CÂMARA DE VEREADORES

20 de junho de 2019

DEVEMOS TORCER E QUERER QUE CUMA PARE DE SER O CALO NO PÉ DO POVO

É necessário Cuma ressuscitar para Itabuna sobreviver!

Uma das grandes entre as pequenas questões em torno do governo do prefeito Fernando Gomes (Cuma) e do futuro de Itabuna e dos itabunenses, é a seguinte: “E aí, vai mesmo torcer contra Itabuna?” Por torcer contra Itabuna entenda-se: torcer contra Cuma. Itabuna é Cuma, Cuma é Itabuna. Ame-o ou deixe-o. Resolvi pensar sobre o assunto. Essa pergunta teria de ser desmembrada em duas outras, subjacentes. A primeira: torcer contra determinado governo, ou governante, ou modo de governar – é, necessariamente, torcer contra a cidade? A segunda: você, seja lá quem for, torceria sinceramente pelo seu adversário, caso tivesse sido dele, a vitória? Não gosto dessa identificação entre prefeito e prefeitura, entre aliado e adversário e, principalmente, entre governo e município. Não torço contra Itabuna porque moro nela, minha família mora nela, aqui vivemos e aqui, provavelmente, morreremos. Nem por isso me sinto moralmente obrigado a torcer a favor de certo governo, ou governante, ou modo de governar. Parece contraditório, mas não é. Cuma representa a si mesmo, mais do que Itabuna. No caso das eleições, por exemplo, em que ele conquistou seu quinto mandato, se é verdade que mais de 34 mil pessoas votaram nele, é também verdade que outras quase 50 mil não votaram. Isso conta ou deveria contar, numa democracia. Democracia não é exatamente o governo da maioria, mas de uma minoria que é um pouco mais numerosa do que as outras minorias. A soma de todas as minorias que perderam é maior do que a minoria que venceu. Estou, portanto, confessando que torço contra o governo de Cuma? Nem por isso. O caso, e isso é outra nuance, não é de torcer, mas de criticar sem boa vontade. De olhar com menos condescendência e simpatia para um governante em quem não votei. Se eu tivesse boa vontade para com ele, teria votado nele. Não votei. Estou pronto para dizer “Olha lá, eu não avisei?” à primeira besteira que ele fizer. Isso é compreensível. Eu critico e criticarei Cuma porque não vejo nele as qualidades que outros veem. E aqui chegamos à segunda pergunta: todos esses fernandistas que hoje torcem por Itabuna – ou seja: votaram no Cuma e torcem por ele –, também torceram para que o corrupto Geraldo cabeça de Pitu fizesse um bom governo? Os fernandistas torceram para um ótimo governo do PT? Torceriam novamente? Sim, eu sei, há as mazelas que foram cometidas. Mas imaginemos antes – antes das incorreções, antes de tudo, quando Geraldo era uma figura tão controversa, porém idônea penalmente: naquela época, se pudessem voltar no tempo, torceriam por ele? Fernandistas não. Não votaram nele e nem torceram nem torceriam por ele. Geraldo sempre representou uma visão de mundo, um conjunto de valores que nunca foram os dos fernandistas. A antipatia era, e é, pessoal, política, partidária e ideológica. Queriam mais era que ele se danasse, que cometesse erros, que trocasse os pés pelas mãos – tudo para que caísse, tudo para que fracassasse, tudo para que eu pudesse dizer, cedo ou tarde: “Olha lá, eu não avisei?” Aqui, volto ao princípio: por acaso prefeitura é prefeito? Cuma é poder? Fernandistas e geraldistas são Itabuna? Perigosa, essa confusão entre acidente e substância. Portanto, prefiramos torcer para que Cuma não erre tanto, porque governa a cidade em que vivo, mas que sua visão de Itabuna – que considero precária; uma versão à direita da precariedade de Geraldo – não se perpetue. Que ele comece a fazer um governo bom ou razoável, mas que Itabuna siga sem ele o mais rápido que puder. Até porque, convenhamos, fazer um governo bom ou razoável depois de governos tão ruins, quanto os anteriores, não é mérito. É o mínimo que se espera.

O NÃO ESTÁ, ESTANDO DE VANE!

Vane faz que não vai e vai acabar indo, sem saber se deveria ficar, ou não ter ido!
A frase "Ser ou não ser, eis a questão" vem da peça A tragédia de Hamlet, príncipe da Dinamarca, de William Shakespeare. E é frequentemente usada como um fundo filosófico profundo. Sem dúvida alguma, é uma das mais famosas frases da literatura mundial. E se aplica tão bem quanto sol e verão e como voto e eleição, no que está acontecendo com o ex-prefeito de Itabuna, Vane do Renascer. Ele quer e não quer voltar a comandar a prefeitura e explico este paradoxo: pessoalmente Vane está tão decepcionado com a política e a forma com que a maioria das pessoas a praticam, que ele quer distância desse ambiente. Mas muita gente tem o convencido, que ele é soldado da causa de rejeição a governantes corruptos e que não atuam para cuidar das pessoas mais carentes da nossa sociedade. Na opinião desses seus motivadores, Vane não tem direito de se omitir diante dessa vulnerabilidade a que Itabuna pode se submeter. Por isso exigem que ele se candidate. É aí onde reside a dúvida de Vane: ser soldado de uma causa coletiva, ou general de si mesmo! Os próximos capítulos desse peça shakespeariana revelarão qual será a decisão de Vane e qualquer que seja esse desfecho, sempre lhe restará a dúvida: "será que fiz a coisa certa?"!

19 de junho de 2019

REJEIÇÃO A CUMA REVELA PRECARIEDADE DE SUA GESTÃO

Cuma e Rui são avaliados como muito ruins em Itabuna!
Em Itabuna faltam médicos, equipamentos e medicamentos em Postos de Saúde e o setor de assistência social da prefeitura, não serve para servir a quem não tem com quem contar. Também faltam na cidade ações de políticas públicas para fomentar o desenvolvimento do comércio, indústria e serviços e isto tem consequências de aumento do drama do desemprego, desesperança e até desespero para muitos dos nossos jovens e pais de famílias. A prefeitura tem deficiência em seu setor de planejamento e este fato implica em desorganização do governo, cujas atividades acabam acontecendo com o descontrole característico de um prefeito que está igual a cego no meio de um tiroteio. O prefeito Fernando Gomes (Cuma), gasta seu escasso tempo de gestão com reuniões exaustivas e improdutivas sobre questões relacionadas a realizações de festas, políticas pessoais e “óperas-bufas”, que o impedem de decidir e agir para promoção de uma administração eficiente. O povo da nossa cidade demonstra sua insatisfação através de pesquisas que apontam altíssimos índices de rejeição ao prefeito e este fato revela que a cidade está submetida a uma condição semelhante a um reinado sem rei, ou com rei que conta apenas com bobos da corte, mas está cercado por cidadãos e cidadãs, que não o aplaudem e nem acreditam em suas boas intensões e ações. Estes problemas parecem que não contarão com soluções advindas da Justiça e da Câmara de Vereadores e esta situação cria um clima de descrença do povo, nas instituições fiscalizadoras e punitivas. Mas essa realidade não faz o itabunense esmorecer, pois ele sabe que no próximo ano haverá eleição municipal e nela não há como promotores públicos e vereadores serem as únicas alternativas para defenestrar corruptos e inábeis do poder. Será com o voto de indignação e protesto contra todas mazelas que o afligem, que nosso povo demonstrará seu poder de dar um basta a tudo o que fez e tem feito de ruim o prefeito, seus parentes e aderentes.

