28 de fevereiro de 2017

NO CARNAVAL DO "FORA, TEMER!", ACM NETO SUBVERTE LEGADO DO AVÔ

ACM deixou legado na política, com personalidade própria
O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), não vê "sentido nenhum" em punir a banda Baiana System por causa da manifestação política contra o presidente Michel Temer (PMDB). O quase sempre silencioso Conselho Municipal do Carnaval cogitou a punição. "Uma bobagem se querer censurar ou vetar, se for assim o artista não poderia chegar e elogiar a mim ou ao governador [Rui Costa, do PT]. Pode elogiar, pode criticar. É a liberdade mesmo. No que se refere a mim, tem que deixar cada um fazer o que quer fazer", afirmou o neto de Antônio Carlos Magalhães. A declaração do prefeito nem de longe lembra as práticas consagradas por seu avô. O autoritarismo patriarcal de ACM vai permanecer por muito tempo na imaginação do povo baiano. É uma das imagens mais difundidas entre as memórias da nossa política. Esse tipo de presença não se propaga apenas como folclore. O seu dono fez por onde. Em tempos bicudos, de rara coerência política e desorientação dos setores de esquerda, ACM Neto desponta como liderança conservadora. A sua postura no caso Baiana System mostrou habilidade. Ao menos neste episódio, subverteu o legado do avô. Mais que isso: indicou disposição para fazer concessões necessárias ao convencimento de amplas camadas do eleitorado. Com o Carnaval 2017 perto do fim, 2018 é ali. Por Thiago Dias, que é repórter do Blog do Gusmão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.