24 de março de 2016

ATLAS DA VIOLÊNCIA MOSTRA QUE SEGURANÇA PÚBLICA NA BAHIA É UM FRACASSO

Um estado fracassa na segurança, quando viaturas necessitam de
terceiros, para que possam ser abastecidas de combustíveis
O ex-governador Jaques Wagner e o seu secretário da casa civil Rui Costa: políticas ineficientes na segurança pública e taxa bem elevada de homicídios. Os governos do PT na Bahia acumulam fracassos ano após ano na segurança pública. Essa é uma constatação que todo cidadão pode ter ao passar os olhos no Atlas da Violência 2016, desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). O levantamento levou em consideração os dados fornecidos pelo Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde. De maneira complementar, em alguns tópicos foram cruzadas informações do SIM com outras provenientes dos registros policiais, publicadas no 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública do FBSP. O número de homicídios cresce consideravelmente em cidades menores, sendo as principais vítimas são jovens e negros. A Bahia está entre os seis estados em que o número de assassinatos cresceu acima de 100% no período estudado. De 2004 a 2014 – período que também abrange os três últimos anos do governo carlista de Paulo Souto – a taxa de homicídios da Bahia cresceu 132,6%. Lamentavelmente, o estado ocupa o terceiro lugar. Rio Grande do Norte e Ceará, estados também nordestinos, ocupam a primeira e a segunda posição no topo da tabela macabra. Já o estado de Pernambuco, outro do nordeste, registra redução de -27,3% no mesmo período. A queda deve-se ao “Programa Pacto pela Vida” implantado pelo ex-governador Eduardo Campos (PSB), que faleceu em 2014. Segundo o relatório, “essa tragédia traz implicações na saúde, na dinâmica demográfica e, por conseguinte, no processo de desenvolvimento econômico e social”, uma vez que a maior parte das mortes vitimiza homens de 15 a 29 anos. (blogdogusmao.com.br).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.