SERÁ INEVITÁVEL A REVOADA DE VEREADORES EM ITABUNA

Dos 13 vereadores que não permanecerão nos partidos que os elegeram, apenas
Babá já definiu sua situação e saiu do PHS, para ser prefeiturável pelo PSL.
Dos atuais 21 vereadores de Itabuna, apenas 8 deverão permanecer nos partidos que os elegeram e 8 já estão de malas prontas para pertencerem a diferentes agremiações políticas. Outros 5 sairão, mas ainda não estão certos sobre onde se filiarão. Estão nessa dúvida: Manoel Júnior (PV), Chico Reis (PSDB), Beto Dourado (PSDB), Júnior do Trator (PHS) e Enderson Guinho (PDT). Os que continuarão em seus partidos de origem e com seus mesmos números de candidaturas são:  Ninho (PR), Pastor Francisco (PRB), Jairo Araújo (PCdoB), Júnior Brandão (PT), Antônio Cavalcante (PMDB), Milton Gramacho (PRTB), Ricardo Xavier (PPS) e Robinho (PP). Babá Cearense já foi liberado pela direção do PHS e está filiado no PSL do presidente Jair Bolsonaro e por este partido deverá ser candidato a prefeito. Mas outros 7 vereadores já estão com reservaas garantidas para partidos já definidos: Aldenes Meira (PCdoB), deve ir para o PSB, que é presidente pelo médico e ex-deputado estadual, Renato Costa; Ronaldão (PMN), deverá ser correligionário no PSD, do seu "xifópago" Alcântara Pelegrine e do ex-deputado estadual, Augusto Castro, que por sua vez, saiu do PSDB, para protagonizar a cabeça de chapa do partido do senador Otto Alencar, nas próximas eleições municipais, em Itabuna; Alex da Oficina e Zico, ambos eleitos pelo PTC, deverão embarcar no PTB, cujo prefeiturável será Dinailson Oliveira, que ainda tenta fazê-lo contar com Ninho e Milton Gramacho; Nel do Bar (PPS), também está na conta do PTB; Charliane Sousa está de saída do PTB, para se candidatar a prefeita pelo DEM do prefeito de Salvador, ACM Neto e consigo levará seu atual correligionário Chicão. Portanto, essas são as aguardadas mudanças de legendas para os vereadores de Itabuna e qualquer modificação nesse prognóstico, ficará por conta da conta que cada um terá que fazer nos votos de legenda, que cada partido terá que obter, para o reeleger!

18 de junho de 2019

PRECARIEDADE NA SAÚDE DE ITABUNA É CAUSADA POR MÁ GESTÃO

Jozimar e Cuma estão mancomunados no que há de mais
deficiente nos serviços públicos de Saúde de Itabuna!

Tão feia e preocupante quanto o crônico caos na saúde pública de Itabuna, é a radiografia do sistema feita pelos órgãos públicos de fiscalização, onde processos apontam irregularidades e desperdícios de recursos. Atendimento ruim e falta de infraestrutura nos postos de saúde e hospital regional e deficiência nos serviços clínicos, compõem o retrato da saúde pública em Itabuna. A falta de recursos não é a principal causa desses problemas, e sim a má gestão; A má aplicação dos recursos públicos. Um simples levantamento sobre os acontecimentos no setor, é uma chave essencial para ajudar a entender as razões que levam os itabunenses a penar em corredores, ambulatórios e enfermarias do Sistema Único de Saúde (SUS). Num quadro em que se misturam mau atendimento, déficit de profissionais, desleixos e irresponsabilidades, revela-se uma realidade inquestionável: talvez mais do que a falta de verbas, alegação sempre presente quando se trata de “justificar” a ineficiência da rede oficial, a estrutura sofre do mal generalizado de gestão inepta. Este nosso diagnóstico se baseia em exemplos absurdos, que revelam nítidos problemas de administração, como a destinação inadequada de equipamentos. Há casos em que aparelhos odontológicos permanecem encaixotados, portanto sem uso; ou de equipamentos inativos porque a unidade de saúde pública não dispunha de sala onde a pudesse instalar; ou ainda o de um aparelho também inoperante à espera da ampliação da rede de energia e contratação de pessoal. São evidências gritantes de inaptidão gerencial, que se juntam a demandas crônicas, algumas até ditadas por problemas de verbas, principalmente por sua má aplicação, como déficit e excesso de pessoal e redução acentuada do número de leitos oferecidos pelos SUS. É bem verdade que, neste quesito, o fenômeno não está circunscrito a Itabuna, mas o fato é que, em comparação com a maioria dos demais municípios baianos, é desabonador o perfil de Itabuna, à frente apenas de uma dezena de outras cidades na relação leitos/população. Há outros dados igualmente preocupantes, como superlotação das emergências das unidades básicas e hospitalares e a dramática situação de deficiência de leitos de UTI para a população usuária do sistema público. Um levantamento eficaz do Ministério Público e da Câmara Municipal, é roteiro necessário para que sejam estudadas as mazelas dos serviços de Saúde Pública em Itabuna, com as lentes da realidade de uma rede pública ineficiente, desmontando a ideia de que mais verba seria uma panaceia, quando o que se tem é uma falência múltipla de gerenciamento. Isto sim, pode ajuda a dar a medida do custo social dessa insensibilidade.

