17 de maio de 2017

ITABUNA PERDE VERBAS POR CONSEQUÊNCIA DA INCOMPETÊNCIA DE VANE


Só Vane crer nas verdades que só ele enxerga
Cada dia mais, o povo itabunense sofre as consequências da incompetência da equipe administrativa do governo do ex-prefeito, Claudevane Leite (Estragado). A perda mais recente para o município de Itabuna, está na devolução ao Governo Federal, da quantia exata de R$ 4 milhões, 122 mil, 338 e 91 centavos, que deveriam ter sido utilizados para a construção de três creches. A prefeitura teve que devolver a verba, porque o governo anterior, não realizou a terraplanagem e nem a doação do terreno para a realização das obras. De acordo com informações do prefeito Fernando Gomes (DEM), além da devolução da verba, foram identificados casos de superfaturamento de material didático e  uma série de inconformidades relacionadas aos recursos advindos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), nos exercícios 2013 e 2016, resultando no bloqueio de verbas. Fernando destacou que o ex-prefeito será processado por improbidade administrativa. A ex-secretária de educação Dinalva Melo, disse que quando foi conseguido o financiamento para a construção de dez creches, a gestão optou pela filiação a empresa que ganhou a licitação no FNDE, imaginando  que seria mais ágil. "Infelizmente a empresa ganhou a licitação para todo o nordeste e não teve condições de cumprir nossos contratos.". A respeito da denúncia de superfaturamento na compra de materiais didáticos, Dinalva Melo disse apenas que tudo foi comprado por meio de licitação. VANE RESPONDERÁ 13 AÇÕES NO TCU - O procurador-geral do município de Itabuna, Luiz Fernando Guarnieri protocolou no Tribunal de Contas da União (TCU), e Ministério Público Federal em Brasília, 13 ações contra o ex-prefeito de Itabuna, Claudevane Leite (PRB), por atos de improbidade administrativa. De acordo com informações, o procurador alegou uma série de irregularidades em programas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) cometidas na gestão de Vane, que estariam refletindo na gestão atual, dentre elas o recebimento de verbas e não execução da obra; não execução do Plano de Trabalho; perda do prazo para execução das obras; entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.