30 de julho de 2017

CUMA EM TEMPOS E PRÁTICAS DA ROMA ANTIGA

Cuma tem ludibriado o povo sofrido com pão, engodos e festas
O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes (DEM), age como um imperador dos tempos em que os governantes da Roma antiga, ludibriavam a plebe com festas e farta distribuição de cestas básicas, penduricários e balangandãs. Já imaginou como seria sua vida tendo direito somente a pão e circo, sem ao menos se dar conta disso? Era mais ou menos o que acontecia, principalmente com as famílias menos abastadas de Roma antiga e a realidade hoje não é diferente na periferia de Itabuna. O esquema funcionava basicamente assim: em uma sociedade com tantas desigualdades, é comum a união do povo em grandes revoltas e manifestações populares em crítica ao sistema de governo. E para evitar essas manifestações, os líderes ofereciam ao povo “pão e circo” em forma de eventos e distribuição de cereais para mantê-los entretidos, e dessa maneira perderem o foco na situação política que os assolava. Oferecer ao povo pão e circo foi uma alternativa encontrada para mascarar o problema, que continuava longe de uma solução efetiva. Enquanto a população se mantinha concentrada em espetáculos e alimentos, a real situação em que se encontravam ficava esquecida, e ainda o governante tinha as atenções voltadas para ele, por organizar toda essa “festa”, e tornava-se mais e mais popular entre as pessoas. Agora imagine isso tudo acontecendo em meio a pessoas humildes e de pouca instrução: a distribuição de pão e circo era aplaudida e mantinha a população em paz e na ilusão de uma falsa felicidade. Percebe-se fácil neste contexto, que Cuma é atualmente a própria personalização dos imperadores da Roma antiga, que usam e abusavam da estupidez da plebe, para se perpetuarem no poder e fazer o povo comer o pão que o diabo amassou!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.