade da América Latina parou: escolas fecharam, ônibus deixaram de circular (90 veículos foram incendiados) e as pessoas se recolheram em casa, temendo atentados a bala que entre os dias 12 e 13 de maio de 2006 mataram 59 agentes – postos policiais e delegacias foram metralhados. As forças se segurança retaliaram e muitas famílias ainda choram as mortes de inocentes. Por trás de tudo, Marco Camacho, o Marcola, chefe do PCC, a mesma facção envolvida na chacina de Manaus que chocou o mundo. Marcola queria um tratamento mais humano nos presídios e também, alegam ONGs que acompanharam o episódio, se vingar dos policiais que haviam sequestrado seu enteado e exigido dinheiro. A facção pôs nas ruas não apenas membros das suas hostes, mas gente que lhe devia dinheiro, cuja dívida seria paga com os ataques. Puro terror. A coisa chegou a tal ponto que os ataques só cessaram depois que representantes do governo paulista (negou) se reuniram com Marcola e pediram trégua. O que aconteceu em São Paulo gerou pilhas de documentos, análises conjunturais e propostas para resolver a situação carcerária no Brasil. Apesar dos aspectos conflitantes, havia um consenso: o PCC teria que ser enfrentado e desmantelado. Passado todo esse tempo, a facção cresceu e domina hoje, internamente, a maioria dos presídios brasileiros e comanda o crime nas ruas. Todos esses assassinatos deveriam nos ensinar algo, mas as reações advindas com o que ocorreu em Manaus e Roraima oscilam entre o horror e o aplauso: consternação pelos corpos esquartejados e júbilo por tantos bandidos mortos de uma tacada só. O que deveria servir para reflexão, o aglutinar de ideias para sairmos da barbárie, aprofundou ainda mais o fosso entre os que têm uma visão sociológica do fato e os que acham que bandido bom é bandido morto, não sabendo estes que os presos estão custodiados, responsabilidade do Estado. Apesar de tudo, somos uma Nação, e o conceito de Nação vai além de um povo unido pela língua. Pressupõe que os cidadãos vivam numa sociedade organizada, cada qual com seus direitos e deveres. Para os que saem do controle existe a Lei, se a Lei é branda, que se reforme a Lei, no caso a Constituição. Já é tempo de nos livrarmos do entulho legal, que beneficia a tantos, e estabelecermos uma nova ordem. Precisamos voltar a nos orgulhar de sermos uma Nação.

MULHER AGRIDE, CORTA CABELO E EXIBE AMANTE PELADA AO VER TRAIÇÃO

Amante foi arrastada nua por agressora, que pôs marido pra correr
Uma moradora de Cubatão (SP) ficou revoltada ao flagrar o marido com uma amante, na tarde da última sexta-feira (13) e, além de agredir a mulher, também cortou o cabelo dela e a arrastou pelada e à força pelas ruas do bairro Bolsão 9. A cena chamou atenção de moradores, que tiraram fotos e gravaram vídeos da ação antes da chegada da polícia. Nas redes sociais, a mulher traída escreveu que a atitude contra a rival era uma lição para as "talaricas", gíria usada quando uma mulher se relaciona com um homem comprometido. "Vou mostrar como faz com as talaricas de homem casado. Acabei de pegar essa vagabunda com o meu marido. Ex-marido a partir de hoje", escreveu. Na mesma postagem, a esposa traída diz ainda que também agrediu o marido, mas ele acabou fugindo, enquanto a amante ficou. "Dei uns 'pau' nele (sic). Ele correu e a vadia ficou. Dei uns tapinhas de leve nela", acrescenta a mulher, que revelou ainda ter cortado o cabelo da vítima e desfilado com ela pelada pelas ruas do bairro com o objetivo de mostrar autoridade. "Ninguém me tira", disse. Após o ocorrido, a agressora comemorou estar "solteira". O G1 entrou em contato com as polícias Civil e Militar para falar sobre o assunto. Segundo a polícia, porém, a mulher agredida não havia formalizado uma queixa oficial até a manhã deste sábado (14).