VIRILHADOR É AQUELE QUE SÓ ANDA PENDURADO NA VIRILHA DO PREFEITO

Virilhador é o sujeito eleito para fiscalizar e passa a ser lacaio do prefeito!
Parece que nem todos nossos legisladores sabem que, por força constitucional, o vereador, no exercício de sua função, tem por obrigação fiscalizar as ações do poder Executivo. Goste o prefeito ou não, é papel do vereador requerer informações para saber onde estão sendo investidos os recursos públicos e que qualidade de serviços públicos estão sendo entregues à comunidade. A função de fiscalizar é, portanto, uma extensão da função de legislar. Fiscalizar por exemplo se as leis votadas estão sendo respeitadas e se contratos como o dos serviços de limpeza pública e consultorias jurídicas, estão respeitando os valores de mercado e comparar, suas condições com contratos similares em cidades iguais. E o andamento das leis que regulam o orçamento público: PPA, LDO, LOA. Acompanhar se o plano de metas está sendo rigorosamente cumprido, pois tudo que foi debatido nas audiências públicas e votado pela Câmara virou lei. O não cumprimento delas, por regra constitucional, acomete o prefeito em crime de responsabilidade. Logo, se o vereador tem que ter tempo para legislar, mais tempo ainda deve possuir para fiscalizar a aplicação da lei e seus efeitos na sua comunidade. Quando ouvir um vereador dizer que não tem tempo suficiente para exercer essas duas atribuições elementares da sua função, você estará diante de um vereador omisso, ou por desconhecimento da função ou por conveniência política. Se o vereador cobrar com maior rigor o cumprimento das leis e metas preestabelecidas, forçará o prefeito a executá-las, sob pena de ter a opinião pública contra si, apesar de que ainda existe prefeito que tenta vender à população que quando o vereador fiscaliza, ele atrapalha a administração. Nenhum prefeito gosta de vereador exercendo esta função. Geralmente eles cooptam o vereador dando em troca empregos a parentes e aderentes. Leva-o sempre consigo nas inaugurações de obras e oferece todo e qualquer tipo de benesses que o poder possa ofertar para ter o vereador subserviente a seus interesses. No entanto, o art.31 da constituição Federal expressa claramente: "A fiscalização do município será exercida pelo poder Legislativo Municipal, mediante controle externo e pelos sistemas de controle interno do poder executivo municipal na forma da lei." "O controle externo da Câmara municipal será exercido com o auxílio dos Tribunais de Contas dos Estados ou município, onde houver". Assim sendo, o vereador que não cumprir esta determinação estará dando calote eleitoral e contrariando os princípios da função. Cabe à sociedade que elege o vereador acompanhar o seu desempenho para posteriormente saber analisar melhor em quem está votando. O cidadão bem informado sobre o que acontece na Câmara também será defensor daquele vereador que cumpre com suas funções de maneira digna e honesta. Pois, diversas vezes, o vereador fiscalizador é atacado por aqueles que estão se locupletando do poder e que tentam jogar para a sociedade que este papel atrapalha a administração municipal. É necessário que tenhamos vereadores cumpridores dos seus deveres, pois eles são os únicos instrumentos à disposição da comunidade para exercer o controle externo do poder executivo. Portanto, o vereador deve repensar seu verdadeiro papel e cumprir com maior abnegação a arte de verear para o bem de sua comunidade e assim merecer que ela o reeleja!

17 de junho de 2019

FANTASMAS TAMBÉM SÃO MEIOS DE CORRUPÇÃO

Cuma transformou a Prefeitura em "Antro de Fantasmas"!

Quando se trata de combater a corrupção, é preciso usar tecnologias com bom senso. Uma delas é a biometria, que classifica e armazena em um banco de dados a identidade de um indivíduo por meio de uma característica física, normalmente impressões digitais ou íris. A biometria é cada vez mais usada em sistemas de identificação e registros de eleitores. É uma tecnologia que levanta questões sobre privacidade e proteção de dados. Apesar destes problemas, ele realmente serve como solução para a corrupção? Tomemos uma situação em que a biometria tem sido apontada como um sucesso: servidores públicos “fantasmas”. Funcionários “fantasmas” são aqueles que estão na folha de pagamento, mesmo sem exercer qualquer função. Isto inclui aqueles que recebem salários de pessoas que morreram ou que nunca existiram, além de parentes de governantes que recebem sem trabalhar. É provável que dezenas, ou centenas de trabalhadores fantasmas assombrem o serviço público em Itabuna. A biometria tem sido cada vez mais usada em unidades anti-corrupção para combater funcionários fantasmas. Como parte deste processo de auditoria anti-corrupção, cada funcionário público é obrigado a se registrar em um sistema biométrico para receber seu salário. A biometria é diretamente responsável pela extinção de funcionários fantasmas. Em um assunto multi-facetado e abrangente como a corrupção, deve-se considerar que a tecnologia pode ser uma panaceia. Vontade política e transparência, mais do que biometria, são as soluções para o problema dos funcionários fantasmas.

O QUE TEM GOVERNISTA PETISTA NA CABEÇA

Nunca se deve esperar coisa boa de governantes petistas!

Só o PT faz merda? De jeito nenhum. Mas o PT sempre faz merda. Esse é o ponto. Lula assaltou o Brasil e Dilma o destruiu de vez. Ao longo de quase quatro décadas, após nossa redemocratização, centenas de administrações petistas arrasaram municípios e estados. Alguma foi boa? É possível, mas desconheço. Apenas garanto que, nas grandes cidades e grandes estados, sempre foram desastrosas. Geraldo Simões (Cabeça de Pitu), por exemplo, arrasou Itabuna e protagonizou vexames e ilícitos como a Máfia do IPTU, Quadrilha das Mochilas e perseguições a mais de cem servidores da prefeitura, só porque votaram contra ele. Geraldo também ocupou cargos públicos de direção na Codeba, Secretaria Estadual de Agricultura na Bahia e dois mandatos de deputado federal e em todos saiu como corrupto. Jaques Wagner esculhambou, surrupiou e quase destrói a Bahia, em seus lastimáveis dois mandatos de governador. O inútil governador Rui Costa, decidiu enviar uma centena de policiais para o Ceará, sob pretexto de combate a facções criminosas. Como todos sabem, o estado governado pelo medíocre petista, enfrenta uma onda de ataques criminosos e ocupa primeiro lugar entre os estados onde mais matam gente. O PT é assim: ou não combate ou pratica o crime. Não raro, tudo junto. A Bahia simplesmente compõe o triste grupo de estados mais violentos do País. Aliás, todos os mais violentos são das regiões norte e nordeste, majoritariamente governadas pelo PT. Sempre o PT! Encerro com o lema: ou o Brasil acaba com o PT ou o PT acaba com o Brasil. Falta de vontade e tentativas é do que não podemos nos queixar.

16 de junho de 2019

BABÁ QUER SUCEDER CUMA PELO PSL

Binho está "dando um trato", para fazer de Babá o Bolsonaro de Itabuna!

O presidente do PSL de Itabuna, Binho Shalon convidou e o vereador Babá Cearense aceitou o desafio de ser seu prefeiturável para as próximas eleições em Itabuna. Para tanto, Binho levou Babá a Brasília, onde o filiou ao partido na quarta-feira (12), em cerimonia que contou com participações do Deputado Federal e presidente nacional do PSL, Luciano Bivar e da deputada federal, Dayane Pimentel, que preside a sigla do presidente Jair Bolsonaro na Bahia. Para definir Babá como seu candidato a prefeito de Itabuna, a direção do PSL aproveitou o dia dos namorados e se separou do poligâmico flerte que mantinha com o ex-prefeito Capitão Azevedo e o advogado Cosme Reis. Babá Cearense disse a nossa reportagem, que cansou de ter seus inúmeros requerimentos e pedidos de providencias sendo desdenhados pelo prefeito e por isso decidiu trocar a função de pedinte, pela posição de quem detém o poder de fazer o que tem que ser feito, que é o prefeito. Babá também destacou que não aceita Itabuna ter saído da terceira para a sétima posição entre as principais cidades baianas e que pretende trabalhar muito para fazer a prefeitura recuperar o tempo perdido com prefeitos, que só fizeram se beneficiarem do dinheiro público. A pretensão é desenvolver uma gestão humanista e progressista, para possibilitar nosso povo ter orgulho de ser itabunense. Para o presidente do PSL, Binho Shallon, Babá Cearense está desistindo de uma reeleição fácil de Vereador, para que os itabunenses não desistam de Itabuna!

A EMASA NÃO CUIDA DAS NOSSAS ÁGUAS E NEM TRATA NOSSOS ESGOTOS

Cuma quer vender a Emasa para tirar a prefeitura do buraco!

