24 de março de 2017

DELATOR DIZ QUE ODEBRECHT COMPROU TEMPO DE TV DO PC DO B, PROS E PRB

Comunistas só são felizes em países
que abominam o comunismo
No seu depoimento à Justiça eleitoral, o ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Alexandrino Alencar afirmou que, em 2014, a empresa pagou R$ 21 milhões em propinas a três partidos. Em troca, as legendas apoiaram a chapa Dilma-Temer e engrossaram o tempo de TV do grupo. Dois destes três partidos, segundo Alencar, seriam o Pros e o PCdoB. Em instrução com o ministro Herman Benjamin, Alexandrino relata o esquema: “Sim, para a compra dos partidos. E tanto é, depois quando eu contatei as pessoas que o Edinho me solicitou pra falar, era claramente uma compra do tempo de TV, que, se não me engano, isso deu, aproximadamente, 1/3 (um terço) a mais de horário de TV para a chapa", diz, antes de confirmar que a moeda de troca era o apoio destes partidos à coligação. Ainda segundo o ex-diretor, outro partido entrou na chapa no mesmo esquema. A legenda seria o PDT, que recebeu R$ 4 milhões. O dinheiro seria entregue em hotéis e flats. O Pros teve dois recebedores: o presidente do partido, Eurípedes Júnior e um deputado federal do partido, Salvador Zimbaldi. O recebedor do caixa 2 do PCdoB Alexandrino não soube precisar. "Foi o senhor chamado Fábio (…), que é de Goiás", relatou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.