PF: GEDDEL FACILITAVA EMPRÉSTIMOS EM TROCA DE PROPINA

Polícia Federal pede abertura de inquérito para apurar caso Geddel
O relatório da Polícia Federal referente à investigação que resultou em mandato de busca e apreensão em um imóvel de Geddel Vieira Lima aponta que o ex-ministro atuava em “prévio e harmônico ajuste” com o ex-presidente da Câmara Federal e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para facilitar a liberação de empréstimos da Caixa Econômica Federal a empresas, com recebimento de propinas em contrapartida. No despacho que autorizou a operação "Cui Bono?", realizada na manhã de sexta-feira (13), o juiz Vallisney de Souza Oliveira cita o relatório e a atuação dos investigados. A "Cui Bono?" investiga um esquema de fraudes na liberação de créditos junto à Caixa entre 2011 e 2013, período no qual Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa. A apuração demonstrou também que os dois peemedebistas forneciam informações privilegiadas, além da liberação de créditos. "Consta dos autos que, valendo-se do cargo de Vice-Presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, [Geddel Vieira Lima] agia internamente, em prévio e harmônico ajuste com Eduardo Cunha e outros, para beneficiar empresas com liberações de créditos dentro de sua área de alçada e fornecia informações privilegiadas [...] para que, com isso, pudessem obter vantagens indevidas junto às empresas beneficiárias dos créditos liberados pela instituição financeira", diz a decisão judicial. De acordo com o juiz, o "grupo criminoso", além de Geddel e Cunha, era composto pelo ex-vice-presidente da Caixa, Fábio Ferreira Cleto, que é delator da Lava Jato, e pelo doleiro Lúcio Funaro, que está preso e é réu na Lava Jato. O relatório cita empresas beneficiárias de empréstimos da Caixa, e que teriam pagado propina ao grupo: BR Vias, Oeste Sul Empreendimentos Imobiliários, Marfrig, J&F Investimentos, Grupo Bertin e JBS. A operação tem base em informações encontradas em um celular que estava em desuso apreendido pela polícia em dezembro de 2015 na residência oficial do presidente da Câmara, cargo ainda ocupado por Cunha à época. Segundo a PF, o celular apreendido continha "intensa troca de mensagens eletrônicas entre o presidente da Câmara à época e o vice-presidente da Caixa Econômica Federal de Pessoa Jurídica entre 2011 e 2013". Além dos mandados de busca e apreensão, o magistrado autorizou a quebra do sigilo dos dados telefônicos, telemáticos, postais, bancários e fiscais nas mídias e documentos apreendidos na operação. 

O RECOMEÇAR EM 5 METAS

O fim só existe para quem não percebe o recomeço
Estamos num tempo de estimulo à definição de metas. Mudar de emprego, praticar atividade física, melhorar a alimentação e poupar dinheiro são alguns dos itens recorrentes. A expectativa do novo desperta a sensação de recomeço. As pessoas aproveitam a energia do início de ano novo para mudar, elaborando uma lista. O ideal é criar um bom planejamento, pautado na história da própria vida, considerando objetivos que estejam relacionados diretamente com cinco áreas prioritárias: familiar, pessoal, carreira, financeira e relações sociais. A questão familiar está associada às pessoas de laços sanguíneos e também àqueles realmente próximos, considerados alicerces. Também é importante trabalhar o “eu”, seja no âmbito espiritual, pessoal, no cuidado com a saúde, bem-estar e lazer, sendo a terceira área prioritária dedicada à vida profissional e à carreira, como mantenedora da história profissional de cada um. Uma área relevante é a parte financeira para garantir um bom planejamento das despesas com a definição de objetivos relacionados diretamente à saúde do bolso e, por fim, metas que englobem as relações sociais, os colegas de trabalho, os vizinhos e as pessoas do cotidiano. Se as metas forem trabalhadas dentro dessas cinco áreas, a chance é grande de se ter um 2017 bem sucedido. Para obter resultados satisfatórios, envolva as pessoas que torcem por você e que, de alguma maneira, podem cobrar os resultados e acompanhar o cumprimento de suas metas. Colocar o planejamento visível na parede, na porta do armário ou na geladeira também é uma alternativa para se obrigar a cumprir o planejamento dentro do prazo. Quando existe alguém para ajudar, o entusiasmo e motivação são maiores e crescem com cada resultado, sendo importante saber transformá-los para focar no objetivo final. O que fazer quando a meta não é cumprida? Nem tudo está perdido. Se não conseguir seguir o planejamento, deve-se refazê-lo e rever o prazo para conseguir alcançar metas, sendo que uma alternativa é desmembrar grandes objetivos em propostas menores. O importante é não desistir. Entraves antigos devem ser tratados sob uma nova perspectiva para garantir bem-estar e o sucesso. Quem se dispõe a mudar, precisa saber que transformações implicam em abrir mão de algo, tornando as compensações desses vazios importantes, pois o objetivo maior é ser feliz. Algumas pessoas têm mais facilidade de cumprir metas que outras e é possível observar uma geração que não possui muito foco no planejamento e, sim, em viver o momento. Planejar o futuro não quer dizer que não se deve viver o hoje, mas, sim, pensar o que e como pode ser melhor no dia seguinte. Para cumprir o planejamento e atingir metas, determinação, persistência, foco e disciplina serão fundamentais. Todos devem ficar atentos às oportunidades, porque, muitas vezes, estão mais próximas do que se consegue perceber. Metas, planejamento, trabalho, entusiasmo e perseverança são pontos fundamentais para se alcançar objetivos. Cada novo ano gera sempre novas perspectivas de recomeços saudáveis e promissores. A escolha é sempre nossa.

