11 de abril de 2017

TCU APONTA SOBREPREÇO EM OBRAS NA ARENA

Moro está de olho na roubalheira do estádio da Fonte Nova
Mais um capítulo da novela da Arena Fonte Nova. No último dia 22 de março, o plenário do Tribunal de Contas da União apontou superfaturamento de R$ 773.995,02 nas obras do entorno do estádio, construído para abrigar a Copa do Mundo de 2014. Os contratos são de 2012, durante o segundo mandato do ex-governador Jaques Wagner. Daí que o ministro-relator Walton Alencar Rodrigues mandou encaminhar ao Tribunal de Contas do Estado, e, agora, está nas mãos de ninguém menos que o conselheiro Pedro Lino, à frente do caso da PPP da Arena Fonte Nova. Também deram ciência ao governo do estado. A empresa responsável pela obra foi a TOP Engenharia, bastante assídua nas doações em campanhas eleitorais aqui na Bahia, quando era permitido o patrocínio privado. Só em 2013, para “implantação de infraestrutura urbanística no entorno dos estádios e centros operacionais de treinamento” a TOP recebeu mais de R$ 2,8 milhões – diz lá o site do Transparência Bahia. Auditorias, pedidos de vista e discussões tomam conta do caso da PPP da Fonte Nova no TCE desde 2010. No penúltimo capítulo, há um ano, o TCE tinha dado prazo ao governo para recalcular o valor do contrato com preço menor. Estudo identificou custo excedente de R$ 460 milhões. A decisão foi do Pleno. Já o último capítulo foi o pedido de embargo de declaração feito pelo governo do estado. Lino disse que ainda está estudando o pedido. E também que já juntou a últ ima novidade do TCU ao caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.