5 de julho de 2018

O CORONELISMO DE RUI E WAGNER APEQUENA LÍDICE

Lídice vai querer atropelar o Coronel em sua caminhada!
A medíocre "senadora" Lídice Mata (PSB), sempre foi subserviente aos interesses do petismo e sua submissão extrapolava os limites da crise existencial, pois não devem ter sido poucos os momentos em que a Lídice se viu e se sentiu a própria personalização do petismo em carne, osso e despirocação. Seu servilismo ao petismo não serviu para ela ser vista com relevância nas discussões e decisões sobre a composição da chapa majoritária do PT na Bahia. O governador Rui Costa e seu sócio nos mandos e desmandos do petismo baiano, Jaques Wagner, trataram Lídice com a mesma importância que possui uma geladeira para um esquimó no polo norte. Os petistas não quiseram ouvir a "senadora" e o clamou feminista que criticava a ausência de uma mulher como parceira de Rui em sua chapa, e nem as pesquisas que a colocaram em vertiginosa vantagem sobre quem ela foi preterida (Ângelo Coronel), resultaram em indicação a seu favor. Lídice foi defenestrada e tratada como um pingo de água em um dilúvio, ou uma partícula de germe do verme do estrume da égua manca e prima do cavalo branco de Napoleão! Lídice não é candidata à reeleição, por Rui Costa e Jaques Wagner a condicionaram a desistir. Mas este enredo constrangedor, humilhante e de achincalhamento público, não foram suficientes para Lídice disfarçar a cara de pau de ainda apoiar a reeleição do governador e esbravejar que ela e o partido que ela tem como propriedade particular, não apoiarão e nem votarão no coronel, embora estarão pedindo votos para Rui e Wagner. Lídice preferiu quebrar a corda do lado mais fraco e continuará sendo apenas obcecada por seus próprios verdugos. Esta situação é conhecida como Síndrome de Estocolmo, que é o nome normalmente dado a um estado psicológico particular, em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, submissão e humilhação, passa a ter simpatia e até mesmo de amor ou amizade perante o seu algoz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.