3 de junho de 2017

LÍDER DO MBL É CONDENADO POR OFENSAS CONTRA JORNALISTA DA REDE GLOBO

Renan terá que pagar 20 mil reais por ofender Burnier
Um dos três coordenadores nacionais do Movimento Brasil Livre (MBL), Renan Antônio Ferreira dos Santos, foi condenado em segunda instância pelo TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) a pagar uma indenização por danos morais de R$ 20 mil ao jornalista José Roberto Burnier, da TV Globo. Ainda cabe recurso. Em uma montagem publicada na internet, Burnier era comparado a uma prostituta. No processo contra Santos, o jornalista alega que começou a sofrer uma campanha difamatória por parte do MBL na época em que trabalhava na cobertura do processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em meados de 2016, "com a intenção de abalar a sua credibilidade, ferir a sua dignidade e decoro e inibir a sua isenta atuação profissional”. Burnier alega ter sido descrito como alguém que "é muito severo com oposicionistas de 93 anos, mas pode ser incrivelmente doce com criminosos bem mais jovens", que teria "posições de esquerda notórias e conhecidas" e que seria "um esquerdista Global de joelhos para o PT. Na montagem fotográfica em que é retratado como uma prostituta, ele aparece oferecendo "seus serviços" para a então presidente Dilma Rousseff. O repórter da Globo afirmou que a montagem foi reproduzida em diversos sítios da internet e trouxe prejuízos a sua reputação e dignidade. O líder do MBL não foi encontrado para comentar sobre o caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.