18 de agosto de 2017

POR QUE "A REGIÃO" CHAMA CUMA DE "VELHO GAGÁ"?

O povo tem "engolido sapo", com a caduquice de Cuma!
Julgo necessário salientar, inicialmente, que o termo "Velho Gagá", é muito usado quando uma pessoa super mal educada, tenta ofender outra, usando essa expressão pejorativa e achincalhadora. Talvez os editores do periódico "A Região", não percebam que estão abusando extrema e generalizadamente, dos nossos velhinhos da 3º idade, quando se refere ao quase octogenário Fernando Gomes, como "Velho Gagá"! Compreendemos este comportamento como uma covardia desmedida e lamentavelmente, uma ridicularidade fora do comum. Mas o fato é que esta expressão se refere a uma pessoa que esquece muito fácil das coisas; que é ranzinza; que é mentalmente incapaz; que voltou à infância; caduco, senil, decrépito; pessoas que, por causa da idade, têm o comportamento afetados e passam a tomar atitudes confusas e que fazem coisas que já não fazem mais sentido, esquecendo de coisas importantes. Embora discordemos do termo "Velho Gagá", concordamos plenamente com o fato de Fernando Gomes, está se esquecendo muito facilmente das promessas que fez para se eleger. Outro fato que tem nossa concordância, é que o prefeito está mais ranzinza e intolerante; mentalmente incapaz, caduco, senil, decrépito e confuso em ações e falas que não fazem sentido, esquecendo de coisas importantes. Mas não creio que tudo isso credencie o jornal "A Região", a tentar estigmatizar Fernando Gomes como um "Velho Gagá"! Não se deve ofender tanto os velhinhos decrépitos. Todas as pessoas com idade avançada, inevitavelmente, terão seus momentos de caduquice e isto afetará também, os editores do jornal "A Região", caso eles tenham a dádiva de atingirem a idade de Fernando Gomes. Diferentemente dos "velhinhos gagás", o prefeito decrépito de Itabuna, prejudica, desrespeita, atrapalha, aborrece, prejudica, engana, trai, mente, bravata, enrola, negligencia, usa e abusa do dinheiro público. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.