16 de junho de 2017

CONGRESSISTA ELEITOS POR BELEZA SÃO FEIOS NA POLITICA

Eleitoras votam por beleza em quem é eleito para
fazer o que há de mais feio na política e no governo
No Brasil há um velho adágio popular que diz: "Beleza não põe a mesa". É como se quisesse simplificar outro provérbio de significado mais evidente: "Beleza e formosura não dão pão nem fartura". Seja como for, a beleza não põe a mesa, mas abre o apetite. E tem sido com apetite implícito e voraz que políticos jovens, belos, simpáticos... ganham eleições no Brasil. Ao contrário do provérbio acima, que nos ensina a não confundir beleza como valores primordiais, muitos desses políticos bonitos, que ganham eleições apenas por serem belos, preferem usar as vantagens do cargo de prefeita para extravasar. Preterem suas obrigações republicanas e desviam recursos públicos. Eles traem a confiança do povo e, desgraçadamente, desqualificam o voto democrático, certamente dado por impulso, em engodo de que beleza física resultem em beleza de caráter. Esses belos políticos acham que mexer com o dinheiro público é colocá-lo a serviço de suas ambições, deslumbres e enriquecimento. Desonram o voto popular, debocham do eleitor e ganham fama nas redes sociais pelo exibicionismo e ostentação. Exploram o estilo "mauricinho", livre e simbolo sexual. Perdem a compostura e o decoro. Mas não se preocupam com isto, pois para eles, o importante é fazer bonito nas urnas eleitorais, para perpetuarem o que seus ancestrais fizeram de ilícito e feio. Cacá leão e Mário Negromente são péssimos exemplos destes fatos, que submetem o ex-deputado federal, Luiz Argolo, a restringir sua beleza às masmorras em que se encontra. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.