O acesso à água potável e ao saneamento básico foram reconhecidos como direito do ser humano pela Organização das Nações Unidas. A resolução declara que “o direito a uma água potável, limpa e de qualidade e a instalações sanitárias é um direito humano, indispensável para gozar plenamente do direito à vida”. No entanto, milhares de pessoas em Itabuna não têm acesso a água potável e outras milhares não dispõem de instalações sanitárias adequadas. Serviço absolutamente essencial, a coleta e o tratamento de esgoto tem sido deixados de lado por sucessivos governos. Para uma cidade que é a maior do sul da Bahia, essa situação é inaceitável, principalmente porque quem tem mais sofrido com essa situação são as crianças. A inexistência de rede de distribuição de água potável, associada à falta de coleta e de tratamento de esgoto, cria um ambiente insalubre que propicia o desenvolvimento de doenças fatais. O que mais surpreende no esgoto é o seu poder destruidor, sua capacidade de atuar em todo os bairros da cidade e de se infiltrar em todos os níveis da sociedade. O bairro Góes Calmon não possui um só metro de tratamento de esgoto, embora seus moradores pagam 70% para esses serviços não prestados pela Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa). A imagem de crianças brincando em meio aos esgotos e lixo a céu aberto é tocante aos olhos de qualquer um. Existem bairros como o Nova Esperança, Santa Clara, Monte Cristo, Corbiniano freires e dezenas de outros, onde esse problema existe em quase todas suas ruas e praças. O principal impacto disso, ou melhor, o impacto mais visível dessa cena é a diarréia. Os pais levam a criança ao posto de saúde com dores abdominais e o médico faz o diagnóstico de parasitose; descreve o tratamento recomendando a ingestão de um medicamento antibiótico e soro. A criança toma o medicamento como prescrito, mas já na próxima visita ao médico retorna com o mesmo problema. Depois de três ou quatro crises de diarréia, a criança cria imunidade e, então, desde que haja uma boa nutrição, as diarréias parecem ficar menos importantes, uma vez que a criança se recupera bem. Apesar de mínimas, este quadro freqüente de diarréias deixa seqüelas a médio e longo prazo. Além das diarréias e outras infecções causadas pela falta de coleta e de tratamento de esgoto, outras doenças prejudicam o desenvolvimento e condenam essas crianças em longo prazo. Se pegarmos crianças de 0 a 5 anos, os danos são ainda maiores: são permanentes.  Trata-se de doenças toxicológicas causadas pela contaminação por substâncias químicas vindas de causas e produtos diversos, tais como a lata de refrigerante, a lata de tinta, garrafas PET, óleo de cozinha, sacolas plásticas, entre outros objetos que são lançados diariamente no rio Cachoeira, seus afluentes e nos esgotos a céu aberto das comunidades carentes em toda a cidade. É despejado, diariamente, mais de 85% de esgoto sem tratamento algum, contaminando solo, rio Cachoeira e mananciais, com impactos diretos à saúde da população itabunense. Engana-se quem pensa que os impactos da concentração de lixo nos esgotos a céu aberto e no rio Cachoeira afeta apenas a saúde daqueles que moram nas comunidades carentes. Grande parte dessas substâncias tóxicas que estão concentradas nos esgotos a céu aberto são voláteis e evaporam levando o “problema” para uma área muito maior. Veja só: todos os anos, no início do ano, nossas cidades sofrem com as enchentes. Imagine você, que trafega pelas redondezas do rio Cachoeira e seus córregos, por exemplo, ou de qualquer canal da cidade. Com as chuvas, todo aquele esgoto que está sendo jogado direto no rio irá evaporar e você irá respirar esse ar contaminado pelas substâncias químicas. Não há escolha, você pode estar na parte rica ou pobre de Itabuna, mas você será atingido por esse verdadeiro inimigo invisível. Infelizmente, nossos governantes ainda têm uma visão míope sobre a questão do saneamento básico: constroem teatro e centro de convenções enormes para artes e cultura e esquecem de investir em uma área que é fundamental, que representa um investimento, que no futuro irá refletir em uma economia enorme que é, por exemplo, a de não ter que cuidar de uma criança com deficiência mental, intelectual, imunológica ou de saúde decorrente da exposição a substâncias químicas que permeiam o nosso país. A sociedade itabunense precisa estar alerta que o problema toxicológico causado pela falta de coleta e tratamento de esgoto e que não está restrita apenas às comunidades carentes. Basta um vento mais forte ou uma chuva para carregar as substâncias tóxicas para muito mais longe, contaminando e condenando, em porções homeopáticas, toda a sociedade. Tais substâncias, despejadas diariamente em nossos rios pelos esgotos, são um verdadeiro inimigo invisível. A sociedade deve se unir e cobrar de seus políticos e governantes um olhar mais atento e investimentos prioritários na coleta e tratamento de esgoto devem ser feitos para garantir qualidade de vida à nossa população e, principalmente, às nossas futuras gerações.

15 de junho de 2019

O QUE O PREFEITO FAZ É MUITO MENOS DO QUE PODERIA SER FEITO

Itabuna com Cuma como prefeito está retroagindo e sendo muito judiada
Em sua propaganda enganosa, disponibilizado na imprensa oficial e no site da Prefeitura, o prefeito Fernando Gomes (Cuma) faz um elenco das obras e ações do seu governo e dele eu destaco dois pontos dos quais o prefeito se vangloria constantemente: a) Inauguraremos um novo posto de saúde 24 horas (Policlínica Regional) e b) inauguraremos o Centro de Convenções e Teatro. Independentemente de se concordar ou não com esses pontos, o fato é que eles existem e em nenhum deles se pode afirmar que são obras da prefeitura. São obras que não pertencem ao governo municipal. Ou seja, há trabalho... dos outros! Mas chega a ser cômica a conclusão da propaganda de Cuma: “Mas a cada dia, a oposição tenta macular – com firulas e factóides – um governo que tem trabalhado intensamente para conseguir muito mais por Itabuna”. Não prefeito, não é a oposição. É o senhor próprio. As CPIs que estão sendo apresentadas na Câmara de Vereadores ou o pedido de investigação feito pelos parlamentares Babá Cearense (PHS), Charliane Souza (PTB), Chicão (PTB), Jairo Araújo (PCdoB) e Enderson Guinho (PDT), para apurar suposto superfaturamento na contratação da empresa Biosanear, “Cabide de Empregos na Prefeitura e essas necessidades de investigações não são firulas e nem factoides. Ainda que tenhamos que aceitar o que faz o prefeito, não podemos acatar como justificável o que ele tem deixado de fazer, pois não existe nada mais antigo do que culpar a janela pela feiura da paisagem.

14 de junho de 2019

JUSTIÇA CONCEDE LIBERDADE PROVISÓRIA A EMPRESÁRIO PRESO EM OPERAÇÃO EM ILHÉUS

Sérgio Habib é reconhecido como um dos melhores advogados do país!

