3 de junho de 2017

IGOR KANNÁRIO PODE TER DE MELHORAR COMPORTAMENTO PARA SEGUIR NO PHS

Desde que tomou posse como vereador, Kannário tem se
envolvido em grandes e preocupantes polêmicas e encrencas 
Apesar da pressão para que defenestre o vereador Igor Kannário do PHS, o presidente estadual da sigla, Júnior Muniz, terá dificuldades se quiser levar a cabo a expulsão do parlamentar. Líderes da bancada governista na Câmara apostam que, em última instância, o vice-prefeito Bruno Reis (PMDB) entrará em cena para diminuir a pena, mas exigirá melhorias no comportamento de Kannário a partir de agora. Kannário protagonizou uma discussão com a soldado da Polícia Militar Tainá Gomes, em plena micareta de Feira de Santana e, agora, vai ser investigado pela Polícia Civil. De acordo com o coordenador geral, delegado João Rodrigo Uzzum, o Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL) oficializou o pedido de investigação para apurar os fatos. "Recebemos a denúncia por parte da Polícia Militar e estamos na fase inicial, ouvindo as testemunhas. Recebi um CD e vamos analisar o conteúdo do que foi dito por ele (Kannário). É possível, sim, que ele seja chamado para depor posteriormente", explicou o delegado, acrescentando que ainda não há uma data para que o cantor e a PM compareçam à delegacia. A soldado usou uma rede social para desabafar. Ela relatou como foi a situação na sua perspectiva e afirmou que precisou utilizar a força por conta de "uma desordem" no meio da festa. Kannário acusou a PM de uso excessivo da violência e a desafiou. "Você é só uma PFem. Eu sou mais autoridade do que você. Eu sou vereador. Me respeite, me respeite! Procure seu lugar", disse ele. "Ela tá mandando eu tomar no meu c*. É uma policial mandando eu tomar no c*? Ela tem que me respeitar, pô". A Secretaria de Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA) criticou por meio de nota a conduta do cantor e vereador e afirmou que vai tomar providências judiciais. "A SSP entende que levantar e instigar uma disputa de poderes em um evento público, inclusive desqualificando a centenária e respeitosa Polícia Militar não são condutas esperadas de um artista e membro do legislativo. Ressalta ainda que o fato está sendo avaliado e que, caso se configure desacato, a SSP tomará as providências judiciais cabíveis", diz a nota.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.