9 de março de 2017

O CALCANHAR DE AQUILES DE FERNANDO GOMES

Nenhum "espírito de porco" removerá Cuma dos seu propósitos
 de Itabuna recuperar o tempo perdido com Azevedo e Vane

A origem da expressão popular “calcanhar de aquiles” deu-se por uma das histórias da mitologia grega. Tétis, mãe de Aquiles, desejava tornar seu filho indestrutível, preparando-o para as futuras guerras. Tétis mergulha o garoto num lago mágico, segurando-o pelo calcanhar. Durante a guerra de Troia, Aquiles é atingindo em seu calcanhar, o único lugar onde não havia proteção alguma, e é derrotado. Daí a expressão: “Calcanhar de aquiles”, ou seja, o ponto fraco de um indivíduo. E esta estória, é o que melhor pode servir de demonstração sobre o perfil do governo Fernando Gomes. E qual é o "Calcanhar de Aquiles", que há no núcleo que acerca o alcaide? A indústria das intrigas e fofocas e da disputa pífia por espaços de poder. Fernando está cercado por correligionários e aderentes, que o envenenam com estórias, cujos propósitos é o incompatibilizar com secretários, diretores e coordenadores, para beneficiar os protagonistas dessa tática, com cargos de técnicos exonerados. Com isto perde a qualidade dos serviços públicos, que a prefeitura presta à comunidade. E evidencia circunstâncias de maniqueísmo a que o prefeito está se submetendo. Logo o tempo deverá revelar o fato, que assim como é impertinente o "ouvido de mercador", também é inoportuno emprenhar-se pelos ouvidos! Mesmo com este percalços, o governo avança e deve se consolidar como o melhor, entre os cinco mandatos já obtidos pelo intrépido, arrojado e bem aventurado Fernando Gomes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.