13 de janeiro de 2017

EXPORTAÇÕES BAIANAS CAEM 14% EM 2016, QUEDA MAIOR QUE A NACIONAL DE 3,2%

Brasil está “flertando com o abismo” econômico
As exportações baianas atingiram em 2016, o montante de US$ 6.7 bilhões, uma queda de 14,% em relação ao ano passado. A redução nas exportações baianas foi bem maior que a verificada em nível nacional, de apenas 3,2%. O fraco desempenho do comércio exterior baiano foi determinado, entre outros fatores, pela queda expressiva nas vendas de produtos básicos em 31,5%, principalmente do agronegócio baiano, por conta da seca que reduziu a produção agrícola no estado. As exportações de soja  se reduziram em 48%,  e de óleo de soja cerca de 20%, enquanto as vendas extrenas de algodão  cairam 32%. As exportações de produtos derivados do cacau, no entanto, obtiveram bom desempenho e cresceram 26%. Os principais produtos da pauta de exportações baianas apresentaram quedas expressivas nas vendas externas, com destaque para  óleo combustível( -41,8%),  automóveis (-14,6%) e celulose (-18%). As importações baianas atingiram o montante de US$ 6,2 bilhões, uma redução de 25,7% em relação a 2015, o que permitiu que o Estado alcançasse um superávit na balança comercial de US$ 625 milhões. A China permanece como o maior parceiro comercial da Bahia, representando 22% do total, mas em 2016 houve uma queda de 33% nas vendas para este país, em relação a 2015. Mas há boas notícias, pois os Estados Unidos, segundo maior comprado de produtos baianos, com 13,7% do total, aumentou suas compras em 16%, enquanto a Argentina, que vem a seguir comprando 11% do total, ampliou suas compras em 3%, sempre em relação a 2015. As informações foram obtidas junto ao Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - MDIC.

SE FOR USAR CELULAR NÃO DIRIJA

Dirigir com uso do celular tem provocado muitos acidentes graves
Tem se tornado cada vez mais frequente flagrar motoristas utilizando o celular no trânsito. A questão pouco preocupava quando esses aparelhos eram usados somente para efetuar ligações ou mandar SMS. Mas hoje, na era das redes sociais e com os telefones tendo acesso à internet, aumenta a possibilidade de distrações e, consequentemente, sobe o número de acidentes. Prova disso é que, segundo pesquisas, o uso do celular ao volante aumenta em 400% o risco de colisões. O Facebook e o Whatsapp estão entre as ferramentas que mais tiram a atenção dos condutores no trânsito. É preciso que todos nós tenhamos consciência do perigo que pode significar alguns segundos de distração no trânsito. Em casos de urgência para se comunicar com outras pessoas, o condutor deve parar a motocicleta ou o carro em um acostamento para utilizar o celular. O trânsito tumultuado dos dias atuais requer total atenção de ciclistas, motociclistas, motoristas e pedestres. Em outras palavras, simples descuidos podem causar graves acidentes.

