19 de março de 2016

PAIS PETISTAS NÃO LEVAM SEUS FILHOS PARA AS MANIFESTAÇÕES DOS LACAIOS DA CORRUPÇÃO

Pais petistas não levam os filhos, porque sabem da impertinência
de conduta que não deve ser testemunhada como exemplo de vida
Nas manifestações contra a permanência de Dilma Rousseff como presidente do Brasil, inúmeros pais levaram seus filhos para participar. Era muito fácil ver crianças, adolescentes e jovens no meio da multidão. Nos atos de cores verde e amarelo, as famílias foram predominantes. Isto não ocorreu, quando as manifestações foram vermelhas e favoráveis a Dilma. Nestas, o público era composto apenas por adultos, cujas idades eram, visivelmente, eram de quarentões, cinquentões e basicamente compostas de servidores públicos e sindicalistas. Os país levaram seus filhos infanto-juvenis para os protestos, sob alegação de estarem aproveitando a oportunidade, para conscientizá-los da importância de se desenvolverem com conceitos éticos, sérios, honestos e com firmeza de propósitos contra a corrupção e mazelas na política e no governo. As crianças em geral, admiram e imitam seus pais, um comportamento muito normal e esperado. Isso porque os veem como perfeitos, uma visão que só é posta em dúvida com o passar dos anos a partir da convivência com outras pessoas e da aquisição de novas experiências e conhecimentos. A tarefa dos pais é de autovigilância. O autocontrole e serenidade são indispensáveis para transmitir seriedade e admiração nos filhos. É necessário que haja coerência entre sua fala e suas atitudes. De nada valerá a cobrança imposta ao filho de bons hábitos e comportamentos se, na prática, os pais não oferecem condições nem exemplos que possam ser copiados. É até injusto cobrar aquilo que não se demonstra. Os exemplos envolvem uma variedade de condutas que serão experimentadas ao longo da vida, algumas delas serão reforçadas e outras deixadas de lado e é claro que, diante de modelos adequados, é diminuída a chance de se expor a comportamentos de risco que prejudiquem a si e aos outros. DIGNIDADE SE APRENDE DESDE CRIANÇA - O comportamento dos pais serve de exemplo para os filhos e isso se confirma facilmente: basta observar seus comportamentos, como a maneira de falar, de gesticular, de interagir com outras crianças e até mesmo com seus brinquedos. Os gestos dos pais são reproduzidos pelas crianças como se fossem suas miniaturas. Quando filhos veem pais praticando, ou apoiando corrupção, crescem com conduta ligada à corrupção. Dessa forma, cabe aos pais estarem atentos às suas atitudes e comportamentos, pois eles serão copiados e repetidos pelos filhos. Sendo modelos, os pais poderão ensinar maneiras mais saudáveis e adequadas para sua interação com o mundo e consigo mesmo. Alguns princípios devem estar embutidos nessa aprendizagem: o limite, o dever e o direito, pois só assim a criança aprende que para cada ação, existe uma consequência. Nesse processo a autoridade e a disciplina são fundamentais. Todas crianças e adolescentes, devem estar sabendo do acontece atualmente no país. E ficam sem compreender o motivo que faz seus pais empunharem bandeiras vermelhas, que simbolizam a defesa do que há de mais execrável nos péssimos exemplos de abuso ao erário. Mensalão, Petrolão, Tríplex, Sitio de Atibaia, são expressões difíceis de serem explicadas sob a lógica do aprendizado saudável e ético. Não existe nenhum manual técnico que ensine aos pais a maneira mais correta e segura de ser um bom exemplo, porém é possível saber que certas escolhas trarão benefícios ou prejuízos, a própria vida demonstra isso em seu dia a dia. Será a partir da própria experiência que os pais poderão decidir quais serão seus melhores exemplos, aqueles que desejam serem repetidos pelos filhos e que lhes trarão a satisfação, o prazer e a certeza do dever cumprido. Estes fatos explicam as causas das ausências de crianças e adolescentes nas manifestações petistas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.