10 de agosto de 2017

JUSTIÇA QUER EXPLICAÇÕES SOBRE PROJETO DE LEITURA DA BÍBLIA EM PORTO SEGURO


Cristo sabe todas as coisas... inclusive quem usa seu nome em vão
O projeto que autoriza leitura da Bíblia em escolas de Porto Seguro, na Costa do Descobrimento, teve mais um capítulo na Justiça nesta quarta-feira (9). É que uma decisão da desembargadora Heloísa Pinto de Freitas Vieira Graddi deu dez dias para a prefeitura e a Câmara local se explicarem sobre a iniciativa. Conforme decisão do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-BA), tanto a prefeita Cláudia Oliveira (PSD), que sancionou o projeto no dia 5 de junho, como o presidente da Câmara, Ivaí Fonseca (PHS), terão de prestar informações à Justiça. O projeto que faculta a leitura de versículos bíblicos em escolas públicas e particulares de Porto Seguro foi alvo de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) do Ministério Público do Estado. O promotor o promotor Wallace Barros, da 2ª Promotoria de Justiça, criticou a medida e afirmou que a possível vigência da lei reforça a discriminação contra outras religiões, seja espírita, afro, judaica, entre outras. O sindicato dos professores [APLB] também se posicionou contrário à medida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.