28 de junho de 2017

CUMA CULPA MÉDICOS PELAS MAZELAS NA SAÚDE DE ITABUNA


Cuma culpa médicos por suas mazelas
Tenho constantemente apresentado pedido no rádio, por melhorias no Sistema Único de Saúde, como mais medicamentos para a população, carreira de estado para médicos para suprir as localidades mais afastadas, como Mutuns e Itamaracá, maior agilidade na conclusão de obras dos hospitais e Postos Médicos, que completam décadas e não são entregues, ou funcionam precariamente, além de reafirmar o meu protesto contra a violência que acaba vitimando todos servidores da saúde e pacientes. Sentindo-se cobrado pela falta de condições e de segurança para o bom e eficiente desempenho do trabalho médico, o prefeito de Itabuna, Fernando Gomes (DEM), entendeu por bem apelar para o discurso fácil do “descompromisso” dos médicos e da prática do ganhar mais sem trabalhar o suficiente, atribuindo a esse “atendimento” as agressões, furtos, assaltos à mão armada, suportados por todos os servidores que atuam nas diversas unidades de saúde da maior cidade sulbaiana. Certamente por ser leigo, ou completamente acéfalo, o prefeito desconhece o quadro caótico em que a Medicina é praticada em Itabuna, desprovido de meios e recursos que permitam à população ter água tratada, coleta de lixo, esgotamento sanitário, alimentação condigna, centros de recreação, escolas de boa qualidade, etc., condicionantes essenciais para uma vida cidadã digna, saudável e produtiva. O gestor tem demonstrado despreparo em atuar, como o maior administrador da cidade, ao criticar profissionais obrigados a trabalhar sem o indispensável suporte técnico de pessoal e instrumental para auxílio diagnóstico. Ele ignora que as unidades de saúde estão deterioradas, não possuem laboratórios, raios-X, medicamentos, leitos decentes, alimentação condizente com os tipos de pacientes internados e, sobretudo, superlotadas. Tudo isso não é por culpa dos médicos, mas pela completa ausência da gestão pública, empenhada em outros afazeres mais rendosos politicamente, notadamente porque, na saúde, toda a culpa sempre é atribuída aos médicos, enquanto elefantes brancos continuam em seu letárgico processo de construção. Todas estas absurdas e perigosas condicionantes demonstram um prefeito, de um governo que não beneficiará a população com saúde de qualidade e que está preocupado apenas em mostrar números, repetindo os mesmos erros das administrações anteriores, debochando dos eleitores ao desrespeitar os servidores que todos os dias atuam nos hospitais e postos médicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.