24 de junho de 2017

FESTA DE FORRÓ TEM QUE TER SÓ FORRÓ


Festa de São João só é boa com xote e forró
Uma conhecida anedota diz que a palavra forró teria surgido de uma corruptela de "for all" ("para todos", em inglês) em bailes abertos ao público promovidos por trabalhadores gringos no Nordeste. O mais provável é que seja apenas uma lenda, aceitável por causa do espírito popular do ritmo. A natureza inclusiva do forró, principal gênero das festas de São João no Nordeste, voltou à debate em declarações de Elba Ramalho, que desabafa sobre a invasão de artistas sertanejos na tradicional festa nordestina: – É um direito dos cantores sertanejos estarem no São João, mas a grade não pode ser 18 sertanejos e dois forrozeiros. Não é Festa do Peão, é festa de São João – reclamou a cantora, um dos símbolos do gênero, sob aplausos: – Não quer dizer que não ache sertanejos maravilhosos, mas deixem junho para o São João. A crítica de Elba repercute a campanha #DevolvamMeuSãoJoão, alçada nas redes sociais e apoiada por músicos importantes da tradição nordestina, como Alcymar Monteiro e Chambinho do Acordeon, que reivindica mais arrasta-pé nas festas de junho. Sem tanta influência de sertanejos e forrozeiros, quem promove festas juninas no sul da Bahia vê a questão sob um aspecto menos mercadológico e mais de respeito às tradições. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.