28 de maio de 2017

ACORDÃO ESTARIA SENDO MONTADO PARA SALVAR TEMER, LULA E DILMA


Teorias da conspiração apontam impunidade à vista
O Congresso Nacional tenta aproveitar a crise que pode levar ao afastamento do Presidente Michel Temer para fazer um grande acordão que salve Lula, os senadores e o próprio Temer das garras do Juiz Moro e da Procuradoria Geral da República. A informação é do jornalista Alberto Bombig que, em ertigo no jornal Estado de São Paulo, afirma que a eleição presidencial indireta serviria para  “anistiar parte do mundo político e colocar o Congresso como contraponto à Lava Jato e ao Ministério Público Federal”. A movimentação suprapartidária vem do Senado e se concentra em duas propostas: eleição indireta para a Presidência através do modelo bicameral, ou seja,  aprovação de um candidato pela Câmara a ser referendada posteriormente pelos senadores; e alteração da Constituição para garantir foro privilegiado a ex-presidentes da República, o que beneficiaria diretamente Lula, Sarney, Collor, Dilma e, eventualmente, Michel Temer, todos alvo de investigações. Para facilitar a renúncia de Temer ou seus movimentos contra a cassação da chapa, o acordo garantiria a ele um indulto, ou seja, imunidade penal a ser dada pelo futuro presidente, e a votação de uma PEC que manteria o foro privilegiado a ex-presidentes, livrando ele e Lula das garras do juiz Sérgio Moro. O Senado estaria tão indignado com poder Judiciário que o novo presidente teria o compromisso de instituir eleições e mandatos a promotores e procuradores, a exemplo do que ocorre nos Estados Unidos. Esse é o plano para fazer com que a queda de Temer termine em pizza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.