27 de março de 2016

NENHUM PARTIDO DEVERÁ ELEGER MAIS QUE DOIS VEREADORES EM ITABUNA

Quem gastar mais comprando votos de eleitores vigaristas, ou
abestalhados, conseguirá se reeleger com facilidade em Itabuna
Entre 110 a 120 mil eleitores devem votar nas eleições proporcionais nas próximas eleições, em Itabuna. Estes números resultarão em um coeficiente eleitoral, que fará um partido eleger vereador com a soma de 5 mil e quinhentos votos, no máximo. Cada partido poderá lançar até 32 candidatos e elegerá um vereador com a soma percapta de 170 votos. Atualmente Itabuna possui 21 vereadores e eles foram eleitos, filiados em 16 partidos. A perspectiva é que a Câmara contará com 16 partidos, no mínimo, entre os 21 vereadores eleitos em outubro que vem. Isto significa dizer, que sobrarão para a segunda contagem de coeficiente eleitoral, apenas cinco vagas. Destas, umas três deverão já está reservadas para partidos, ou coligações, que obtiverem o dobro deste primeiro limite. E nesta situação poderão estar PSDB e PC do B. Restariam então, somente duas vagas a serem disputadas, ainda, nesta segunda rodada de preenchimento de vagas. Consequentemente, o que se pode prever, é que não haverá vagas para uma terceira rodada de coeficiente eleitoral. Podendo assim, nenhum partido conseguir eleger mais que dois vereadores em 2016. Todos dirigentes partidários tem consciência deste fato. Entretanto, quase todos se utilizam da enganação como instrumento de sedução. Eles sabem que, para eleger dois vereadores, terão que contar com aqueles que ficarão na suplência e que ajudarão na soma dos votos mínimos necessários para este propósito. E dizem que, elegerão quatro, cinco, seis vereadores, pois serão 21 as vagas disputadas. Enganam. Não informam o que está esclarecido acima. Para contrapor este conto do vigário, o PHS, PMB, PSC, PT  do B e PSDC estão se reunindo com candidatos com expectativa de 400 a 800 votos e os filiando com objetivo de isolar os atuais vereadores; os compradores de votos e aqueles que já estão cotados como prováveis eleitos. Há nestes partidos, uma relação de candidatos que obtiveram mais de 1. 000 votos e que não integrarão seus quadros de filiados. Também estão se reunindo com esta mesma idéia, o PSD e PTC. Caso atinjam seus alvos, estes partidos dificultarão a reeleição de muitos dos atuais vereadores e precipitarão obstáculos enormes para candidatos como Joilson Rosa, Rui Porquinho, Jairo Araújo, Gegéu, Carlito do Sarinha, Paulinho do INPS, Walter do Socorrinho e Carmem do Posto Médico. PARTIDOS COM NOMES QUASE IMBATÍVEIS - Para quem estará filiado nos grandes partidos, há uma barreira enorme a ser vencida, pois os favoritas são quase insuperáveis. E a relação já está exposta: no PT, os esforços do partido convergirão para reeleger seus atuais vereadores Júnior Brandão e Paulinho. O PTB quer reeleger Ruy Porquinho; Pastor Francisco da Iurd e Manoel Jr. são os preferidos do PRB; Capitão Fábio é o favorito no PRP; Éneas Brandão é nome favorito no PTC e o PRTB tentará eleger Milton Gramacho. O Solidariedade está sendo recomposto com propósito único de reeleger Carlito do Sarinha. O PC do B, só tem perspectiva de reeleger seus atuais dois vereadores: Aldenes meira e Jairo Araújo. Não há como ser diferente. Aqueles que estiverem coligados aos comunistas, servirão apenas para pagar para serem cabos eleitores dos nomes aqui projetados. No PPS, os nomes favoritos são o do radialista Nadson Monteiro e de César Brandão, que atualmente já representam o partido na Câmara. No PV, a reeleição de Glebão é tão certa quanto a soma de 2 mais dois resultar em 4. O PMDB só tem vaga assegurada, para quem já ocupa cadeira na Câmara: Antonio Cavalcante. O PSDB será um “balaio de gato” enorme, caso aceite filiar Ronaldão, ou se coligar com o PV de Glebão. Daí poderão ser reeleitos Chico Reis, Glebão e Adilson José, com Marcos Apoim, Zé Silva e Beto Dourado, brigando para preteri-los. Partidos com tradições de eleger vereadores em Itabuna, possuem atualmente, poucas perspectivas de elegerem representante para a próxima legislatura e entre eles se destacam DEM, PSB, PDT, PMN, PTN, PR e Pros. Neste contexto, restarão duas vagas, que serão preenchidas por candidatos de partidos, ou coligações, com difícil previsão sobre quem poderá ganhar. Neste caso me reservo à prerrogativa de não expor minha opinião sobre nomes do PHS, pois incorreria na possibilidade de errar os dois nomes, que deverão ser eleitos pelo partido em outubro próximo, entre os 32 já filiados. PSL, PDT, PTN, PP, PR, PPL, P-SOL, PSTU e PCB não deverão eleger ninguém. Este é o meu prognóstico e só o resultado das urnas em 2 de outubro deste ano, poderá comprovar se estou certo, ou não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente no blog do Val Cabral.