21 de junho de 2017

QUEREM PINTAR O LEÃO COMO ABACAXI

O tempo perdura com o leão engolindo os abacaxis que
lhe são jogados e não há quem fique imune a seu rugido
O presidente da Fundação Itabunense de Cultural e Cidadania (Ficc), Daniel Leão, está tendo que descascar abacaxis todos os dias e abater um leão a cada amanhecer, para se manter no cargo. Isto, porque não faltam pessoas tramando contra sua administração e tentando dar-lhe uma rasteira. A permanência de Daniel Leão à frente da Ficc, ocorre por conta da sua capacidade de gerenciar crises e habilidade em apaziguar desânimos. Outro fator que o favorece, é a convicção do alcaide, Fernando Gomes (DEM), sobre o significado da manutenção no governo, de uma personalidade respeitada, séria, ética, honesta e que o respalda na boa imagem que a gestão deve ter na sociedade intelectual, produtiva e tradicional. Perder a colaboração de Daniel Leão, seria como sofrer um “chute nos testículos”, cujo desconforto o prefeito não quer se submeter. Mas todos os dias boatos apontam para a “queda do leão” e ele continua com seu rugido firme e fazendo da Ficc a alcateia que desbrava novos horizontes em busca de consolidar o sofrido governo de Cuma, como boa referência de artes, cultura e desportos. O tempo perdura e o leão ruge, degustando os abacaxis que são jogados para derrubá-lo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.