12 de janeiro de 2017

2016 NÃO FOI UM ANO BOM PARA OS DADOS DA AIDS EM ITABUNA

O Cerpat tem contribuído muito para conter a propagação de Aids em Itabuna
Itabuna registrou 149 novos casos de Aids, apenas de janeiro até o dia 21 de julho em 2016, segundo os dados do Centro de Referência em Prevenção, Assistência e Tratamento de DSTs do município (Cerpat). O número registrada é de 20 casos de pessoas portadoras do vírus HIV a mais que em todo o ano de 2015. Os índices são preocupantes, já que o ideal seria que não houvesse nenhum novo caso da doença. E é com a intenção de alcançar esse objetivo, bem como esclarecer a população sobre as formas de tratamento da enfermidade, que o Cerpat promove constantes campanhas de prevenção em escolas, associações e com ações diversas em eventos festivos e onde haja aglomerações de jovens. Como todos sabem, o diagnóstico precoce dificulta o desenvolvimento e diminui a taxa de transmissão do HIV. Ao ser comprovada a doença, o Cerpat oferece de imediato todo o tratamento. Isso significa que o paciente tem total amparo para que tenha uma vida melhor e de qualidade. Como muitos dizem, o que mata não é o HIV/Aids, o que mata é o preconceito. Todos precisam ter essa conscientização, além de lembrar sempre que o método mais eficaz contra essa doença é o uso do preservativo. O tratamento é fundamental e o urologista Júlio Brito explica que é possível viver bem mesmo com o vírus. "Temos pacientes aqui com 20, ou mais de 20 anos, vivendo perfeitamente bem sem nenhum problema. Isso graças ao surgimento dessas novas drogas", disse. O Ministério da Saúde prevê que para cada caso identificado, deve haver cinco que não é identificado.

11 de janeiro de 2017

“QUEM FALA DEMAIS DA BOM DIA A CAVALO”

Tem gente que a melhor coisa que faz pe ficar em completo silêncio
A declaração de Bruno Júlio (PMDB), secretário nacional de Juventude, sobre o massacre de 60 presos no presídio de Manaus (AM), de que “Tinha era que matar mais. Tinha que fazer uma chacina por semana”, tornou insustentável a sua permanência no cargo, que foi entregue a Michel Temer. É inacreditável, mas não passa um dia sem que alguma autoridade dê uma opinião estapafúrdia sobre o caso. Como José Melo, governador do Amazonas justificando as mortes, dizendo que “não tinha nenhum santo”. Ou Michel Temer, presidente da República afirmando que foi um “acidente pavoroso”. Na prática, todos sabem que, ao dizer essas aberrações, externam o que uma boa parcela da população realmente pensa sobre isso. Alguns, como Bruno, até parecem acreditar nisso. O ponto é que quem ocupa um cargo público deve defender a lei e não fazer proselitismo com quem não dá a mínima para ela. O Estado não pode e não deve agir com os mesmos métodos de bandidos, mas também seus representantes não podem adotar discursos que não passem pela proteção da dignidade humana. Abrir uma exceção a isso é decretar a falência do Estado de direito. E, repito, isso não é defesa de bandido, mas de nós mesmos. Porque, sem isso, será a regra do mais forte. Parte da população, em momentos de comoção, feito uma horda desgovernada, pede sangue. Afinal de contas, “aquele bando de bandidos não são seres humanos porque desrespeitaram a lei”. E mesmo “os que não mataram ou estupraram, matariam se pudessem”, não é mesmo? “Devem apodrecer por lá”. Tenho medo desse ponto de vista porque é o mesmo de turbas ensandecidas, que ignoram a lei e fazem Justiça por conta própria, não raro matando inocentes. E de uma população com tanto medo de si mesma que acaba por ignorar as leis e se guiar por discursos que prometem o impossível: garantir a paz promovendo a guerra. No final das contas, essa guerra com ares de inquisição se estende a todos sem exceção. Ou você está do lado deles ou contra eles.

10 de janeiro de 2017

HÁ COISAS QUE NOS FAZEM DIVAGAR NO TEMPO

Há coisas que só os bagunçados sabem encontrar na arrumação
Dia desses, tentando achar um documento na verdadeira Babel em que há muito se transformou o meu cantinho de trabalho em minha residência, dei-me conta de quantos cacarecos tenho juntado naquele espaço que é, em toda a minha casa, o único realmente meu. Os outros ambientes são domínio da Joelma (a maioria) ou das meninas Ine e Fran, nos quais eu transito como um mero intruso permitido. No meu espaço de trabalho, não; ali eu impero como um monarca absolutista, lá eu posso guardar – ou entulhar, como diriam elas – as coisas que, em horas de maior autocomiseração, eu chamo eufemisticamente de “objetos pessoais”. Ninguém está autorizado a mexer em nada, nem mesmo Joelma que se contenta apenas em tirar superficialmente a poeira mais grossa, nada além disso. Acha-se ali de tudo um pouco. Fotografias de família, convites de casamento e de formatura, “santinhos” de sétimo dia, manuscritos de parentes e amigos falecidos, suvenires de viagens e um amaranhado de documentos e livros. Livros aos montes e invadindo o chão, entre os lidos e os que nunca foram sequer folheados, para minha angústia sempre crescente. Eu sei onde e em quais circunstâncias foi comprado cada objeto, e cada coisinha ali abrigada é um gatilho da memória que desperta dezenas, senão centenas de lembranças e sensações. Mexendo neles, viajo no tempo e sei que meu olhar vai para longe, levando-me de volta a cada um daqueles lugares visitados, a cada um dos momentos vivenciados em outras épocas saudosas. “Confesso que vivi”, como diria Pablo Neruda, ao meu modo e do meu jeito; não sei se certo ou errado, mas fiel a mim mesmo. A vida deveria ser medida em momentos, não em minutos. Há horas que passam sem deixar nada em nós, enquanto há momentos que duram uma eternidade no nosso relembrar. E como é bom termos recordações que nos mostram ter valido a pena o caminhar empreendido até agora! Os meus cacarecos afagam o meu coração, tarde da noite, quando estou organizando as contas e rasgando os papéis que se acumulam sem parar, pensando no amanhã que às vezes me preocupa.