A Justiça Federal determinou a soltura do empresário José Roberto Santos Neto, que se encontrava preso decorrente de uma operação realizada pela Polícia Federal de Ilhéus e que prendeu vários suspeitos de participar em fraudes em licitações envolvendo um esquema milionário com mais de 39 prefeituras baianas. A prisão preventiva foi revogada na manhã de quinta-feira (13) por decisão do juiz Federal da 1ª Vara Crime de Ilhéus, Lincoln Pinheiro Costa. Os advogados Sergio Habib e Thales Habib conseguiram, na Justiça, com que o acusado se defenda em liberdade. Um dos responsáveis pela defesa de José Roberto, o advogado Sérgio Habib declarou que "a decisão do juiz foi garantista evitando abusos e impedindo o prolongamento da supressão da liberdade, possibilitando que o réu em liberdade possa reunir provas para demonstrar sua inocência". O réu requereu a substituição da prisão preventiva por prisão domiciliar e liberdade provisória "alegando excesso prazal por estar preso há aproximadamente seis meses, configurando a prisão antecipação de pena", consta na decisão. O magistrado concedeu liberdade provisória, porém determinou as seguintes medidas cautelares:
a) Compromisso de comparecer a todos os atos do processo para o qual for intimado;
b) Comparecimento mensal a este Juízo para informar e justificar suas atividades;
c) Não se ausentar do endereço em que reside por mais de 30 dias sem autorização deste Juízo;
d) Comunicar previamente eventual mudança de endereço;
e) Não se comunicar com testemunhas.

HOJE É DIA MUNDIAL DO DOADOR DE SANGUE


Consciência limpa é deitar a cabeça no travesseiro e ter a certeza de que fez
o bem ao próximo e que o seu sangue agora corre nas veias de outra pessoa.

Nesta Sexta-feira, dia 14 de Junho, comemora-se o Dia Mundial do Doador de Sangue. O objetivo desta data é homenagear todos os doadores de sangue e conscientizar os não-doadores sobre a importância deste ato, que é responsável pela salvação de milhares de vida. Doadores de sangue merecem nossos aplausos, mas queremos aproveitar essa realidade, para ressaltar, que assim como existe o Doador de Sangue, também existe o Sugador de Sangue, que é o sujeito que esfola os servidores da prefeitura e do dinheiro público, advindo dos impostos de quem investe na cidade e gera empregos. Portanto, aplaudamos os doadores de sangue, mas não esqueçamos dos sugadores de sangue...

GREVES DOS PARASITAS E ALIENADOS

Petistas e Comunistas estão promovendo baderna em forma de greve!

Partidos de esquerda e seus sisudos e aparelhados sindicatos estão hoje, promovendo uma suposta greve geral, natimorta. Mas na verdade, o principal foco da paralisação é a crítica contra as reformas da Previdência e a exigência da libertação do ex-presidente Lula. O aspecto político está intimamente ligado à greve geral, uma vez que setores ligados ao ex-presidente Lula, preso por corrupção. Uma série de categorias cruzaram os braços, mas os sindicatos estão agindo ilegalmente, com ações agressivas de adesão dos seus associados e obstrução de vias públicas. Ciente das pressões desses partidos de esquerda e suas organizações sindicais, o governo federal e sua base aliada – dentro e fora do Congresso Nacional – deve se manter mobilizada não para buscar o confronto com quem é a favor da greve geral, mas sim para não permitir que algum parlamentar aliado se desgarre no momento que mais importa para a gestão Bolsonaro: a hora de votar. Ministros e o próprio Bolsonaro vêm batendo na tecla de que as reformas são essenciais para o futuro do país. Alegam que o sistema previdenciário brasileiro é deficitário e, com o envelhecimento da população, em breve não haverá como pagar a todos os beneficiários. Bolsonaro destaca que as dificuldades de estados como o Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Maranhão e mais de uma dezena de outros estados, são atribuídas, por exemplo, ao problema da Previdência, o qual será sanado com a reforma. Na seara trabalhista o tom é o mesmo: a legislação é antiga, da época de um Brasil que avançava para se industrializar, e que hoje está aquém do caráter tecnológico que envolve as operações executadas pelos trabalhadores. O resultado seria o aumento do desemprego e o excesso de ações judiciais trabalhistas, outro entrave para a retomada da economia. Daí o entendimento de que a Reforma Trabalhista também é essencial. Um dos aspectos a serem explorados por aqueles que não concordam com a paralisação é surfar na onda antipetista que permanece no ar perante a sociedade brasileira. Um governo que caiu. E agora tenta buscar novamente sua predominância, seu lugar perdido com as ruas.

ELEGER PARASITAS É TÃO RUIM QUANTO ELES

Não é conveniente eleger vereador subserviente a quem ele deveria fiscalizar
e com isto fazer a prefeitura deixar de permanecer sob controle de corruptos!

O vereador tem dever de mostrar os problemas da comunidade e buscar providências junto aos órgãos competentes. Mas não é só isso. Cabe-lhe também a função de fiscalizar as contas do Poder Executivo Municipal e do próprio Legislativo. Um dos pré-requisitos básicos da democracia é a existência de um Poder Legislativo forte e realmente independente. Sem isso, a democracia é deficiente, capenga. Em Itabuna, apesar das leis falarem claramente em “poderes independentes e harmônicos entre si”, ainda falta muito para que isso vire realidade. Lamentavelmente, as contradições são fáceis de serem percebidas quando acompanhamos as ações e pronunciamentos oficiais dos nossos parlamentares, em sua maioria, subserviente e fiel aos interesses políticos e econômicos do prefeito. Em especial na Câmara Municipal de Itabuna, é vergonhoso. O prefeito Fernando Gomes (Cuma) detém a maioria dos vereadores os quais mantêm com um “empreguinho” para parente, um benefício aqui, outro ali” e assim, fica cada vez mais distante do verdadeiro papel do vereador, passando a ser apenas mais um encabrestado, boneco de ventríloquo, lacaio e marionete. Infelizmente, parece que nem todos legisladores itabunenses sabem que cabe ao vereador, expor os problemas da comunidade e buscar providências junto aos órgãos competentes. Mas não é só isso; que também cabe-lhe a função de fiscalizar as contas do Poder Executivo Municipal, os atos do prefeito, denunciando o que estiver ilegal ou imoral à população e aos órgãos competentes. E que o vereador é o fiscal do dinheiro público. Estes fatos nos fazem perguntar: será que o vereador que presta apoio político incondicional ao prefeito em troca de “benefícios” pessoais, exercerá livremente a função de fiscalizá-lo? Não. E é isso que acontece em Itabuna. Isso precisa ser mudado. Vereador deve ser independente, atuante, polêmico, e deve sempre ter a coragem de concordar com o que considerar certo e discordar do que considerar que esteja errado. Deve agir com conhecimento e desarmado de ódios ou rancores. Precisamos de vereadores atuantes, dispostos a romperem com os costumes persistentes de subserviência e vício. O vereador deve agir sem apego a benefícios pecuniários. Ele deve usar, com disposição, a prerrogativa de denunciar possíveis fraudes envolvendo dinheiro público, sobretudo pela tendência descentralizadora existente, pois recursos estão indo direto para as mãos do prefeito, como é o caso do Ensino Fundamental. Por sua vez a população deve observar e cobrar de seus representantes. Aliás, a população precisa freqüentar as reuniões do Legislativo Municipal, para saber como estão se comportando os “representantes do povo”. Vereador consciente contribui efetivamente para o desenvolvimento humano do seu município, ajudando o povo a pensar e se organizar. E povo esclarecido exerce bem o seu direito de escolha, quando chamado às urnas para indicar sua representação. Mas vereador lacaio de prefeito é tão ruim quanto eleitor que elege e reelege esse tipo de parlamentar parasita!

