22 de fevereiro de 2017

DELATOR DIZ QUE CUNHA E CLETO AUMENTARAM ATUAÇÃO NA CAIXA COM GEDDEL

As apostam apontam Geddel como próximo alvo de Sérgio Moro
O empresário Alexandre Margotto revelou em depoimento que o ex-deputado Eduardo Cunha e Fábio Cleto, ex-vice presidente da Caixa, “ampliaram suas atuações na Caixa com a entrada de Geddel”. O político baiano era Geddel, que foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa entre 2011 e 2013. Ainda segundo Margotto, Geddel e Cunha se conheceram “através de um deputado muito influente no Rio de Janeiro”. O empresário, no entanto, não soube informar quem proporcionou a amizade entre os dois. Ainda na delação, Alexandre Margotto relata um suposto pagamento de propina para Geddel. Durante o depoimento, porém, ele diz que “ouviu falar” e não tem com confirmar a operação. Neste domingo, o Fantástico revelou que Lucio Funaro - apontado como doleiro ligado a Cunha - mantinha influência sobre Geddel. Segundo Funaro, ele mandava no Geddel. "Tinha muita influência sobre ele na Caixa", revelou. Ainda em depoimento, segundo Margotto, Funaro relatou ter ganho "muito dinheiro" com desvios operacionalizados por Geddel. De acordo com o delator, a propina era dividia entre Funaro, Cunha e outros políticos como Geddel e o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.