“QUEM SABE FAZ A HORA, NÃO ESPERA ACONTECER”

É PERTINENTE QUE NÃO SE DEIXE NADA PARA FAZER DEPOIS
Existe no Brasil um conhecido ditado popular que afirma o seguinte: “o ano só começa depois do Carnaval”. Entretanto, não é bem assim. Basta lembrar que, logo neste mês de janeiro, os trabalhadores já começam a pagar uma série de impostos, como o IPTU, por exemplo. É também a época em que os pais têm que comprar o material escolar de seus filhos, assim como realizar matrículas em escolas e universidades, entre outros compromissos. Para os políticos com mandato, especialmente aos prefeitos baianos eleitos ou reeleitos em outubro de 2016, o ritmo de trabalho precisa ser ainda mais acelerado, haja vista as condições precárias e a falta de recursos na maioria dos municípios do Estado. Isso significa que os gestores não podem perder tempo e precisam o quanto antes encontrar soluções para os diversos problemas das cidades. Já os vereadores eleitos só começam a trabalhar nas câmaras municipais oficialmente em fevereiro. Porém, isso não quer dizer que eles devam ser cobrados somente a partir do segundo mês do ano. Esses parlamentares e suas equipes serão muito bem remunerados já no fim deste mês. Portanto, todos precisam mostrar trabalho. A população tem que estar atenta, exigir produtividade, bem como o cumprimento das promessas feitas ainda na campanha.

9 de janeiro de 2017

PERCALÇOS DOS PRIMEIROS PASSOS DOS PREFEITOS

UPB tem orientado os prefeitos a terem cautela no início de gestão
A presidente da União dos Prefeitos da Bahia (UPB), Maria Quitéria, falou em entrevista coletiva, acontecida recentemente em Itabuna, de “um cenário desolador” para os gestores que assumiram o cargo de prefeito no último dia 1º de janeiro. A líder municipalista elencou como algumas dificuldades as medidas de ajuste fiscal aprovadas no ano passado pelo Congresso Nacional, entre elas a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece o teto de gastos públicos e congela por 20 anos os investimentos em áreas essenciais para a população, e a falta de autonomia dos municípios diante da sobrecarga de financiamento que são obrigados a enfrentar para manter cerca de 400 programas federais. Maria Quitéria, ainda na entrevista, criticou a exclusão dos municípios do processo de renegociação das dívidas públicas com a União, que beneficiou apenas os estados. Segundo a presidente da UPB, só a dívida previdenciária das prefeituras soma em torno de R$ 100 bilhões em todo país. Por outro lado, de acordo com ela, a União deve cerca de R$ 50 bilhões aos municípios, mas, conforme disse, quando há débito das prefeituras, o governo federal, em vez de negociar, costuma interromper o repasse de verba. Maria Quitéria se mostra preocupado com a lei que determina o teto dos gastos, a partir da qual prevê uma inevitável perda de recursos para os municípios. A falta de reajuste dos repasses para manutenção dos programas federais obriga as prefeituras a complementarem o custo dos serviços, a exemplo da merenda escolar, como já ressaltou o presidente da Associação dos Municípios da Região Cacaueira (Amurc), Lenildo Santana. Para ele, a divisão com os municípios da multa da repatriação foi um alento no final do ano passado. O dinheiro entrou na conta das prefeituras no dia 30 de dezembro e ajudou a muitos reduzir as dificuldades para fechar as contas sem ferir a Lei de Responsabilidade Fiscal. O presidente da Amurc afirmou que “Os prefeitos que tiveram uma transição pacífica já devem estar engrenando as primeiras medidas nos seus municípios. Percebo, na maioria deles, determinação para realizar um bom trabalho em favor da população de suas cidades”, disse Lenildo Santana.