10 de junho de 2017

TRAQUINAGENS DE WAGNER INVESTIGADOS PELO TRF


O que menos Wagner deve querer ver, é Moro em sua frente
Com a nomeação do ex-ministro da Casa Civil Jacques Wagner (Governo Dilma) para uma secretaria na Bahia, o ministro Edson Fachin, do STF, enviou seu caso para o Tribunal Regional Federal da Primeira Região. Ele se refere a fatos revelados na delação premiada de executivos da Odebrecht que implicam Wagner e o ex-presidente Lula. Caberá ao TRT-1 decidir se a investigação contra Wagner segue junto com a de Lula. Wagner e Lula apresentaram agravos regimentais para questionar a decisão de Fachin que enviou os autos para a Justiça Federal do Paraná, onde a Lava Jato é conduzida pelo juiz federal Sérgio Moro. O ex-ministro alegou que foi nomeado para o novo cargo em janeiro e Lula diz que não há menção a seu nome nas delações de Cláudio Melo Filho e Emílio Odebrecht. Fachin concordou que Wagner deve ir para outra instância por causa da nomeação na Bahia. Apesar de secretários serem julgados pelo Tribunal de Justiça do Estado, há indícios de crimes no âmbito federal. Por isso, o envio ao TRF-1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.