13 de junho de 2019

ITABUNA SOB AS INVERDADES DE QUEM A FAZ MORIBUNDA

Para Cuma todo dia é dia de mentir e prejudicar a vida do povo itabunense!
Mentir não é apenas um ato condenado ética ou moralmente. Mentir gasta energia, bagunça sua vida e causa transtornos nos caminhos de quem mente. Abril passou e com ele o Dia da Mentira, dia em que costumamos brincar muito com o conceito de verdade/mentira. Estava lembrando que nos grandes tratados de ética, nas religiões e filosofias de todas as épocas, em todas as organizações sociais e políticas, existe um consenso: a mentira é um comportamento condenado e sua prática desestimulada, muitas vezes até com castigos severos. Mas nem por isso deixamos de mentir. Imagine uma sociedade onde todos falam a verdade o tempo todo?! Tem até filme sobre isso e todas as situações constrangedoras que o excesso de sinceridade pode nos levar. Paradoxal, não? Não é preciso ser muito esperto para concluir que o convívio de qualquer grupo humano fica impossível se baseado na mentira. Por isso, para a sobrevivência da raça humana e de sua cultura, somos educados no sentido de buscar e expressar somente a Verdade. Mesmo que ela seja o que mais tememos. Mentir gasta energia. Mas não estamos aqui para filosofar sobre esse tema e sim mostrar o que poucos sabem: itabunenses se habituaram tanto em mentir e contar com quem acredita em suas mentiras, que a cidade acabou sendo vítima da falta de verdades. E o fato, é que mentiras a fizeram sair da terceira posição entre as maiores cidades baianas, para a atual circunstância de sétima colocação, com agravamento de ter se tornado uma das mais violentas cidades no país. É em Itabuna onde escolas existem sem professores; postos de saúde sem médicos, medicamentos e equipamentos; bairros sem ruas pavimentadas e histórico de cidade que tinha prefeitura rica, que se tornou pobre, com prefeitos que enriqueceram com o dinheiro público. Estes fatos são encobertos por propaganda enganosa, paga com verbas que faltam para acabar com a verdade de mortes evitáveis, educação que não ensina e assistência social que não amparam pessoas carentes. E de mentira em mentira, Itabuna se arrasta sob seus próprios escombros e o itabunense permanece “comendo o pão que Cuma amassou”!

A JUSTIÇA ESTÁ CEGA PARA CUMA

Impunidade: O que o Promotor faz contra Cuma, a Justiça desfaz ao seu favor!
É sabido por todos nós, que o Ministério Público é o "Guardião da Justiça" e como tal, tem função de investigar mazelas governamentais, entre outras atribuições! E isto tem ocorrido em Itabuna. Promotores Públicos como Inocêncio Carvalho, tem sido intransigentes e contumazes na busca de explicações de tudo, ou quase tudo, que tem acontecido de estranho, suspeito e negligente na aplicação dos recursos públicos e fiscalizado o funcionamento dos órgãos governamentais. A importância deste fato, está na inércia da maioria dos vereadores, cujo comprometimento e subserviência ao prefeito Fernando Gomes (Cuma), está escancarado no cabide de emprego que sustenta seus parentes e aderentes em cargos comissionados na prefeitura. E esta é uma prática, que também tem sido perseguida pelo Ministério Público, tanto quanto os fortes indícios de superfaturamento do contrato que Cuma firmou com a empresa de limpeza pública Biosanear. E as suspeitas de corrupção aparece no fato desses serviços terem valores diferentemente exorbitantes entre Ilhéus e Itabuna. Na cidade ilheense os valores são menores que a metade do que é pago pelos itabunenses. Mas Ilhéus possui área servida em tamanho muito superior a Itabuna. E isto significa que há inversão de custeio passível de investigação. Mas tanto quanto o caso da Biosanear, o Cabide de Empregos de "fantasmas" e vários casos com fortes indícios de superfaturamentos, acabam sendo encaminhados pelos promotores a Justiça, com consequência de impunidade que nos faz acreditar, perplexos, que a Justiça é cega e surda, ou mantém relações "estranhas" e permissivas com Cuma!

12 de junho de 2019

TODO CUIDADO É POUCO COM USO DE INTERNET POR CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Crianças e Adolescentes estão trocando as brincadeiras pela internet.

O constante uso de celulares com acesso à Internet por crianças e adolescentes pode provocar grandes dores de cabeça – no sentido literal, para eles, e no figurado, para pais e outros familiares. É muito raro pessoas na faixa etária de 9 a 17 anos não usarem o telefone para se conectar à rede. Se isso traz benefícios, por um lado, como na potencialização do aprendizado e na ampliação de fontes para adquirir informação e conhecimento, também gera riscos indiscutíveis para tal público. Entre os assuntos mais buscados na rede por essas mesmas crianças e adolescentes, figuram conteúdos extremamente perigosos, como métodos para emagrecer, formas de se machucar e até maneiras para cometer suicídio. Sem mencionar as armadilhas presentes nas plataformas sociais, ambientes nos quais há todo tipo de gente, inclusive as mal-intencionadas, como os pedófilos, sempre à espreita. É preciso que crianças e jovens sejam preparados devidamente para a Internet antes mesmo do primeiro acesso. E que estejam a par da selva em que podem se meter, além de saber se proteger de inúmeras ameaças, sempre que acessarem sites e abrirem aplicativos. Também é interessante adotar ferramentas que permitam o monitoramento da atividade dos menores na rede e, claro, estabelecer regras para uso do celular. A ideia é impedir que criem dependência, por vezes patológica, dos aparelhos que os conectam com o mundo virtual.

AZEVEDO É A MÁGICA DE PORQUINHO PARA CUMA

Rui quer Azevedo como mágica de Cuma, pra seu governo continuar como pocilga!
O ex-vereador e atual presidente do PTB, Rui Porquinho possui no partido, dois prefeituráveis com condições promissoras de êxito eleitoral. Mas sua correligionária e única vereadora da cidade, Charliane Souza, tem conduta arredia na obediência partidária e na pirâmide da hierarquia de comando no PTB, ela se impõe em nível superior ao presidente. É óbvio que este fato implica em incompatibilidade de gênios e interesses. Por isso Rui descarta qualquer possibilidade de Charliane ser prefeiturável petebista e por sua vez, a vereadora rejeita permanecer sob comando de porquinho e já está de malas prontas, para se filiar aos Democratas. Posto isto, só restou para o PTB, se render ao desafeto de Charliane e prefeito da cidade, Fernando Gomes (Cuma) e oferecer-lhe o petebista ex-prefeito Capitão Azevedo, como seu candidato a prefeito. Mas Rui Porquinho faltou combinar com o Capitão, a execução dessa mágica e assim Azevedo pode não aparecer na cartola de Cuma. Estes fatos contrariam a jogada da carta na manga de Cuma, cujo som pode não soar bem aos ouvidos de Rui, que pensa que manda em Azevedo e que pode fazer uma administração de ópera-bufa, onde um ex-prefeito com o atual prefeito, dancem na pocilga de quem pensa que lagartixa perde o rabo e não o troca por outro: isto explica Charliane perder o PTB e ganhar o DEM.

