20 de abril de 2017

SÉRGIO MORO É NOSSO REVOLUCIONÁRIO MAIS DIGNO E PATRIOTA

O Brasil precisa de mais heróis como o Juiz Sérgio Moro
Os brasileiros estão estarrecidos, incrédulos, e o mundo inteiro também, por tudo o que estamos assistindo na mídia nacional. Ao mesmo tempo, creio que exista um fiozinho de satisfação e uma pontinha de esperança pelo descerrar da imensa cortina negra que cobria o infecto rio de lama, carregando no seu leito a degradação total de águas poluídas. Águas sujas sobre as quais ainda flutuam barcos superlotados de piratas saqueadores da dignidade da Nação. Apesar de tanta indignação, louvamos o novo perfil dos jovens bravos juízes e procuradores que promovem uma democrática revolução na justiça. Seguindo a carta de navegação, a partir da nascente do rio vem um tsunami com um jato de punição lavando a imundície que todos sabíamos e não identificávamos com necessária clareza o nome dos bois e das vacas. Muito menos imaginávamos que a boiada era um misto composto de várias raças espalhadas por currais em dezenas e distintas regiões. Nem tudo está perdido, ainda não é o fim do mundo! Talvez, sim, o começo de uma nova era que poderá levar o Brasil a ser um País diferente. Dizem a Bíblia e historiadores que um povo não faz revolução sem derramamento de sangue. Muitos desses gigantescos movimentos na Europa, América e Ásia foram cruéis e violentos, alguns vitoriosos com valores invertidos como é o caso da Revolução Cubana que oprime seus compatriotas há cinquenta e oito anos em nome de um socialismo fracassado no mundo inteiro. Com pouco mais de 500 anos de descobrimento e apenas 129 de república, o Brasil é um País jovem, uma democracia em amadurecimento com longo caminho a garimpar até chegar à completa estabilidade. Ao contrário dos EUA, que há 240 anos vivencia um modelo de regime democrático, reconhecendo desde a independência os direitos à vida, à liberdade e ao desenvolvimento. Quero crer que o juiz Sérgio Moro é o nosso maior e melhor agente revolucionário em defesa da radical mudança do conceito político praticado pelo congresso, estados, municípios e outros poderes. Um herói líder de uma revolução sem sangue jorrando, graças a Deus, mas expondo as entranhas cancerígenas com raízes devastadoras contra a soberania nacional. Quem sabe daqui a algumas dezenas de anos não seremos um País melhor onde as garantias individuais de liberdade, locomoção, trabalho e igualdade sejam direitos adquiridos verdadeiramente? Onde homens e mulheres vençam pelo esforço e competência do trabalho e os agentes políticos e públicos tenham o mínimo de respeito e dignidade para representar a sociedade. Que assumam compromisso com a Pátria, incorporando com honradez o sentimento de brasilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.