9 de maio de 2017

JUSTIÇA PROÍBE ACAMPAMENTOS EM CURITIBA NO DIA DO DEPOIMENTO DE LULA


Comparsas e lacaios de Lula, pretendiam badernar no Paraná
Para atender um pedido da prefeitura de Curitiba, uma juíza do Paraná proibiu a montagem de acampamentos na cidade das 23h desta segunda (8) até as 23h de quarta (10), dia em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro. Segundo informações da Folha de S. Paulo, em caso de descumprimento, a pena aplicada será de R$ 50 mil por dia. A magistrada Diele Denardin Zydek, da 5ª Vara de Fazenda Pública, proibiu também a passagem de veículos não cadastrados em áreas próximas ao prédio da Justiça Federal, onde será colhido o depoimento. Na petição, a prefeitura declarou à juíza que "milhares de manifestantes oriundos de outras cidades e Estados se deslocarão até as proximidades da Justiça Federal (...) e há notícias de que o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra requereu local para montar sua estrutura e acampamento, sob pena de ocupar as ruas e praças de Curitiba". Diante disso, o entendimento de Diele foi de que "há que se diferenciar a garantia de livre manifestação da ocupação de bem público". A possibilidade de um conflito entre manifestantes pró e contra Lula tem feito a Justiça local tomar ações preventivas. O depoimento vai contar com um esquema de segurança reforçado e o próprio Moro pediu que seus apoiadores evitem protestos na área. A Frente Brasil Popular repudiou a determinação da juíza, a que chamou de "uma forma de criminalização dos movimentos sociais, porque busca impedir a vinda pacífica e democrática de milhares de pessoas que buscam debater os rumos da democracia". Em nota, a frente que reúne entidades de esquerda ressaltou: "Não conseguirão".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.