29 de junho de 2017

SÓ O POVO NA RUA FARÁ TEMER TEMER PERMANECER NO PODER


O tempo não está favorável para Temer
Cercado por ministros, assessores, bajuladores, o presidente Michel Temer tentou através de pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão, desqualificar a primeira denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal de corrupção passiva. Repetitivo, às vezes caquético, falou, falou e não conseguiu contrapor à grave acusação de corrupção, com base na gravação do empresário da JBS, Joesley Batista, na qual os dois combinam como ele receberia uma propina, através de um dos seus principais assessores de confiança, que foi flagrado pelas câmeras correndo com uma mala cheia de dinheiro. Pior é que outras denúncias tão ou mais graves ainda serão apresentadas, entre outras as de obstrução à Justiça e (pasmem!) formação de quadrilha. Como já foi observado, este é o primeiro presidente da República na história do país por corrupção. Como bem observaram alguns políticos, juristas e analistas, se ainda restasse “um mínimo de grandeza”, ele deveria renunciar e convocar novas eleições para a escolha de um novo presidente para não agravar ainda mais a crise e poupar o país do vexame internacional ainda maior. Porém, como não existe esse “mínimo de grandeza”, ele ainda vai tentar se safar através do Congresso Nacional e pode acontecer se a sociedade não reagir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.