8 de abril de 2017

JUSTIÇA BLOQUEIA BENS DE CONSELHEIRO DO TCM DA BAHIA

Acuado pela Justiça, ele hoje julga corruptos (?)!
A Justiça Federal do Paraná bloqueou R$ 9,8 milhões do PP mais R$ 467 milhões de 11 deputados, ex-deputados e assessores do partido, entre eles vários baianos. Todos são acusados de participar do Petrolão. Entre os que tiveram bens bloqueados estão o ex-deputado Mário Negromonte e os deputados federais Mário Negromonte Jr e Roberto Britto. Os outros são Nelson Meurer (PP-PR), Arthur Lira (PP-AL), José Otávio Germano (PP-RS), Luiz Fernando Faria (PP-MG), Pedro Corrêa (PP-PE), Pedro Henry (PP-MT), João Pizzolatti (PP-SC) e João Genu. Os denunciados não poderão vender nem transferir os bens afetados, por ordem do juiz Friedmann Wendpap, da 1ª Vara Federal de Curitiba. Os acusados terão 15 dias para se manifestar. Wendpap entendeu que havia "fortes indícios de responsabilidade por ato ímprobo", o que justificava o bloqueio dos bens. Entre as provas, depoimentos de delatores, depósitos não identificados, doações de empreiteiras. Mais o crescimento do patrimônio incompatível com a renda declarada, coisa que a imprensa sempre vê e a Receita Federal parece ignorar no caso de políticos importantes. Um dos maiores bloqueios foi o dos bens do ex-ministro Mário Negromonte, hoje conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (que julga a improbidade dos prefeitos). São R$ 166,9 milhões bloqueados. Para o juiz Wendpap, há "indícios consideráveis de que os acusados recebiam propina por meio do pagamento –no mínimo, mensal– de dinheiro em espécie, cujo valor chegava a alcançar o patamar de R$ 300 mil". A decisão lista pagamentos como a compra e blindagem de um carro para a filha de Negromonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.