6 de junho de 2017

VIGILANTES DECIDEM MANTER GREVE NA BAHIA E BANCOS CONTINUAM FECHADOS

Greve dos Vigilantes permanece mantendo bancos fechados
Após mais uma rodada de negociações nesta terça-feira/6, os representantes do Sindicato dos Vigilantes da Bahia não chegaram a um acordo com os empresários e decidiram manter a greve que atinge 12 mil trabalhadores na cidade. Os dois lados voltaram a se reunir na sede do Ministério Público do Trabalho (MPT) para mais uma rodada de negociações. Segundo o sindicato, são cerca 32 mil trabalhadores paralisados na Bahia. O Sindicato dos Vigilantes afirma que patrões seguem com intransigência e acusam os patrões de tentar alterar um Termo de Ajustamento e Conduta (TAC) assinado com a categoria em 2012, para prorrogar a jornada de 12h de trabalho. Entre as reivindicações, a categoria pleiteia que o piso salarial passe de R$ 1.002 para R$ 1.500, representando um aumento de 7%. No entanto, os empresários decidiram conceder apenas 1% de aumento. Protesto: Os vigilantes voltaram a se manifestar, na tarde desta terça-feira/6, após a reunião com os representantes dos patrões terminar sem acordo, no Ministério Público do Trabalho (MPT). O ato ocorre na Avenida Sete e provoca o bloqueio do trânsito no local. O número de pessoas envolvidas no protesto ainda não foi divulgado e o Núcleo de Operações da Transalvador (NOA) pede aos condutores que precisam chegar ao centro de Salvador que desviem para as vias marginais. A categoria está em greve desde o dia 24 de maio e pede aumento salarial de 6,44%. Os empregadores, contudo, oferecem menos da metade do solicitado, 3,6%. Uma nova reunião está marcada nesta esta quarta-feira/7 para nova tentativa de acordo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.