A COLETIVA DE IMPRENSA DE CUMA, IMPRENSADA POR QUEM NÃO É DA IMPRENSA!

Observe nessa foto do barnabé Waldir Gomes, que a Coletiva de Imprensa de
Cuma, transcorreu com participações quase que integralmente de secretários,
diretores e coordenadores de setores diversos da Prefeitura de Itabuna!!!!

O prefeito Fernando Gomes (Cuma), convocou a imprensa de Itabuna, para uma Coletiva que aconteceria nesta segunda-feira (10), para expressar suas posições sobre o reajuste do preço defasado da passagem de ônibus urbano e a questão dos rodoviários de Itabuna, que estão em greve desde o dia 3 deste mês. Sobre o preço da passagem de ônibus ele respondeu pergunta da jornalista Celina Santos, do Diário Bahia, que fazem três anos que os veículos estão rodando a R$ 3,00 e citou três municípios baianos onde a tarifa no transporte coletivo custa mais caro que em Itabuna: Vitória da Conquista (R$ 3,80), Ilhéus (R$ 3,80) e Feira de Santana (R$ 3,95). Além do congelamento da tarifa, o prefeito reclamou da grande quantidade de gratuidade, que chega a 360 mil por mês, segundo ele. Os rodoviários de Itabuna querem reajuste salarial de 5% e aumento de 9% no tíquete alimentação. As empresas alegam que não tem dinheiro para atender as exigências e cobram reajuste da tarifa pelo município. Na próxima quinta-feira (13) representantes das duas empresas que operam o transporte coletivo e do Sindicato dos Rodoviários de Itabuna terão uma audiência na sede da Justiça do Trabalho, em Itabuna e a expectativa é de um acordo que resulte no retorno imediato da circulação dos ônibus. Voltando ao assunto da coletiva com a imprensa, a foto oficial da assessoria de comunicação da Prefeitura de Itabuna, retrata o quanto profissionais da comunicação estão descrentes de algo que seja sério, justo, ético e útil do prefeito, pois as pessoas participantes são em quantidade de mais de 90%, tão somente parentes, aderentes e ocupantes de cargos comissionados da própria gestão (indigesta) de Cuma!

11 de junho de 2019

SÃO OS POBRES QUEM MAIS SOFRE E PERDE COM ÔNIBUS PARADOS

Só o povo é prejudicado com greve de rodoviários em Itabuna!

Motoristas e cobradores de empresas do transporte coletivo paralisaram as atividades em Itabuna. Eles cobram reajuste salarial e participação nos lucros das empresas. A greve está, ilegalmente, atingindo 100% da frota. A principal saída da população é o moto-táxi. No entanto, a viagem que, normalmente, custa entre R$ 5 e R$ 7, agora está custando até R$ 20. Cerca de 100 ônibus estão parados nas garagens. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) estabeleceu que 30% da frota opere normalmente, mas essa determinação não está sendo cumprida. Quem perde com essa e outras greves de serviços públicos essenciais é a população, em especial as pessoas que não possuem recursos alternativos de transportes para suas atividades diárias. As greves no transporte público prejudicam também os que usam outros meios de transporte, pois as vias ficam mais congestionadas. Prejudicam os que têm negócios, pois os empregados e muitos pequenos empresários dependem dos ônibus. Atrapalham o rendimento escolar, pois alunos, professores e servidores têm dificuldades para chegar às escolas e faculdades. Essa greve dos rodoviários prejudica, de verdade, patrões e governantes. Essa greve prejudica o povo, especialmente as camadas mais pobres da população itabunense. O fato é que o sindicato dos rodoviários, quando tem dificuldades em ter suas reivindicações atendidas, recorrem à greve, como instrumento de persuasão, sem considerar que outros trabalhadores acabam sendo os mais prejudicados com suas decisões unilaterais. Para agravar a possibilidade de uma negociação rápida, para acabar com essa paralisação, o movimento acaba sendo explorado por interesses mesquinhos e partidos de esquerda se envolvem incondicionalmente a essa greve. Alguns partem de uma interpretação ligeira dos clássicos marxistas, como se todo e qualquer sindicato e toda e qualquer greve fossem “revolucionários”. Outros, porque radicalizar em defesa dos bolsos dos associados é a maneira de permanecerem nas direções sindicais. Para esses partidos, não apoiar uma greve é uma heresia contra os cânones da esquerda. Isso é uma visão estreita do que seja uma greve e um desvirtuamento do que é ser de esquerda. Talvez esses militantes nunca tenham ouvido falar ou lido sobre “aristocracia operária” e os males causados pelo “economicismo egoísta e pequeno burguês” em sindicatos e partidos ditos proletários. Alguém verdadeiramente de esquerda acha que interromper a viagem de um ônibus urbano e atrapalhar a vida de toda uma população é uma “ação revolucionária”? E é “revolucionário” deixar sem poder ir ao trabalho, clínicas, hospitais e escolas, quem geralmente são as mais pobres e mais prejudicadas pela desigualdade social? Se a resposta for sim para as duas questões, o desvio ideológico é bem grave. Mas a greve perdura e o povo é quem paga a cara conta. E isso tudo acontece, com a inércia dos promotores públicos, vereadores e dos órgãos municipais, responsáveis para evitar que rodoviários permaneçam prejudicando toda Itabuna e atrapalhando a vida dos itabunenses.

É IRÔNICO CORRUPTOS CRITICAREM A CORRUPÇÃO

O problema não está em Cuma dizer que é honesto e sim em acreditarem nele!
Os brasileiros tem vivido momentos políticos, que reforçam a discussão sobre o papel da ética no cotidiano. E esta é uma excelente oportunidade de se exercitar esta postura tão cobrada de governos e empresas, estimulada principalmente pelas revelações com as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Há um interesse coletivo sobre o tema atualmente. Mas, está faltando, além da crítica à falta de ética dos políticos, governantes e das grandes empreiteiras, que nós consigamos pensar na microfísica do poder, ou seja, na falta de ética na escola, nas famílias e nas empresas. Não existe país no mundo em que o governo seja corrupto e a população honesta e vice-versa”, aponta especialistas. A participação das massas não garante a lisura dos processos. Principalmente se lembrarmos que o primeiro plebiscito da história foi quando as massas tiveram que escolher entre Jesus e um ladrão e optaram pelo ladrão. Mas estas discussões são um passo importante para este treinamento difícil e permanente que significa o exercício democrático. O ruim deste momento é que pouca gente escuta e muita gente dá opinião. Parte desta liberdade, se deve à democratização do país e à independência do Judiciário e da Polícia Federal. Já que durante os governos de Lula, Dilma e Temer, os escândalos que vinham à tona eram os que envolviam os governos anteriores. A ética no Brasil era a ética da oposição ou do governo passado. Lula declarou que mais honesto que ele só Jesus. Fernando Gomes (Cuma), jura que nunca roubou um só centavo do erário. E não faltam pessoas sérias, sisudas e bem intencionadas, para os defenderem. Assim também foi com Barrabás! Então nós temos hoje na prisão eminências pardas do poder. Isto é uma novidade.

