18 de agosto de 2017

POR QUE "A REGIÃO" CHAMA CUMA DE "VELHO GAGÁ"?

O povo tem "engolido sapo", com a caduquice de Cuma!
Julgo necessário salientar, inicialmente, que o termo "Velho Gagá", é muito usado quando uma pessoa super mal educada, tenta ofender outra, usando essa expressão pejorativa e achincalhadora. Talvez os editores do periódico "A Região", não percebam que estão abusando extrema e generalizadamente, dos nossos velhinhos da 3º idade, quando se refere ao quase octogenário Fernando Gomes, como "Velho Gagá"! Compreendemos este comportamento como uma covardia desmedida e lamentavelmente, uma ridicularidade fora do comum. Mas o fato é que esta expressão se refere a uma pessoa que esquece muito fácil das coisas; que é ranzinza; que é mentalmente incapaz; que voltou à infância; caduco, senil, decrépito; pessoas que, por causa da idade, têm o comportamento afetados e passam a tomar atitudes confusas e que fazem coisas que já não fazem mais sentido, esquecendo de coisas importantes. Embora discordemos do termo "Velho Gagá", concordamos plenamente com o fato de Fernando Gomes, está se esquecendo muito facilmente das promessas que fez para se eleger. Outro fato que tem nossa concordância, é que o prefeito está mais ranzinza e intolerante; mentalmente incapaz, caduco, senil, decrépito e confuso em ações e falas que não fazem sentido, esquecendo de coisas importantes. Mas não creio que tudo isso credencie o jornal "A Região", a tentar estigmatizar Fernando Gomes como um "Velho Gagá"! Não se deve ofender tanto os velhinhos decrépitos. Todas as pessoas com idade avançada, inevitavelmente, terão seus momentos de caduquice e isto afetará também, os editores do jornal "A Região", caso eles tenham a dádiva de atingirem a idade de Fernando Gomes. Diferentemente dos "velhinhos gagás", o prefeito decrépito de Itabuna, prejudica, desrespeita, atrapalha, aborrece, prejudica, engana, trai, mente, bravata, enrola, negligencia, usa e abusa do dinheiro público. 

COM CRISE, 4,1 MILHÕES DE BRASILEIROS VOLTARAM PARA A FAIXA DE POBREZA


Lula, Dilma e Temer, empobreceram mais ainda o Brasil
Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), pelo Programa da Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e pela Fundação João Pinheiro, divulgada ontem, aponta que, a partir da crise de 2014, o percentual de pobreza aumentou 22% no Brasil. No primeiro ano do relatório, em 2014, o percentual de pobres era de 8,1% da população, saltando para 9,96% em 2015. Segundo a pesquisa, mais de 4,1 milhões de brasileiros entraram na faixa de pobreza na passagem de 2014 para 2015. Desses, 1,4 milhão voltou para a extrema pobreza no mesmo período, aponta o levantamento Radar IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) 2015. Nesta faixa estão as pessoas com "renda domiciliar per capita inferior a R$ 70 em agosto de 2010". A referência usada pela pesquisa é o salário mínimo vigente em 2010, ano do último Censo, de R$ 510. O percentual de extremamente pobres, considerando os brasileiros que têm renda per capita domiciliar de até R$ 70, subiu de 3,01% para 3,63%. "Os dados trazidos pelas Pnads mostram que houve redução na renda per capita da população brasileira, passando de R$ 803,36 em 2014 para R$ 746,84 em 2015. Esses dados alertam para a necessidade das políticas públicas voltadas ao crescimento do emprego e da renda, sem deixar de lado o combate à desigualdade", informa o documento. QUADRO SOCIAL - A crise deflagrada entre 2014 e 2015 resultou em piora do quadro social do país como nunca visto desde o ano 2000. Entre 2000 e 2010, o percentual de pobres havia caído de 27,9% para 15,2%. Entre 2011 e 2014, houve queda também, ciclo interrompido apenas em 2014. Além do aumento do número de pessoas pobres no país, houve uma queda na renda média das pessoas na linha da pobreza no mesmo período, de R$ 154 para R$ 150. O número de pessoas vulneráveis à pobreza, ou seja, com renda per capita de meio salário mínimo, apresentou alta de 10% em 2015. Segundo o Radar, esse índice saltou de 22,1% para 24,3%.

MALAFAIA DIZ QUE NÃO VAI APOIAR CANDIDATOS QUE DEFENDEM IDEOLOGIA DE GÊNERO


Malafaia tem convicção que PT é partido do demônio
Na quinta-feira /17, o pastor Silas Malafaia, junto com o governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria, disse que não apoiará candidatos que defendem ’ideologia de gênero’. O evangélico e as autoridades participaram da abertura da 13º Expo Cristã, na Zona Norte de São Paulo. O prefeito disse que o evento estimula a economia e geração de empregos da cidade, e elogiou a participação das igrejas na ajuda aos ‘’mais vulneráveis’’. NÃO TENHO CORRUPTO DE ESTIMAÇÃO, DIZ SILAS MALAFAIA - O pastor Silas Malafaia tem pedido a saída de Michel Temer da presidência da República e endossa o coro que pede novas eleições diretas sem que pessoas envolvidas nos esquemas de corrupção participem da disputa. Criticado pelos usuários do Twitter sobre ter apoiado o senador Aécio Neves para as eleições de 2014, Malafaia precisou explicar que não apoia os atos corruptos do tucano que – por conta das denúnicas da JBS – foi afastado do seu cargo. “Apoiei Aécio, Lula, Serra, Lindberg, Cunha… quando não existia nenhuma acusação contra eles. Não tenho corrupto de estimação”, declarou o pastor presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo. Apoiar um candidato não significa que você irá concordar com seus atos, e é isso que o religioso precisou defender em seu microblog. “Não sou responsável pelas atitudes de meus filhos que são maiores, quem dirá de outros. Sou livre para apoiar e criticar quem eu quero. Sai fora!” Ele também criticou os partidos de oposição que se colocaram contra o impeachment de Dilma, mas estão a favor da saída de Michel Temer. “Vocês não têm moral”, afirmou o pastor citando os deputados dos partidos PCdoB, PSOL, PT e Rede.

JAIR BOLSONARO É AGREDIDO POR VAGABUNDA EM CAFETERIA


Jair Bolsonaro leva ovada de militante vagabunda do PT
O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) levou uma "ovada" de uma vigarista de partido de esquerda, na tarde desta quinta-feira/17, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. No vídeo divulgado nas redes sociais, é possível ver o parlamentar andando pelas ruas da cidade antes da agressão. Após entrar em uma cafeteria, o político fazia fotos e vídeos ao lado de apoiadores, quando uma vagabunda esquerdista se aproximou e, quando Bolsonaro se vira, ela joga o ovo no ombro esquerdo do deputado e o chama de homofóbico. No vídeo, é possível ver quando a manifestante é afastada pelas pessoas que estavam próximas ao deputado. A mulher foi detida e Bolsonaro deixou o local. O deputado registrou boletim de ocorrência na central de flagrantes da Polícia Civil. JOÃO DÓRIA - O prefeito de São Paulo, João Dória, também foi vítima de vagabundos do PT baiano e foi recebido com “ovadas” em frente à Câmara de Vereadores de Salvador, quando ia receber o título de cidadão soteropolitano, no dia 7 de agosto. O clima ficou tão tenso que os aliados que acompanham a comitiva do tucano correram para dentro da Casa Legislativa, escoltados pela polícia.