MANGABEIRA MELA CONDUTA DE CUMA

Mangabeira está "botando pra feder", contra as porcarias de Cuma!
O prefeiturável Antonio Mangabeira (PDT) está sendo o único político com posicionamento declarado de rejeição a reabertura do aeroporto Tertuliano Guedes de Pinho, em Itabuna. Para Mangabeira, nenhuma cidade no Brasil, tem distância do centro até o aeroporto, inferior a que separa o centro de Itabuna até o aeroporto de Ilhéus. E que a propagada alegação do prefeito Fernando Gomes (Cuma), de que o aeroporto itabunense receberá pequenas aeronaves que agilizará serviços importantes de UTI aérea, empresariais e de segurança pública, contrapõe ao impedimento da passagem de moradores dos bairros vizinhos pela pista. Para o pedetista, a prefeitura deve priorizar ações que amparem pessoas carentes e neste contexto, pobres não estão no seleta lista do público beneficiado com serviços de UTI aérea e transportes aéreos de empresários e agentes de segurança pública. O posicionamento corajoso de Mangabeira, retrata a indignação de muita gente em Itabuna, por Cuma está promovendo um governo de favorecimento aos ricos da cidade e que os pobres não tem e nem terão nenhum benefício com obras públicas como o Centro de Convenções Teatro, aeroporto e o "Cabide de Emprego" para parasitas burgueses e pelegos, a que está submetida a prefeitura de Itabuna. 

10 de junho de 2019

A BAHIA COM 68.814 HOMICÍDIOS EM 12 ANOS DE PT

Por trás de Rui Costa está a morte do povo da Bahia!

Os governos medíocres dos petistas Jaques Wagner e Rui Costa, transformaram a Bahia, na maior referência de insegurança pública e recordista de homicídios entre todos os estados brasileiros. A sensação é que o estado está entregue aos criminosos e à violência. Em 2007, Jaques Wagner fechou o primeiro ano como governador com 3.659 homicídios. Após 12 anos, a Bahia registrou 6.113 homicídios no ano de 2018. Total de 68.814 vidas ceifadas em 12 anos. É algo como ter exterminadas, em apenas um ano, todas as populações das cidades sulbaianas de Floresta Azul, Itapé, Santa Cruz da Vitória, Jussari, Barra do Rocha, Barro Preto, São José da Vitória e Almadina. O estudo destaca ainda os crimes contra a população LGBTI+, mas salienta que a invisibilidade do problema prejudica a produção oficial de dados e estatísticas.
12 ANOS de PT na BAHIA
ANO 2007: 3.659 Homicídios
ANO 2008: 4.819 Homicídios
ANO 2009: 5.432 Homicídios
ANO 2010: 5.844 Homicídios
ANO 2011: 5.549 Homicídios
ANO 2012: 6.148 Homicídios
ANO 2013: 5.694 Homicídios
ANO 2014: 6.052 Homicídios
ANO 2015: 6.012 Homicídios
ANO 2016: 7.171 Homicídios
ANO 2017: 6.321 Homicídios
ANO 2018: 6.113 Homicídios
Fonte: Atlas da Violência e Leandro de Jesus.

O POVO TEM QUE ESTAR DE OLHOS ABERTOS NA CÂMARA

O povo precisar estar de "olhos esbugalhados"
em tudo o que fazem e falam os vereadores!
Tão importante quanto o momento do voto, é a participação política. Mas a etapa seguinte é igualmente decisiva: hora de fiscalizar os eleitos. Não adianta só reclamar. É necessário acompanhar o que acontece depois da eleição e vigiar os escolhidos para cuidar da administração e das leis da cidade. Para começar, é preciso adotar o hábito de observar com mais cuidado quem está no poder - e durante todo o tempo de mandato. Tanto o prefeito quanto vereadores são eleitos para cumprirem quatro anos na função. Deputados também assumem por quatro anos, enquanto senadores têm mandatos de oito anos. É importante fiscalizar. Se o candidato se revelar como um político ruim na Câmara de Vereadores ou na prefeitura, o eleitor tem de cobrar, para que isso não fique sem controle. A ONG Transparência Brasil ONGs monitora dados públicos e avalia a atuação dos políticos. Em seu site e perfis sociais, a Transparência divulga informações sobre combate à corrupção, doações eleitorais e atividades no Congresso Nacional. O Diap, ou Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (www.diap.org.br/), também acompanha a Câmara dos Deputados e o Senado e divulga, por exemplo, o calendário diário de votações nas comissões. Todos os anos, faz uma análise sobre os cem parlamentares mais influentes no Congresso e lista os políticos que mais faltaram às sessões, tudo disponibilizado online. A participação civil poderia ser maior, mas é pouco incentivada e também falta divulgação de como ela poderia ser mais ativa. O cidadão vota e espera o que será feito. Mesmo o Tribunal Regional Eleitoral e o Tribunal Superior Eleitoral (www.tse.jus.br/) só aparecem em época de eleição, divulgando quais são os candidatos e como você deve votar. Eles organizam o processo eleitoral. Mas deveriam estender sua atuação (para depois das eleições) para melhor informar o cidadão. A internet facilita o rastreamento dos passos dos representantes, mas tem hora que é melhor se fazer presente. Especialmente se a ideia é pressionar. Quanto mais se entende para qual função um político é eleito, mais fácil fica para exigir que ele cumpra suas obrigações. Participar das audiências públicas realizadas pelo parlamento municipal talvez seja a melhor maneira de fazer isso acontecer. A audiência pública é o instrumento, o fórum adequado para que os parlamentares possam levar o debate para a sociedade.  A dica é acompanhar pelas audiências como os vereadores se comportam em relação aos projetos que passam pela Câmara. Você sabe quais projetos o vereador propôs, como ele vota os projetos em geral, não só da Casa como os do Executivo. Por exemplo, chega um projeto polêmico que vem do Executivo para aumentar o IPTU: como ele se posicionou? Você pega o mapa da votação daquele projeto no plenário, acompanha a atuação dele nas comissões e fica sabendo se ele é um vereador que costumeiramente debate projetos ou não.  Um parlamentar municipal deve propor projetos de lei que tornem possível melhorar o que a cidade já tem, mas também é sua tarefa fiscalizar se o prefeito está agindo de acordo com as propostas políticas que defendeu para se eleger. Com um orçamento estimado em quase R$ 15 milhões em 2019, o legislativo itabunense tem 20 vereadores e uma vereadora. Dependendo do que se vai discutir ou da lei que se pretende aprovar, é obrigatório abrir a Casa à população pelo menos três vezes por semana. Em Itabuna, a agenda é divulgada no site da Câmara (http://cmvitabuna.ba.gov.br). Alguns temas obrigatoriamente tem de ter audiência pública. Por exemplo, projetos de lei relacionados a meio ambiente, criança e adolescente, Plano Diretor... A função não é só escutar o parlamentar. Ele fala muito pouco em uma audiência pública. É ele quem vai para escutar, às vezes ponderar sobre uma ou outra coisa, mas pode se transformar em uma reunião técnica mesmo. Os especialistas dizem que o número de participantes na discussão é importante, mas a frequência nas audiências também é, porque a população pode fazer a reclamação ou a demanda diretamente para os vereadores. Entidades e associações ligadas a algum setor podem ajudar a insistir na realização desses encontros.